Páginas

Minha foto
são paulo, zona leste, Brazil

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Escola, segundo Paulo Freire...


Para Paulo Freire...

Para Paulo Freire...
"Escola é... o lugar onde se faz amigos, não se trata só de prédios, salas, quadros, programas, horários, conceitos...
Escola é, sobretudo, gente, gente que trabalha, que estuda, que se alegra, se conhece, se estima. O diretor é gente, o coordenador é gente, o professor é gente, o aluno é gente, cada funcionário é gente. E a escola será cada vez melhor na medida em que cada um se comporte como colega, amigo, irmão. Nada de ‘ilha cercada de gente por todos os lados'. Nada de conviver com as pessoas e depois descobrir que não tem amizade a ninguém nada de ser como o tijolo que forma a parede, indiferente, frio, só.
Importante na escola não é só estudar, não é só trabalhar, é também criar laços de amizade, é criar ambiente de camaradagem, é conviver, é se ‘amarrar nela'! Ora , é lógico... numa escola assim vai ser fácil estudar, trabalhar, crescer, fazer amigos, educar-se, ser feliz."


http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/montecristo/eja/index.html





O sonho de aprender.

Blog de equipeeja :equipeeja, O sonho de aprender.
Paulo Freire preconizou a alfabetização de adultos no Brasil, partindo do princípio do conhecimento que cada um tras, aprendido pelas próprias experiências de vida. Assim com Freire, Betim também cultivava o sonho de ver o Brasil comprometido com a educação como ato público. A modalidade EJA, tras em seu bolo, a valorização e as especificidade de cada sujeito, cabendoo as Políticas Públicas investirem na apreenção de uma nova proposta pedagógica que venha descortinar o mito da desvalorização dessa modalidade de ensino. A educação não compreende apenas a escolarização, mas também um sentido muito mais amplo, educação e vida, sendo assim, esta transcede para além dos muros da escola, pois não se dá apenas nela,tem-se que pensar  esse processo num sentido muito mais amplo, uma vez que o apreender ocorre em todos os meios sociais, como na igreja, em casa no seio da própria família, na comunidade, no trabalho, onde há troca de saberes.
O Programa de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade EJA, publicou no Jornal da Educação (Nº 27-ANO 4 - 2011) uma matéria, onde detentos de cinco unidades prisionais após um ano de estudos, receberam o certificado de conclusão do Ensino Fundamental com qualificação profissional, sendo que realizaram na própria detenção cursos de gesseiro, bombeiro hidráulico, eletrecista e pintor. As aulas teóricas e práticas foram realizadas dentro da Penitenciária de Segurança Máxima de Viana, de Colatina, Regional de Linhares e Regional de Cachoeiro de Itapemirim ministradas por professores da SEDU e do IFES de vitória. Para que acontecesse o curso, os profissionais passaram por uma formação com duração de 280 horas, isso só vem confrmar que a educaçã desta modalidade, quando levada com comprometimento, respeito as heterogeneidade, diversidades culturais e qualidade, essa apreensão acontece com sucesso.