Páginas

Minha foto
são paulo, zona leste, Brazil

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Psicologia do Desenvolvimento (resumo)

RESUMOS:



AULA 01 – ASPECTOS HISTÓRICOS DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
A psicologia é uma ciência, o que significa a utilização de um certo método para estudar o seu objeto. Esse método científico procura superar as afirmações superficiais do senso comum, utilizando a observação atenta e controlada dos fenômenos psicológicos com o objetivo de chegar a conclusões gerais a respeito deles.

IMPORTÂNCIA:  Colaboram para o entendimento dos processos biológicos e culturais.
O Professor que compreende o modo de agir e pensar da criança obterá uma melhor qualidade de trabalho. Atualmente a psicologia analisa o comportamento das pessoas e visa estabelecer um critério sistematizado para analisar os fenômenos humanos no cotidiano.

AS DIFERENTES LINHAS DE PENSAMENTO PSICOLÓGICO:
As primeiras correntes Psicológicas estavam centradas em definir métodos de estudos da personalidade humana e comprová-los empiricamente.

   Funcionalismo: concepção naturalista de Charles Darwin a mente e a conduta humana são adaptativas. Não existe produção mental que não seja acompanhada de uma modificação corporal. Estuda como ocorre o funcionamento e a adaptação da mente dos indivíduos no meio em que se inserem. As pessoas apresentam comportamentos diferentes em relação aos estímulos que recebem - Consciência e sensações são mutáveis. Funcionamento dos processos mentais (modo de adaptação do homem)
   Associacionismo: o comportamento do sujeito é modelado pelo ambiente e segue leis que o direcionam, existem 3 princípios:
1.     LEI DO EFEITO – a aprendizagem se manterá ou não 2º as conseqüências que produz
2.     LEI DO EXERCÍCIO – importância da prática para fortalecer o aprendizado
3.     LEI DA DISPOSIÇÃO – se não existe disposição, não se produz comportamento
(Associação de idéias do simples para o complicado)

 Estruturalismo: o objeto de estudo era a consciência mediante a introspecção e a auto-observação controlada. Através de processos mentais (sensação, sentimento e imagem). (Processos elementares da consciência – estrutura do pensamento “difícil compreensão”)
 Psicologia Experimental: estuda as operações mentais centrais, os sujeitos são treinados para descrever da forma mais objetiva suas experiências.
   Introspecção: os sujeitos relatavam suas experiências internas em relação aos estímulos ambientais.

CORRENTES TEÓRICAS DA PSICOLOGIA NO SEC XX
        Inatismo: considera o comportamento humano como algo INATO, as suas características nascem com ele e não são modificadas durante o processo de desenvolvimento. Pouca Influência do ambiente em que vive
        Gestalt: prega que TODO O MAIOR É A SOMA DE SUAS PARTES, busca ser uma psicologia integrativa de caráter globalista. Para se entender o todo é necessário analisar as partes.
        Behavorismo: descobrem os mecanismos reguladores da conduta que podem ser INIBIDOS ou INTENSIFICADOS com os mecanismos de ESTIMULO e RESPOSTA.
        Panvlore:  reflexo condicionado =. Cães =. som
        Skinner:. Criança => reforço positivo => bala/negativo => birra boneca

Corrente teórica da psicologia voltada para os estudos do inconsciente e da afetividade:

PSICANÁLISE => FREUD => os processos são de natureza inconsciente e os processos conscientes não são atos isolados ou fracionados da vida total. Considera que os processos mentais NÃO ocorrem por acaso, a psicanálise busca o significado oculto das nossas ações. A educação assume um papel importante no estudo da afetividade nas relações entre professores e alunos.

Correntes teóricas da psicologia voltadas p/as interações sociais

  SOCIOINTERCIONISMO - (Wallon):  o desenvolvimento humano não é um processo composto por estágios lineares, é marcado por preponderância entre estágios cognitivos e afetivos. É marcado por crises e turbulências. O homem é um ser BIOLOGICAMENTE SOCIAL (havendo uma relação entre cognitivo X afetivo X motor)
  HISTORICO CULTURAL (Vygotsky): capacidades humanas, como cada um é capaz, com as ajudas adequadas de desenvolver uma habilidade.
  CONSCIENCIA: é o objetivo de estudo. Estudos voltados para as interações sociais e a construção coletiva do conhecimento. O ensino deve ser centrado em todos os integrantes de sala de aula.
  COGNITIVISMO => o objetivo principal é a atividade humana de um sujeito que busca, escolhe, elabora, etc, as informações provenientes do meio. PIAGET => conhecimento como um conjunto de estruturas cognitivas que permite a criança adaptar-se ao ambiente. O desenvolvimento cognitivo ocorrerá através de constantes desequilíbrios e equilíbrios => Os indivíduos assimilam as informações e depois as acomodam => construção do conhecimento.


criança como um ser que aprende e se desenvolve:
   O ser humano não é um sujeito acabado ao nascimento, ele se constitui ao longo de um desenvolvimento de maneira única. É necessário que estude tais condições de desenvolvimento e o processo de cada um
   Compreender que o professor tem um papel fundamental no conhecimento do desenvolvimento infantil e na utilização desses conhecimentos na sua prática pedagógica. Precisa compreender a criança como um ser em desenvolvimento.
   Levar em conta as condições de existência de cada um a partir desse processo contínuo de desenvolvimento.


QUESTÕES DA APOSTILA

1- Qual  a importância dos estudos  do desenvolvimento infantil?
         Os estudos realizados através da psicologia do desenvolvimento colaboram significativamente para o entendimento dos processos biológicos e culturais envolvidos na formação do indivíduo como sujeito social. Conhecer esses aspectos e a evolução humana permite que os professores compreendam seus alunos nas suas características globais, permitindo desta maneira compreender o modo de agir  e pensar da criança e melhorar sua qualidade de trabalho em seu cotidiano.

2 – Como a Psicologia Soviética de Vygotsky define o processo de formação da consciência humana?
         Vygotsky compreende que a formação da consciência humana se desenvolve a partir do contexto cultural  e das relações sociais. O conhecimento é construído de forma coletiva.



***Para Refletir:***

1- Quais são as primeiras correntes psicológicas e quais eram seus objetivos?
As primeiras correntes psicológicas estavam centradas em definir métodos de estudos da personalidade humana e comprovar empiricamente como os comportamentos manifestavam-se e suas implicações. São elas: Funcionalismo: interessa-s em compreender como ocorre o funcionamento e adaptação da mente dos indivíduos no meio em que se inserem.  Associacionismo: o comportamento do sujeito é modelado pelo ambiente e suas conexões entre estímulos e respostas,   3 princípios o direcionam 1- Lei do efeito (reforçamento) 2- Lei do exercício (prática) 3- Lei da disposição (é a disposição que permite o comportamento) Estruturalismo: O objeto de estudo dessa escola é a consciência mediante a introspecção e a auto-observação controlada. A mente, ou consciência imediata, não é algo substancial, mas somente processos elementares da atividade mental: sensações, sentimentos e imagens (a maneira como a mente humana é estruturada).    

2 - Qual a concepção de Vygotsky sobre o funcionamento do cérebro humano?
Colocam que o cérebro é a base biológica, e suas peculiaridades definem limites e possibilidades para o desenvolvimento humano. Essas concepções fundamentam  sua idéia de que as funções psicológicas superiores (por ex. linguagem, memória) são construídas ao longo da história social do homem, em sua relação com o mundo. Desse modo, as funções psicológicas superiores referem-se a processos voluntários, ações conscientes, mecanismos intencionais e dependem de processos de aprendizagem.

3 – O que é psicologia?
A psicologia é uma ciência, que significa a utilização de um certo método para estudar o seu objetivo. Esse o método cientifico procura superar as afirmações superficiais do senso comum, utilizando a observação atenta e controlada dos fenômenos psicológicos com o objetivo de chegar a conclusões gerais a respeito deles.


PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 02 – VYGOTSKY ( VIDA E OBRA)

 Nasceu em 05/11/1896, Orsha (Bielo Rússia)  – origem judaica – sua infância foi desafiadora em termos intelectuais e tranqüila em termos financeiros. Até 15 anos estudava em casa, aprendeu diferentes idiomas, o que permitiu contato com diferentes textos, aos 17 anos terminou o ensino médio, por sua origem étnico-religioso enfrentou problemas para ingressar na faculdade. Em1914 iniciou seus estudos em medicina, mas depois de 1 me transferiu para direito e literatura, começou a carreira profissional aos 21 anos e voltou a estudar medicina, seu interesse pela psicologia surgiu no contato com crianças com problemas congênitos e passou a pensar em alternativas que pudessem auxiliar no desenvolvimento dessas crianças. Estudava os problemas neurológicos para compreender o funcionamento psicológico do homem. Considerou que o desenvolvimento variava com as tradições e as circunstâncias culturais das diferentes comunidades. Em 1924, se dedicou aos estudos da psicologia, morreu em 1934 vitima de tuberculose, a preocupação de Vygotsky era revolucionaria para o seu tempo, pelo fato de romper com a estagnação da psicologia e das ciências.

VYGOTSKY E A SUA VISÃO DA REALIDADE

A obra de Vygotsky era inovadora já no segundo congresso de psiconeurologia ele apresentou um trabalho propondo uma psicologia materialista, para entender os fenômenos a partir da interação dos aspectos biológicos e sociais no desenvolvimento.

       O homem, em uma relação dialética, é produto e produtor de suas relações sociais

       O desenvolvimento biológico não era descontextualizado, a cultura transformava as pessoas, seus valores e suas representações

       O mundo psíquico que temos hoje não foi nem será assim, pois sua caracterização está diretamente ligada ao mundo material e as formas de vida que os homens vão construindo no decorrer da humanidade.
       O homem como um ser ATIVO, HISTORICO E SOCIAL  - sua ação deixa marcas que serão apropriadas pelos demais integrantes do meio social. Mediante as atividades praticadas.

       O uso de instrumentos (ferramentas transforma as pessoas e as sociedades em que vivem

       No trabalho se realizam as ações coletivas e a construção dos tais instrumentos para facilitar a vida

QUESTÕES DA APOSTILA

1 – Quais motivos levaram Vygotsky a se interessar pela Psicologia?
         Devido ao seu contato com crianças que sofriam de problemas congênitos e ele queria ajudá-las encontrando alternativas para auxiliar no desenvolvimento dessas crianças.

2- Quais as características da psicologia materialista defendida por  Vygotsky?
         A psicologia materialista procurava entender os fenômenos e o psiquismo humano. A partir da interação[1] dos aspectos biológicos e sociais no desenvolvimento. O homem em uma relação dialética era ao mesmo tempo produto e produtor das relações sociais. O cérebro, para os materialistas, não era somente um órgão, mas também um sistema aberto e flexível cujo funcionamento era construído na própria história dos homens. O desenvolvimento biológico não era descontextualizado, mas pensando em uma relação direta com o desenvolvimento social. Sendo  assim, a cultura transformava as pessoas, seus valores e representações.

***Para Refletir:***
1- Qual a importância da perspectiva psicológica sócio histórica na sociedade contemporânea de hoje?
Foi precursora no estudo na consciência humana. A produção de Vygotsky foi vasta. Porém, como ele faleceu aos 37 anos de idade, muitos de seus textos não expressavam detalhes dos seus experimentos e pesquisas. De todo modo, a produção de Vygotsky era revolucionária para sua época pelo fato de romper com a estagnação da Psicologia e das ciências educacionais de então. É preciso destacar que as obras de Vygotsky foram ignoradas no ocidente até 1962 por problemas políticos e pela situação de isolamento que a União Soviética apresentava em relação aos centros europeus e americanos de produção do conhecimento.

Vygotsky atribuía um papel preponderante às relações sociais nesse processo, tanto que a corrente pedagógica que se originou de seu pensamento é chamada de socioconstrutivismo ou sociointeracionismo. 
Surge da ênfase no social uma oposição teórica em relação ao biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980), que também se dedicou ao tema da evolução da capacidade de aquisição de conhecimento pelo ser humano e chegou a conclusões que atribuem bem mais importância aos processos internos do que aos interpessoais. Vygotsky, que, embora discordasse de Piaget, admirava seu trabalho, publicou críticas ao suíço em 1932. Piaget só tomaria contato com elas nos anos 1960 e lamentou não ter podido conhecer Vygotsky em vida. Muitos estudiosos acreditam que é possível conciliar as obras dos dois. (retirado do site http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/lev-vygotsky-teorico-423354.shtml)



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 03 -  BASES EPISTEMOLÓGICAS DE VYGOTSKY

   Formação social da mente => não buscava descobrir a natureza da mente como uma “colcha de retalhos”, mas com base no pensamente marxista (materialismo) dialético = Engels  e histórico = Marx.

   Princípios:
§                       Os fenômenos devem ser estudados em permanente transformação
§                       Ao transformar a Natureza c/a sua atividade, o homem transforma também a si mesmo
§                       O conhecimento só pode ser construído a partir da essência dos fenômenos (gênese-construção)
§                       A Consciência é determinada pelo modo de vida dos sujeitos
Vytgosky entendia construção da inteligência humana a partir a vertente INTERACIONISTAS => (CORPO + ALMA). Também defendia a complementaridade dos aspectos biológicos e sociais no desenvolvimento humano. È por meio das interações com outros seres que o homem se constrói. E através do trabalho os homens têm construído seus instrumentos.
As características humanas não estão prontas ao nascimento, desenvolvem-se no decorrer da vida.

   Funções Psicológicas Superiores
- capacidade de solucionar problemas
- uso da memória  características tipicamente humanas
- formação de conceitos
- desenvolvimento da linguagem

     Linguagem: Complexo sistema de representações desenvolvido a partir dos gestos e dos sons, a utilização da linguagem, pela criança, constitui um dos meios mais expressivos para a formação da consciência. As experiências históricas dos homens se encontram tanto nas produções materiais como nas verbais. É pelo uso da linguagem e dos símbolos que a criança interioriza o mundo ao seu redor, e por meio dos processos de interiorização dos aspectos culturais, as crianças começam a controlar o ambiente e o próprio comportamento.

     Processo de interiorização como uma “reconstrução interna de uma operação externa” – O desenvolvimento ocorre do social para o individual.

 A forma da criança adquirir conhecimento e consciência é através da participação ativa nos elementos simbólicos da sociedade. A linguagem faz com que a criança aprenda a pensar e falar conforme a sua cultura.
Pensamento e Linguagens são construídos nas interações com outros atores sociais por meio da IMITAÇÃO.


QUESTÕES DA APOSTILA

01 - De acordo com a perspectiva sociointeracionista de Vygotsky, como ocorre a construção da inteligência?
         A construção da inteligência ocorre através da complementaridade dos aspectos biológicos e sociais. Essa teoria considera que é por meio das suas interações com outros seres humanos que o homem se constrói. Em outras palavras, o homem não nasce homem e sim com possibilidades de humanizar-se nas interações que estabelece ao longo da vida.

02 – Para Vygotsky, como a criança interioriza o mundo ao seu redor?
         Para Vygotsky, a criança interioriza o mundo ao seu redor através da linguagem, do uso dos signos e da imitação.

03 – Explique o que Vygotsky quer dizer com “formas típicas de comportamento humano”.  
         Vygotsky considerava que as formas típicas do comportamento humano não estão prontas ao nascimento e se desenvolvem no decorrer da vida. Como formas típicas de comportamento humano temos: a capacidade de solucionar problemas; o uso da memória; a formação de conceitos e o desenvolvimento da linguagem.

***Para Refletir:***
1- Para Vygotsky , quais são as funções superiores psicológicas ?
A capacidade de solucionar problemas; o uso da memória; a formação de conceitos e o desenvolvimento da linguagem.

2- Como Vygotsky caracteriza o processo de  internalização?

Vygotsky (1984, p. 63) caracteriza o processo de internalização como uma “reconstrução interna de uma operação externa”. Ou seja: a humanidade está sempre em constante movimento de recriação e de reinterpretação de conceitos e significados. Oliveira (1997) considera que a cultura é um “palco de negociações” em que os sujeitos compartilham idéias e conhecimentos e reelaboram significados. Portanto, quando os indivíduos se apropriam da cultura de seu povo, não o fazem de forma passiva e estática.
As atividades externas vão sendo absorvidas internamente, ao que Vygotsky denomina processos interpsicológicos, e também vão sendo reapresentadas em processos intrapsicológicos. Dessa maneira, Vygotsky considera que o desenvolvimento ocorre do social para o individual. Nesse processo, a linguagem exerce
um papel expressivo na constituição das pessoas.
Portanto, pode-se verificar que a forma da criança adquirir conhecimento e consciência é através da participação ativa nos elementos simbólicos da sociedade. A linguagem faz com que a criança aprenda a pensar e falar conforme a sua cultura. O pensamento e a linguagem são construídos nas interações com os outros sociais e pela imitação.

3 - Qual é a teoria cognitiva de Vygotsky?
         Vygotsky foi advogado e filósofo russo, mas a área a qual se dedicou que mais nos interessa foi a psicologia. Sua teoria começou a ser elaborada em 1917 e teve embasamento no Marxismo, sendo que ele acreditava que nenhuma das escolas de psicologia da época conseguiam esclarecer os processos psicológicos humanos. Criticou a idéia de que para compreender as funções psicológicas humanas devia-se partir de princípios da psicologia animal, e também as teorias que acreditam que as funções cognitivas do homem dependem apenas de maturação. Destacou as origens da linguagem e do pensamento, e demonstrou como a cultura torna-se parte da natureza humana. Construiu sua teoria tendo por base o desenvolvimento do indivíduo como resultado de um processo sócio-histórico, enfatizando o papel da linguagem e da aprendizagem nesse desenvolvimento, sendo essa teoria considerada histórico-social. Sua questão central é a aquisição de conhecimentos pela interação do sujeito com o meio. Para que esta interação se efetive, viu a necessidade se criar o que ele chamou de ZDP - (Zona de Desenvolvimento Proximal), ou seja: distância entre o nível de desenvolvimento real, determinado pela capacidade de resolver um problema sem ajuda, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através de resolução de um problema sob a orientação de um adulto ou em colaboração com outro companheiro. Quer dizer, é a série de informações que a pessoa tem a potencialidade de aprender mas ainda não completou o processo, conhecimentos fora de seu alcance atual, mas potencialmente atingíveis. Trocando em miúdos: aprender com um igual ou outro parceiro mais experientes.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 04 -   O PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO

Como se dá a caminhada do indivíduo de sua infância até a vida adulta?
Esta é uma das respostas que buscamos nesta aula para isso faremos uma análise das características comportamentais entre animais e humanos  usando a obra e o pensamento de  Vygotsky. Para discutir características tipicamente humanas, VYGOTSKY analisou o comportamento animal e a diferença entre os comportamentos é encontrada em suas obras

 Traços do comportamento tipicamente humano:
        Qualquer comportamento animal conserva uma ligação direta com motivos biológicos (instinto)
        O comportamento humano não é determinado por estímulos imediatos
        Existem diferenças nas fontes do comportamento do homem e do animal

Algumas reações humanas são instintivas, mas também podem ser culturalmente elaboradas.
A vida em grupo trouxe desafios de sobrevivência => criação de instrumentos que lhes permitissem modificar profundamente sua relação com o ambiente natural.


Filogênese: comportamentos humanos correspondentes a história da evolução das espécies. A Filogênese diz respeito à história de uma espécie animal. Todas as espécies animais têm uma história própria e essa história da espécie define limites e possibilidades de funcionamento psicológico. Então, têm coisas que somos capazes de fazer e outras que não somos capazes de fazer. Por exemplo, somos bípedes, ternos as mãos liberadas para outros tipos de atividades, tem uma determinada conformação da mão, que permite movimentos finos, em pinça, por exemplo, que é uma coisa particular da espécie humana, muito importante. Ternos a visão por dois olhos, que é a visão binocular. Então, ternos uma série de características do corpo humano, do organismo, que vão servir de fundamento para o funcionamento psicológico depois.

Ontogênese: comportamentos de cada ser dentro da sua espécie. São características adaptativas da pessoa diante do social.

Inteligência prática: faz com que o ser humano desenvolva habilidades diferenciadas em relação a muitos animais, essas habilidades ainda são compartilhadas por animais mais evoluídos (macacos)

O sistema de atividade da criança é determinado em cada estágio, tanto pelo seu desenvolvimento orgânico quanto pelo grau e domínio no uso de instrumentos. “Maturação biológica e Maturação intelectual”

CULTURA:
Pode ser definida como produto da ação intencional dos homens, o resultado da construção que se vale da criação de instrumentos e o ato de deixar marcas e representações sobre o mundo natural; Experiência do homem vivida pelo meio em que está inserido.

        O homem é um ser social => o desenvolvimento do psiquismo humano se dá em base a uma crescente apropriação dos modos de agir, pensar, sentir, culturalmente elaborados
        A apropriação da cultura só é possível a partir do contato social
        A teoria histórico-cultural propõe que o desenvolvimento das crianças ocorre em determinados ambientes físico-sociais historicamente elaborados.

SIGNIFICAÇÃO:
Quando transforma o movimento em gesto => com a significação => passa a ter significado.


QUESTÕES DA APOSTILA

1. O que são comportamentos instintivos? Cite exemplos?
 Comportamentos instintivos são comportamentos ativados em situações de ameaça, fome, sobrevivência, emoção e medo. Exemplos de comportamentos instintivos são: reagir a um assalto, sentir arrepio frente a um vento frio e uma mãe que tenta proteger o filho de um afogamento.

2. Vygotsky considerava que os comportamentos humanos correspondentes à história da evolução das espécies são chamados de foligenese. Explique.
         O fato de o homem se tornar bípede e usar as mãos são características que foram se impondo ao longo da história. Esse aspecto permitiu ao homem desenvolver a coordenação motora fina e o movimento de pinça, que possibilita a escrita. Outra característica da filogênese humana diz respeito à flexibilidade do nosso cérebro, que permite que ele se adapte às mais variadas situações. O homem não possui um cérebro predeterminado geneticamente ao nascer. Ele se desenvolve partir da maturação biológica e da interação com o meio social.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 05 -  FUNÇÃO DO INSTRUMENTO, DO SÍMBOLO E DA LINGUAGEM NO DESENVOLVIMENTO HUMANO

A cultura e a criação de objetos culturais são marcas da transformação da realidade natural. Quando a criança nasce está biologicamente imatura =>controle do tronco e da cabeça => com o seu desenvolvimento, através de ações corporais, vai construindo imagens mentais das características físicas dos objetos e percepção associadas aos sentidos.
Os objetos culturais (brinquedos) têm como principal função o estímulo às áreas cerebrais, para que elas possam se desenvolver. Interagindo com esses objetos, a criança sente e percebe suas formas.
A criança tem um cérebro pronto para receber o conhecimento  - “Se humanizar” -

A FUNÇÃO INSTRUMENTAL
Não basta ofertar o brinquedo à criança, é necessário estimulá-la chamar sua atenção para esses objetos. (O caminho criança até o objeto e vice-versa passa por outra pessoa). Os objetos permitem às crianças tanto conhecer suas próprias características, como estabelecer vínculos  entre o adulto e ela, fortalecendo os aspectos afetivos.

O PAPEL DA LINGUAGEM E DA FALA NO DESENVOLVIMENTO HUMANO
A linguagem verbal e a escrita são características essencialmente humanas.
O surgimento do pensamento verbal e da linguagem como sistemas de signos é um momento crucial do desenvolvimento da espécie humana, em que o biólogo se transforma no sócio cultural.
Com o passar do tempo, a criança passa a IMITAR a mãe. A imitação é um processo complexo, pois é preciso se colocar no lugar no lugar do outro, interiorizar os gestos, os sons e os significados. “As crianças resolvem suas atividades práticas com a ajuda da fala, assim como dos olhos e das mãos”.
Os desenvolvimentos da fala manifestam-se por meio da fala egocêntrica => as vocalizações estão voltadas para ela mesma.
Quando conseguem usar a linguagem para pedir ajuda, considera-se que atingiram a fala socializada.
O momento em que a criança produz a sua própria linguagem é o “momento de maior significação do desenvolvimento intelectual, acontece quando a fala e a atividade prática convergem” Neste momento, além de usar a fala como planejadora da ação, consegue utilizar a linguagem como ORGANIZADORA de sua própria atividade. (quando começam a utilizar a linguagem para auxiliar no plano de ação de que desejam realizar)
“Quando a criança é pequena, a fala acompanha as suas ações, quando a criança cresce, a fala PRECEDE a ação”.
Quando a criança passa a utilizar a linguagem como instrumento do pensamento, passam a PENSAR antes de falar e já não DIZEM tudo o que pensam => PROCESSO DE AUTO – REGULAÇÃO.

QUESTÕES DA APOSTILA

1. Qual estágio representa um momento expressivo do desenvolvimento do bebê?
         No bebê, o controle da cabeça e do tronco é um momento significativo do desenvolvimento humano. Quando o bebê começa a se arrastar e consegue ir ao encontro dos brinquedos que procura, aos poucos ele vai conseguindo conter seus reflexos involuntários e começa a desenvolver o sistema de preensão com as mãos. No momento em que ele consegue se sentar, novas possibilidades interativas vão surgindo no ambiente.

2. O brinquedo foi um instrumento elaborado historicamente para criança brincar e também traz modas aparentes nas suas representações. Descreva os significados simbólicos dos brinquedos:
a) boneca Barbie;
b) boneca Africana.
Como esses podem ser usados na educação?
A boneca Barbie representa simbolicamente a sociedade norte-americana e seus valores, assim como a boneca africana traz representações culturais de seu povo. Esses brinquedos podem ser usados na educação para se discutir as características de cada sociedade e as implicações dos simbolismos expressos nesses brinquedos.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 06 -  A FORMAÇÃO DOS CONCEITOS ELEMENTARES

Descobrindo gradativamente a linguagem como um instrumento simbólico que lhe permite interagir, a criança percebe que não precisa mais experimentar fisicamente todos os objetos, pois agora ela tem a linguagem que lhe permite tomar posse da experiência do outro para construir as suas representações. Para construir representações sobre o mundo ao seu redor, ela precisa interagir com esse “mundo”.

1- OS SUJEITOS DE INTERAÇÃO COMO MEDIADORES DE CONCEITOS
MEDIAÇÃO => a relação da criança com uma informação recebida não é uma relação direta, mas uma relação MEDIANA pelo adulto.
“A linguagem está presente no universo da criança desde o nascimento. Auxiliada na descriminação central e do irrelevante, a criança pode posteriormente ser capaz de exercê-la sozinha”. Assim vai construindo significados a partir de interações mediadas por adultos. A criança pergunta para entender o que o outro representa e o uso dos objetos para ela mesma construir a sua representação do objeto.

PAPEL DE MEDIAÇÃO
                 função indexical => o signo está preso ao objeto (a criança aponta, mostra e pede o nome como forma de representar internamente o objeto)
                 função simbólica => em que o objeto está internalizado e o sujeito pode manifestar seu uso e sua função a partir desse conceito internalizado

“É por meio dos signos que as pessoas representam objetos.”

2 - A TOMADA DE CONSCIÊNCIA PELA CRIANÇA DA ORGANIZAÇÃO SOCIAL:

Esses processos de constituição de significados se sentidos são construídos em interações (objetos) => trocas de quem tem o significado, o que significa e a criança => ocorrendo uma mediação.

ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL (ZDP) é a distancia entre o nível de desenvolvimento real, que se costuma determinar através da solução independente de um problema e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob a orientação de um mediador.

Na escola, o desenvolvimento é o aprendizado sistematizado, pois a criança já está aprendendo antes de ir a escola.
3 níveis de desenvolvimento:
1 - Nível de desenvolvimento real => não depende da idade cronológica, depende das condições sociais, econômicas e biológicas. Varia de cultura para cultura. É mediado por meio de forma e da capacidade das pessoas para resolverem seus problemas sozinhas.
2 - Nível de desenvolvimento potencial => representa a potencialidade da pessoa, ou seja, o que ela é capaz de fazer
3 - Nível de desenvolvimento proximal => zona desenvolvimento real + zona desenvolvimento potencial => representa a maneira compartilhada de construção de conhecimentos.

 O professor não é o único mediador do processo educacional e na construção de conceitos.
A ZDP auxilia as pessoas a terem autonomia na resolução de seus problemas. Uma ação, quando realizada com a assistência de uma amigo, pode ser realizada de forma solidária no futuro. AS INTERAÇÕES SOLIDÁRIAS PROMOVEM NOVAS AÇÕES.


3 - O PAPEL DA LINGUAGEM NA ESTRUTURAÇÃO DO PENSAMENTO INFANTIL

LINGUAGEM => instrumento de socialização e constituição de um modo de agir cada vez mais próximo ao modo de agir dos adultos à sua volta.

As crianças necessitam de INTERAÇÕES e DIÁLOGO com os pais.

“A fala egocêntrica acompanha a atividade da criança começando a ter uma função pessoal, ligada as necessidades do pensamento. È utilizada como apoio ao planejamento de seqüências a serem seguidas, como auxiliar na solução de problemas”.

O processo de desenvolvimento caracteriza-se como o domínio do uso de instrumentos e a combinação de instrumentos e signos para a realização de atividades psicológica conforme vai crescendo, a criança vai se aperfeiçoando sua linguagem, seus métodos de memorização na construção de conceitos.

QUESTÕES DA APOSTILA

1. Por que os signos são considerados instrumentos psicológicos na teoria de Vygotsky?
         Os signos são considerados instrumentos psicológicos na teoria de Vygotsky porque tornam presente o que está ausente e auxiliam na memória.

2. Qual o significado da zona de desenvolvimento proximal (ZDP) na teoria de Vygotsky? Cite um exemplo.
         A zona de desenvolvimento proximal é a forma compartilhada de construir conhecimentos e auxiliar as pessoas na resolução de seus problemas. Um exemplo é quando um amigo de sala de aula auxilia o outro na resolução de um problema matemático.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 07 -  A FORMAÇÃO DE CONCEITOS CIENTIFICOS       

O desenvolvimento humano é um processo multideterminado por diferentes fatores que levam a compreensão do movimento social, sempre em expansão e em constante produção de novos conhecimentos e necessidades.

A medida que a criança vai ganhando autonomia com o uso da linguagem, vai precisando de mais participação da linguagem do outro, com a sua diversidade conceitual.

Diferenças entre conceitos elementares e os conceitos científicos.

A forma como categorizamos o mundo é decorrência de nossas ações e da aprendizagem das palavras.

Uma palavra pode representar diferentes objetos dentro de uma mesma categoria (ex: animal doméstico x não doméstico) => existe uma categorização e uma generalização. Quando a criança consegue exercer esse raciocínio, o conceito elementar de animais se transforma em conceito científico.
A escola deve promover ações para as crianças terem acesso à categorizações e ao conhecimento científico com o objetivo de ampliar seus conceitos r a dimensão das palavras.

O PAPEL DA ESCOLA E OS CONCEITOS CIENTIFICOS

ESCOLA[2] - elemento sistematizador de novas relações da criança com o mundo. È um espaço em que as apropriações de uma sociedade podem ser classificadas e ordenadas. A escola ensina saberes necessários para a participação social.
A construção dos conceitos é construída pela troca simbólica entre o detentor dos saberes e a criança. È necessário um MEDIADOR  do conhecimento social. A criança é um sujeito ativo que deverá ser instigado a perguntar e a experimentar as diferenças entre os seus conhecimentos e os escolares.
A escola deve buscar conhecimentos relevantes a serem transmitidos, mas não pode esquecer das BRINCADEIRAS, pois os conteúdos devem ser transmitidos e estarem inseridos no universo infantil.

DIFERENÇA ENTRE ESCOLA E EDUCAÇÃO => Vygotsky não considerava que a escola fosse o único lugar legitimo para a transmissão construção de conhecimentos. Na escola as relações de conhecimento são intencionais e planejadas. A criança sabe que vai para a escola para aprender. O professor orienta, apresenta conhecimentos de forma sistematizada etc. O aluno procura incorporar esses comportamentos escolares, vai interiorizando formas de agir, pensar e raciocinar com os moldes escolares.

O professor faz junto, demonstra, fornece pistas, instrui, dá assistência, infere na ZDP de seus alunos colaborando para a elaboração de um desenvolvimento (FONTANA,CRUZ, 1997)

Oliveira (1996) considera que Vygotsky possuía 3 idéias básicas sobre o desenvolvimento e aprendizagem

NA ESCOLA O CONHECIMENTO DEVE SER OBSERVADO DE MANEIRA PROSPECTIVA: o desenvolvimento do aluno deve ser olhado para além do que ele é capaz de fazer. Professores devem provocar os alunos para se adiantarem no seu processo de desenvolvimento.

PROCESSOS DE APRENDIZAGEM MOVIMENTAM OS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO: a aprendizagem ocorre de fora para dentro, a partir das estimulações. Determinadas habilidades sociais são transmitidas culturalmente e dependem de cada país para repassá-las as novas gerações.

A IMPORTANCIA DA ATIVAÇÃO DOS OUTROS MEMBROS DO GRUPO SOCIAL NA MEDIAÇÃO ENTRE CULTURA E O INDIVIDUI NA PROMOÇAÕ DOS PROCESSOS INTERPSICOLOGICOS QUE SERAO POSTERIORMENTE INTERDITADOS. Não basta os alunos estarem na escola se os professores não promovem o desenvolvimento.

O ensino só é efetivo e eficaz quando se adianta ao desenvolvimento => qualidade do trabalho pedagógico está diretamente relacionada a promoção de avanços da ZDP.


QUESTÕES DA APOSTILA

1. Qual o significado da escola para a sociedade?
         A escola é criação social e representa um espaço em que as apropriações comuns de uma sociedade podem ser ordenadas e classificadas de acordo com a utilidade e a significação dos conceitos sociais, desde que essas apropriações tenham relevância para o desenvolvimento da criança, sendo utilizadas como ferramenta da interação da criança com o grupo social.
Assim, a escola representa os saberes necessários para a participação social, constituídos a partir da realidade conceitual apropriada pelas crianças dessa comunidade e organizados de modo sistemático ou científico, o que é comprovado por meio de sua utilidade social para a participação do sujeito nos mais diferentes segmentos sociais.

2. Qual era o pensamento de Vygotsky em a relação entre escola e educação?
         Na escola as relações de conhecimento são intencionais e planejadas. A criança sabe que vai para a escola para aprender. O professor, por sua vez, orienta a criança, apresenta os conhecimentos de forma sistematizada, chama a atenção para a diversidade de aspectos que os conceitos apresentam, ensina a criança a ler, a escrever, a utilizar-se dos instrumentos e materiais escolares e a comportar-se nesse novo ambiente. Enquanto aluno, a criança também procura incorporar esses comportamentos escolares. Ela vai interiorizando formas de agir, pensar e racionar de acordo com os moldes escolares.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 08 -  O DESENVOLVIMENTO MENTAL SEGUNDO PIAGET        

CONTEXTUALIZAÇÃO DA OBRA DE PIAGET

Todo o trabalho de Piaget é influenciado pela sua história, nasceu na Suíça em 1896, faleceu em Genebra em 1980, viveu um período de grandes transformações.
O comportamento investigativo desde a infância foi resultado de uma influencia paterna e dos conflitos que tinha com a mãe. Foi um adolescente que se dedicou a filosofia preocupado em conciliar FÉ e a ciência da razão.
Ao terminar o ensino médio, foi a faculdade fazer Doutorado em Biologia, especializando em FILOSOFIA BIOLOGICA , com 2 idéias centrais:

1 – todo o organismo possui uma estrutura permanente que pode modificar-se sob as influências do meio, mas sem nunca destruir a sua estrutura => ASSIMILAÇÃO

2 – os fatores normativos do pensamento correspondem a uma necessidade de EQUILIBRIO por auto-regulação.

Acabando seus estudo biológicos, foi buscar na psicologia uma possibilidade de análise cientifica para onde está a fronteira entre o que a reflexão permite alcançar e os fatos que obrigam a retificar ? (como conciliar a epistemologia com a ciência)

Foi para o laboratório de psicologia experimental de Benet para trabalhar na padronização de testes psicológicos.

A DESCOBERTA DE PIAGET
Ao desempenhar a tarefa no laboratório de Benet, descobriu que se analisam os erros, ao invés de simplesmente classificar as respostas, poderá estar mais próximo de uma forma de estudar o conhecimento sobre as coisas. Interessou-se pelo o FRACASSO dos alunos, por quais razões eles não atingiam o êxito. Elaborou uma entrevista clinica que lhe permitia explorar os raciocínios das crianças para entender a lógica das suas respostas. Centrou seus sobre a gênese do pensamento, e para entender a origem do pensamento, pesquisou a trajetória da aquisição do conhecimento. Descobriu que AÇÃO, CONHECIMENTO E LOGICA são INDISSOCIAVEIS.

O conhecimento é resultado da experiência e da interação do sujeito com o meio, é uma troca.

O MODELO PIAGETIANO

Piaget considera que as categorias do conhecimento não estáticas, mudam durante o ciclo do desenvolvimento => através de método clínico, observou como as crianças pensavam. Ele conversava com as crianças, fazia perguntas e observava as suas ações e as respostas. Seus primeiros estudos foram através da observação de seus 3 filhos, criou a EPISTELOLOGIA GENETICA => (gênese do conhecimento)

Epistelomogia genética => esse método de pesquisa possibilitou a criação de uma grande número de situações experimentais, que pesquisaram os pensamentos desde a idade criança até os adultos.



MODELOS BÁSICOS

- a criança nasce coma as estruturas biológicas e sobre elas que o intelecto se desenvolvera
- a inteligência não é herdada geneticamente mas necessita de estímulos para conseguir o intelecto

- PRINCIPIO DA AÇÃO NA CRIANÇA => definindo que a noção de conservação não é ensinada pelos adultos, mas através da experiência a ação é a fonte do conhecimento.

- assimilação => incorporação orgânico biológico de elementos estranho ao organismo que são relaborados, modificados em função das estruturas orgânicas que o assimilam.

- acomodação => a ação do objeto sobre o sujeito, modificação que o sujeito experimenta em virtude de um objeto.

- adaptação => é a resultante entre esse interjogo de assimilação e acomodação e tem doses variáveis de um e de outro.

- esquemas de ação elementares => é o processo de organização das estruturas, unidades básicas do pensamento . Os esquemas sofrem constantes modificações.

O processo de construção do conhecimento é um processo de desiquilibrações, assimilações, acomodações e adaptações de estruturas. As velhas estruturas vão sendo modificadas diante de novas estruturas que são incorporadas.

O processo de auto regulação busca sempre o EQUILIBRIO, e é por meio deste equilíbrio que são constituídos novos conhecimentos. Porém o equilíbrio não consiste em um estado de conhecimento superior, mas sim a superação do mesmo.

A inteligência não começa nem pelo conhecimento do EU e nem pelo conhecimento das COISAS, mas pelo conhecimento de sua interação e orientando-se aos dois pólos dessa interação. A inteligência organiza o mundo organizando – se a si mesma (PIAGET)

QUESTÕES DA APOSTILA

1. Resuma a vida de Piaget descrevendo quais foram os motivos que o levaram ao interesse pela Psicologia.
         Piaget nasceu na Suíça, em Neuchatel, no ano 1896. Faleceu em Genebra no ano 1980. Ele viveu um período de virada de século e de grandes transformações. Seus 84 anos de vida permitiram que deixasse para a humanidade uma extensa obra científica. O seu comportamento investigativo desde a infância foi resultado de uma influência paterna e de conflitos que possuía com sua mãe, o que o fazia com que ele se afastasse das atividades da infância e se dedicasse aos estudos. Aos 11 anos realizou um trabalho científico sobre os moluscos. Na universidade ele cursou Biologia. Depois foi estudar Psicologia, pois, o seu interesse estava voltado para investigar como ocorre a construção do conhecimento

2. No desenvolvimento infantil, busque exemplos de situações reais em que a criança tem uma compreensão do mundo diferente do adulto – por exemplo, a criança que chora quando a mãe se esconde atrás do lençol, pensando que a mãe sumiu.
         A criança não tem noção de parentesco: não sabe quem é o pai do pai e irmão do avô. A criança não sabe por que é mais velha dos irmãos e faz aniversário em dezembro.



[1] Ação mútua (agem juntos)
[2] Instrumento humanizador




PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 09 – ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO DA TEORIA PIAGETIANA

A criança está em constante processo de aprendizagem, construindo-se pelas interações com osOBJETOS, deste modo a psicologia passou a levar em conta o MODO como a criança aprende.
A compreensão dos estágios do desenvolvimento pelos professores os auxilia na construção de usas práticas pedagógicas

1. O QUE SÃO ESTAGIOS
Piaget considera que o desenvolvimento cognitivo das pessoas obedeceu a uma ordem de estágios. A sua proposta é entender como as crianças constroem conhecimentos para que as atividades de ensino sejam apropriadas ao nível de desenvolvimento das crianças.

DESENVOLVIMETO: é um processo de sucessivas equilibrações, e esse desenvolvimento é caracterizado por determinadas formas de pensar e agir em diferentes idades. Cabe lembrar que o processo de desenvolvimento
implica mudanças e o professor também precisa se ater a esses aspectos. Piaget dividiu o desenvolvimento em estágios para entender as particularidades das etapas vivenciadas por crianças e adolescentes.

Os estágios definidos como 04:   
1.                     SENSÓRIO MOTOR 
2.                     PRÉ-OPERACIONAL
3.                     OPERACIONAL CONCRETO
4.                     OPERATÓRIO FORMAL






Esses estágios são sucessivos e seguem essa ordem. O primeiro é uma preparação para o seguinte e a transmissão deles ocorre naturalmente. Cada estágio apresenta características distintas.

Critério para delimitação da passagem de um estágio para outro

§                       Precisam ocorrer em ordem
§                       Aparição de estruturas originais, as estruturas que funcionavam no estágio anterior são substruturadas dos outros estágios
§                       As estruturas são regidas por leis de totalidade
§                       Cada estágio tem um percurso – inicio – meio e fim (preparação e acabamento)
§                       Diz respeito ao processo de gênese e equilíbrio (movimento passagem de um estágio para outro).

1º ESTAGIO SENSO – MOTOR
Inicia-se ao nascimento e segue ao longo dos dois primeiros anos. Nesse período as crianças terão uma inteligência pratica centrada na percepção e no motor. A consciência começa por um egocentrismo (Percebemos, portanto, que nessa etapa, o individuo está, paulatinamente, trabalhando na formação da noção do eu e na diferenciação dos objetos. Dessa forma, a criança dá início à construção dos esquemas sensório-motores a partir de alguns poucos reflexos hereditários) até que os progressos da inteligência sensório motor levem a construção de um universo objetivo, onde o corpo aparece como um elemento. Ela dá inicio a construção de esquemas sensórios motores a partir de reflexos, logo é importante nesta fase a criança ser estimulada a interagir com diferentes objetos/brinquedos.
Nessa fase as crianças gostam de realizar movimentos repetitivos  *reações circulares*. O desenvolvimento é apoiado nos exercícios dos aparelhos reflexos e a principal característica é a inteligência pratica. O instrumento da inteligência é a percepção. No fim dessa fase começa o aparecimento da função simbólica.
A partir da construção dos esquemas pela transformação da sua atividade sobre o meio, a criança vai construindo e organizando noções, organizando a realidade. Isso se deve, em parte, pela conquista da noção da permanência do objeto. Por isso, é muito importante que nessa fase a criança seja estimulada a reconhecer
e interagir com diferentes objetos no seu entorno. É preciso que o bebê conviva com diferentes brinquedos, com objetos, para que possa pegar sacudir, morder e beliscar. Geralmente, nesse período, as crianças gostam de executar exercícios repetitivos, o que Piaget denomina de reações circulares. O bebê bate rias vezes no móbile do berço para observar a mudança do seu movimento. Outro aspecto que também é possível evidenciar está nas diferentes maneiras com que a criança atrai os brinquedos para si e também suas diferentes maneiras
de encontrá-los. Esse processo ocorre quando ela possui a noção do objeto permanente. Nessa fase, a criança procura objetos escondidos e manifesta curiosidade em deixar objetos caírem no chão para observar a queda.

2º ESTAGIO PRÉ-OPERATORIO
Momento marcado pelo aparecimento da linguagem oral inicia-se a capacidade de representar uma  coisa por outra (simbolismo). O raciocínio marcado pelo EGOCENTRISMO. O pensamento é marcado por um misto de fantasia e realidade.
O animismo (atribuir vida as coisas) e o artificialismo (atribuir ao homem a criação de fenômenos naturais) estão presentes. O egocentrismo aparece no aspecto social, não conseguem se colocar ou perceber o ponto de vista do outro. A linguagem terá características especiais, combinará coerência e imaginação.

3º ESTAGIO OPERATORIO CONCRETO
Em torno do sétimo ano de vida, o estágio operatório concreto passa a manifestar-se coincidindo com o inicio da fase de escolarização. O declínio do egocentrismo é mais evidente. Nesta fase o pensamento lógico, objetivo adquire preponderância, as noções que são internalizadas vão tornando-se mais flexíveis. A criança é capaz de construir um conhecimento mais compatível com a realidade. O pensamento dominante é o operatório porque ele é reversível, o sujeito pode retornar mentalmente ao ponto de partida.
Já conseguem classificar objetos de acordo com a cor, a forma e o tamanho. Também tem noção de classe.
Período operatório concreto vai dos 7 aos 12 anos. Já compreendem relações matemáticas. As interações precisam ser trabalhadas a partir do concreto.

4º ESTAGIO OPERATIORIO FORMAL
O estagio das operações formais apresenta características bem próximas aos dos adultos. Por volta dos 12 anos vão se distanciando das operações concretas. A necessidade da presença do objeto vai sendo substituída por hipóteses e deduções. O objeto vai sendo substituído pelo pensamento formal, assim começa a operar apenas com a imaginação e o pensamento formal. Seu pensamento assume um caráter hipotético dedutivo.
Compreende a faixa de 11/12 aos 15/16 anos, logo essa fase envolve crianças, pré-adolescentes e adolescentes. Uma das características mais importantes no pensamento é a mobilidade / flexibilidade.
Nesta fase, o jovem começa a elaborar de forma mais abstrata conceitos de política, ética, respeito, amor. A vida social é em grupo.









QUESTÕES DA APOSTILA

1. Por que os professores precisam estar atentos aos estágios do desenvolvimento de seus alunos?
            Os professores precisam estar atentos aos estágios do desenvolvimento porque a compreensão desses estágios auxilia na construção de suas práticas pedagógicas. No cotidiano do seu trabalho, o professor precisa realizar planejamento de suas aulas levando em conta as adaptações dos conteúdos às necessidades referentes à faixa etária das crianças e as suas capacidades de raciocínio.

2. Para Piaget, de que forma o desenvolvimento das noções de moral e respeito começam a se manifestar no período operatório concreto?
            Nesse estágio, as crianças começam a colaborar mais efetivamente com os colegas em trabalhos em grupo, exercitam mais a reflexão e possuem um sentimento maior de justiça, responsabilidade, respeito e fidelidade grupal.


PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 10 –  O DESENVOLVIMENTO DA INTELIGENCIA

Piaget considera que o desenvolvimento da inteligência ocorre por meio da interação do sujeito com o objeto. “O conhecimento surge da ação do sujeito cognoscente (aquele que conhece) com o objeto cognoscível (aquilo que pode ser conhecido)”. Alguns aspectos que favorecem o desenvolvimento da inteligência , dependem de 3 fatores :

Fatores de Ordem Genética - associados aos aspectos biológicos do homem, dependem de sua genética (sistema vascular, respiratório, etc); Fatores parcialmente influenciáveis pela genética - associados as influencias genéticas e ambientais; Fatores que independem da genética - aspectos que independem da genética, que ele aprende com o meio social.
Vale ressaltar outros aspectos para a composição da inteligência como a maturação, relação do homem com os objetos, transmissão social e processos de equilibração

I – Fatores de Desenvolvimento
Há fatores internos do sujeito e fatores de interação do sujeito com a realidade. Existem fatores influenciadores (hereditariedade, maturação biológica) e os fatores determinantes (processos de equilibração).
“A inteligência não herdamos. Herdamos um organismo que vai amadurecer em contato com o meio ambiente.Desta interação resultarão estruturas cognitivas que irão funcionar para toda a vida”.
Para o desenvolvimento da inteligência, o individuo precisa ter condição biológica e uma estrutura para integrá-lo ao meio (processos adaptativos) => PROCESSOS INVARIANTES.
A equilibração é o fator essencial e determinante no desenvolvimento do sujeito no processo de adaptação ao meio em que vive.

II- APRENDIZAGEM E CONHECIMENTO
Os processos filogeníticos de construção do conhecimento são processos herdados de outras gerações. Porem a maneira tal que cada pessoa utiliza as mãos e aprende é considerado um processo ONTOGENICO.
O conhecimento resulta das ações  e interações do sujeito no ambiente em que vive. O conhecido resulta de uma inter relação do sujeito que conhece com o objeto a ser conhecido.
A aprendizagem e o conhecimento possuem sentidos amplos e restritos :
* aprendizagem no sentido amplo => adaptação
* aprendizagem no sentido restrito => aquisição
* conhecimento no sentido amplo => inteligência adaptativa
* conhecimento no sentido restrito=> Às nossas experiências aprendizagem e conhecimento se inter relacionam

III - TIPOS DE EXPERIÊNCIA => diferentes tipos :
a. experiência física : agir sobre os objetos. O sujeito age sobre o objeto e pela abstração das ações que exerce sobre os objetos descobre as propriedades físicas do mesmo
b. experiência lógico-matematica : diz respeito às experiências que a pessoa conquista em sua ação sobre os objetos . se relaciona com as propriedades das ações e não apenas com o objeto
c. experiências físicas : organização cultural de uma sociedade

IV - DESENVOLVIMENTO MORAL “toda a moral consiste em um Conjunto  de regras e a essência da moralidade deve ser processada no respeito que o individuo tem por essas regras.

Considera que a evolução da consciência das regras pode ser dividida em 3 etapas:
ANOMIA => até 6 anos, quando não conseguem seguir as regras coletivas -> egocentrismo
HETERONOMIA =>quando há interesse em participar de atividades coletivas – 2 manifestações possíveis:
As regras são consideradas criações dos Deuses e não podem ser modificadas senão ocorre a TRAPAÇA
O jogo mostra-se LIBERAL  e suas regras são modificadas ou desconsideradas
AUTONOMIA => consideração adulta de um jogo.
O dever moral só será possível a partir da HETERONOMIA.
Um ponto importante a ser considerado na construção da moral diz respeito às relações intermediarias:
- COAÇÃO  => imposição da forma de pensar
- RECIPROCIDADE => cooperação, autonomia e construção da democracia







Questões da Apostila
1. Piaget considerava que a inteligência era herdada geneticamente? Justifique.
Piaget considerava que a hereditariedade influenciava no desenvolvimento, mas era insuficiente para explicá-lo. Ele considerava que nós herdamos geneticamente a inteligência. Nós possuímos um organismo que amadurece em contato com o ambiente.

2. Qual a definição de Piaget para as experiências físicas das crianças?
A experiência física é entendida como toda a experiência que resulta das ações materiais sobre os objetos. É quando o sujeito, ao agir sobre os objetos, abstrai das suas ações, as propriedades físicas e as propriedades observáveis desses objetos.


PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 11-  WALLON E A PSICOLOGIA GENÉTICA

*ASPECTOS BIOGRÁFICOS

- Henri Wallon nasceu na França em 1879 e morreu em 1962.
- Na 1ª guerra mundial foi medico e na 2ª participou da resistência.
Acreditava que a escola deveria assumir um papel democrático, solidário e sem preconceitos.
- Em 1903 aos 24 anos tornou-se prof. de filosofia e formou-se em medicina em 1908 e até 1931, atuou como médico em hospitais psiquiátricos, onde se dedicou ao cuidado de crianças  com deficiências neurológicas e distúrbios de comportamento.
- Em 1925 fundou um laboratório para crianças anormais, Wallon concebia o homem como um ser biologicamente social.
- Psicologia e Pedagogia apresentam uma proposta de reforma de todo o sistema educacional Frances no pós-guerra, e suas idéias são tão avançadas que foi apenas parcialmente realizada
- Propunha formação integral para os professores para democratizar a educação e favorecer ao máximo as potencialidades dos sujeitos e investir na educação.
-Estudou a relação entre os ferimentos neurológicos e o comportamento dos sujeitos e percebeu que a base biológica alterada mudava o comportamento dos sujeitos

*METODO
Considerava a pessoa como um ser integral e preocupava-se em compreender os processos que tornavam uma criança em pessoa. Elaborou um método: A análise genética, trabalho multidimensional que consiste em uma serie de comparações entre diferentes realidades para esclarecer o processo de desenvolvimento. O fenômeno é analisado em diferentes dimensões. Quando o sujeito age sobre o meio, está realizando ações exteroceptivas e quando ele retira situações do meio p/analisar está realizando ações interoceptivas, integrando os aspectos cognitivos e afetivos dos sujeitos.

* FUNDAMENTOS EPISTEMOLOGICOS
A partir dessa base metodológica construí alguns pressupostos de sua teoria:

1.                     A pessoa está continuamente em processo 
2.                     Em cada instante desse processo, a pessoa é uma totalidade resultante da integração dos conjuntos motores, afetivo e cognitivo.
3.                     A existências individuais e sociais estão marcadas pelas situações históricas corretas em que acontecem.
4.                     A concepção é a de um  desenvolvimento em aberto,  em processo , sempre em movimento o que não elimina regressões e conflitos
5.                     - na passagem de um estágio p/outro, ocorrem crises advindas das atividades já adquiridas com as novas solicitações do meio. A solução significa a passagem p/um novo estágio.
6.                     - para Wallon a criança já nasce um ser social, pois está em constante negociações para conseguirem o que  querem
7.                     - no desenvolvimento motor há destaque para o processo de maturação biológica e a estimulação no desenvolvimento da motricidade dos bebês.
O desenvolvimento motor é CEFALO-CAUDAL (cabeça para os pés ) e PRÓXIMO-DISTAL (tronco para os membros)
Considera que o desenvolvimento psicológico ocorre em processos de interação e diferenciação, onde ora se identifica, ora se diferencia
Considera a emoção como um processo coletivo, pois as pessoas choram ou sorriem em relação a alguém ou algo.
- A RAZÃO NASCE DA EMOÇÃO E VIVE DA SUA MORTE  (quando as pessoas estão emocionalmente envolvidos com uma situação, não conseguem raciocinar, mas quando se distanciam do fato, conseguem resolver os problemas) RAZÃO E EMOÇÃO caminham juntas, se completam
- vê os conflitos como propulsores do desenvolvimento e as crises são importantes para as pessoas crescerem e se desenvolverem
- os estágios de desenvolvimento são descontínuos e assistemáticos, as pessoas podem se desenvolver em uma área  e não em outra. O DESENVOLVIMENTO É UM PROCESSO DE ALTERNANCIA E PRODOMINANCIAS COGNITIVAS E EMOCIONAIS.






Questões da apostila

1. Por que a teoria Walloniana tem como características marcantes a discussão dos conflitos, das contradições e das turbulências no processo de desenvolvimento humano?
            Wallon viveu em uma época de muita turbulência política, o que marcou profundamente suas obras. As duas guerras mundiais (1914-1918 e 1939-1945) e o avanço do fascismo fizeram com que ele refletisse sobre a influência do meio no comportamento das pessoas, sobre a questão dos conflitos, do movimento, das contradições e a formação das emoções.

2. Como Wallon considera a emoção?

Wallon a considera possuidora de um papel expressivo no desenvolvimento humano. Ele observa as características visíveis da emoção e afirma que, independentemente de cultura, a emoção é acompanhada de reações orgânicas, batimentos cardíacos e uma série de outras manifestações. Entretanto, ela é contagiosa, representa as manifestações culturais e expressivas de cada povo. Assim, considera as emoções como processos
coletivos. Para ele, as pessoas choram ou sorriem em relação a alguém ou alguma coisa.



PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 12-  WALLON E O DESENVOLVIMENTO DA COSNCIÊNCIA

Quando se trata de desenvolvimento, uma questão a ser trabalhada é a consciência. Wallon aponta fatores orgânicos e sociais como responsáveis pelas possibilidades e limites de cada estágio de desenvolvimento. Ccnsidera a consciência como uma possibilidade dos sujeitos serem diferentes uns dos outros, sua teoria tem por base o Interacionismo, pois considera o homem um ser integral.

1 -  AS LEIS REGULADORAS DOS ESTÁGIOS
§                       Alternância de direções opostas em cada estágio => o movimento predominante é ou para dentro (conhecer a si mesmo) ou para fora (conhecer o mundo)
§                       alternância na predominância de conjuntos diferentes em cada estágio => ora temo o motor, ora temos o afetivo, sendo que um está sempre nutrindo o outro.
§                       integração funcional => relação entre os estágios como uma regulação entre conjunto funcionais hierarquizados
Todos os conjuntos funcionais revelam-se de forma sincrética, isto é, o motor, o afetivo e o cognitivo reagem como um todo diferenciado aos estímulos, assim desenvolver-se é ser capaz de responder com reações cada vez mais específicas a situações cada vez mais variadas (Mohoney, Almeida)
analisando as 3 leis
·                       Quando a direção é para si => CENTRÍPETA (AFETIVO)
·                       Quando a direção é para fora => CENTRÍFUGAL (COGNITIVO)
§                       Tanto o cognitivo como  o afeto tem sempre suporte a atividade motora
§                       Considera que o princípio de alternância funcional imprime o ritmo geral do desenvolvimento. Cada estagio é marcado por predominância e alternância
§                       A construção da consciência ocorre a partir da integração dos aspectos motores, cognitivos e afetivos. Ocorre também a diferenciação entre o eu e o outro.

2 - OS ESTÁGIOS
Cada fase tem um colorido próprio, uma unidade solidária que é dada pelo predomínio de um tipo de atividade :
Desenvolvimento: caracteriza-se por um processo dinâmico que segue um conjunto de determinações do sujeito e do meio.

2.1 – ESTÁGIO IMPULSIVO EMOCIONA (0 A 1 ANO)
A criança nasce imersa em um mundo social e dele recebe o significado e as respostas às suas necessidades. O estágio é dividido em 2 momentos.
- impulsividade motora  (0 a 3 meses) – exploração do próprio corpo
- emocional (3 a 12 meses) => já é possível reconhecer padrões emocionais diferentes: alegria e medo , etc ... forma de comunicação pelo próprio corpo

2.2 – ESTAGIOS SENSORIO-MOTOR E PROJETIVO (1 A 3 ANOS)
As principais características desse estágio são o andar  falar.
Com o andar pode medir distância, ampliando a sua liberdade do espaço físico de ir e vir por si mesma. Reconhecimento de si mesma e dos objetivos, maior relação com o meio, com a linguagem aparece a possibilidade da objetivação dos desejos, permitem à criança antecipar, combinar, calcular, imaginar, sonhar.
È a fase de descoberta e exploração do mundo exterior. Sente prazer em manipular objetos, ampliando as suas sensibilidades visuais e auditivas. A imitação também assume importante papel nesta fase.


2.3 –ESTÁGIOS DO PERSONALISMO (3 a 6 anos)
Construção da própria subjetividade por meio das atividades de oposição (expulsão do outro)e ao mesmo tempo de sedução (assimilação do outro – IMITAÇÃO).
- A construção da consciência de si acontece por meio de interações sociais, ocorre um predomínio das relações afetivas.
- Fase da “crise do eu” => fase da birra para se auto afirmar, considerado como o responsável por uma brusca reviravolta nos modos de agir e nas relações com o ambiente.
- è considerada também a idade da graça, pois as crianças trocam palavras, conquista a simpatia de seus pais e faz gestos graciosos.

2.4 ESTAGIO CATEGORIAL (6 A 11 ANOS)
Diferenciação nítida entre o eu e o outro, permitindo uma organização mental ao mundo físico. Avanços no plano de inteligência pela consolidação simbólica e da diferenciação da personalidade. Predominancia no aspecto cognitivo.
Inicio da escolarização, a linguagem assume significado expressivo para a elaboração de categorias. É capaz de lembrar imagens a partir de situações concretas.
Conhece diferentes formas de se relacionar e vai construindo conceitos sobre as pessoas, sobre si e sobre o mundo.

2.5 ESTAGIO DA PUBERDADE E DA ADOSLECENCIA (11 A 16 ANOS)
Capacidade de domínio de categorias abstratas, com a dimensão temporal tomando espaço, possibilitando uma análise de sua autonomia e dependência.
Seus instintos de absorção perpetuidade e reprodução torna-se acessível a mente. Fase marcada pela auto-afirmação, confronto e valores e apoio dos grupos.
Também apresentam modificações orgânicas que vão influenciar o seu comportamento e na sua maneira de lidar com o mundo.
Volta-se para si, em função do eu corporal, as alterações fisiológicas influenciam o psíquico e trazem a ambivalência dos sentimentos. Questiona a sua vida, sua origem, seus desejos e seus pontos de vista sobre o mundo.

Questões da apostila

1. Releia as leis reguladoras e exemplifique de que forma elas se dão na relação entre mãe e ilho nos primeiros seis meses de vida.
Para Wallon, as leis reguladoras do desenvolvimento como a alternância de movimentos (ora para si e ora para o outro), bem como a predominância de ações (afetivas e cognitivas) faz com que os indivíduos se tornem biologicamente sociais. Ex.: quando uma criança é bem pequena – bebê de dois meses, ela ainda está ligada afetivamente com a mãe e não se reconhece como diferente – está voltada para si. Aos seis meses, ela começa a reconhecer o outro, voltando-se para o mundo externo e começando a apresentar condutas mais cognitivas sobre o mundo.

PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
AULA 13 -  A TEORIA PSICANALÍTICA DE SIGMUND FREUD

A psicanálise é um ramo da psicologia e foi elaborada por Freud.
A noção do inconsciente da teoria psicanalítica rompe com os moldes e interpretações do comportamento humano, pois os aspectos ocultos e inconscientes eram desprezados.

BIOGRAFIA
Nasceu em 06/05/1856 em uma família de comerciantes europeus. As atividades comerciais de seus familiares fez com que ele entrasse em contato com os diferentes povos, culturas e sociedades.
- 1859 muda-se para Viena e é lá que passou quase toda a vida
- a constituição familiar patriarcal influenciaram o seu pensamento
- utilizou o dialeto alemão falado na Austrália para escrever as suas idéias, o que permite diferentes interpretações
- iniciou seus estudos em Medicina na Universidade de Viena em 1873 e saiu em 1881. Nesses 8 anos, dedicou-se a pesquisar todos os temas que lhe interessavam
- 1882 trabalhou em hospital geral de Viena
- Freud questionou a concepção de HISTERIA e afirmou que essa também era uma doença masculina
- 1886 abre seu consultório, casou-se com Marta teve 6 filhos
- 1920 morreu Sophie, sua filha predileta e logo depois morreu seu neto, filho de Sophie
- 1923 foi diagnosticado câncer no seu maxilar superior o que o levou a diferentes cirurgias.

2) CONTEXTUALIZAÇÃO DA PSICANÁLISE

2.1 A INVESTIGAÇÃO FREUDIANA
- Os lapsos de memória sofrido pelas pessoas eram um dos principais fenômenos das pesquisas. Elaborou uma técnica investigativa a analise das mentes das pessoas que ele consultava.
- Preocupa-se com os comportamentos desviantes das pessoas. Percebeu que existiam manifestações físicas do inconsciente que eram pouco exploradas pela Psicologia e Medicina => TEORIa sobre opsiquismo, as reações conscientes e inconscientes da mente humana => PSICANALISE
=> psicanálise => é um método investigativo que consiste essencialmente em evidenciar o significado inconsciente das palavras, das ações, das produções imaginárias do indivíduo.
- è um processo terapêutico das capacidades mentais baseado nas investigações e pela interpretação.
- A aceitação de processos psíquicos inconscientes, o reconhecimento da doutrina da resistência e do recalcamento e a consideração d sexualidade e do complexo do Édipo são os conteúdos principais da Psicanálise.
- Freud considerava que toa pessoa tem uma percepção de si e também reflete sobre aquilo que os outros pensam a seu respeito, assim sofrem com os julgamentos dos outros.
- Para ele a vida é repleta de alegrias e frustrações => aspectos que caminham juntos no desenvolvimento.

2.1) AS FONTES DO SOFRIMENTO
- 3 Fatores que originam sofrimento e infelicidade
a) é a fragilidade de nossos corpos
b) sofrimento advindo do externo
c) sofrimento provenientes das relações dos homens
A psicanálise foi uma maneira encontrada para atender as pessoas em sofrimento e encontrar possíveis causas das angustias. A psicanálise centra-se na fala do individuo, busca significações ocultas nas expressões não ditas, nos sonhos e nos delírios.

2.3 ) IMPULSO DOS HOMENS
Freud considerava que o processo civilizatório conduziu o homem ao controle de seus impulsos e sexualidade => REPRESSÃO
- Os impulsos são divididos em 2 ordens
a) libidinais (libido) => prazer/desejo
b) hostis
- è preciso destacar que Freud considerava que o conceito de sexualidade não estava associada somente aos órgãos genitais, compreendia várias partes do corpo.
-a libido é constituída de instintos dos órgãos corpo, em particular, zonas erógenas. Porém recebe contribuições de todo o corpo. Os instintos esforçam-se para obter satisfação independente uns dos outros, mas no decorrer do desenvolvimento tornam-se cada vez mais concentrados.
- 1º fase (pré genital) oral
- 2º fase => anal. Sádica (2,3 anos)
- 3ª fase => zonas genitais
=> 3 a 7 anos => fase fálica
=> 7 a 12 anos => fase latência
=> 12 a 16 anos => fase genital
Em todas as fases do desenvolvimento, considera-se que tanto a libido quando sentimentos hostis estavam sendo formados.

2.4 A VIDA MENTAL
PRIMEIRA TEORIA DO APARELHO PSIQUICO (O aparelho psíquico é composto por 3 sistemas)
1)                  SISTEMA CONSCIENTE          
Função de receber informações das excitações, registradas qualitativamente em relação ao prazer e ao desprazer, porém não arquiva informações
2)                  SISTEMA PRÉ – COSNCIENTE
Foi concebido como articulado com o consciente e funciona como uma espécie de peneira que seleciona aquilo que pode ou não passar pelo consciente. Funciona como um arquivo de registro
3)                  SISTEMA INCONSCIENTE
A parte mais arcaica do aparelho psíquico. Por herança genética acrescida de fantasias primitivas, primárias ou originais. Opera segundo as leis do processo primário
CARACTGERISTICAS ESSENCIAIS DO INCONSCIENTE
- seus conteúdos são representantes das pulsões
- esses conteúdos são regidos pelos mecanismos específicos do processo primário (condensação e deslocamento)
- investidos pela energia pulsional, procuram retornar à consciência e a ação, mas só terão acesso ao pré-consciente / consciente nas formações de compromisso depois da censura
- são desejos da infância que conhecem uma fixação no inconsciente.
INSTINTO => são fatores que promovem e impulsionam a dinâmica da personalidade do homem. Existem instintos de vida (Eros) e morte ( Thanatos). As pessoas são regidas por esses instintos.

Questões da apostila

1. Quais os motivos da teoria de Sigmund Freud ser polêmicas desde a sua época até os tempos atuais?
         A obra de Freud é discutível até a atualidade por ter trabalhado com a noção de inconsciente e rompido com os moldes e interpretações do comportamento humano propostos pela Psicologia empirista, que defendia que as reações humanas precisavam ser medidas e quantificadas. Os aspectos ocultos e inconscientes das ações humanas eram desprezados pelos empiristas.

2. Quais as primeiras descobertas de Freud em relação às doenças mentais?
         Os cientistas da época de Freud acreditavam que a histeria ocorresse somente com as mulheres. Mas Freud descobriu que também era uma patologia masculina e essa doença podia ser causada e anulada e dissociada das pessoas com o auxílio da hipnose.





A construção do aparelho psíquico e o estágio do espelho - AULA 14
Freud considerava que o aparelho psíquico é constituído do consciente, inconsciente e pré-consciente. Anos mais tarde, acrescentou os conceitos de id, ego e superego.
Para Freud, o id é a parte mais primitiva do ser humano, sendo formado pelos instintos sexuais e agressivos. Além disso, o id também é regido pelo princípio do prazer.
O ego serve de mediador entre o id e o meio exterior. O ego representa o eu, a racionalidade, e ajuda as pessoas a pensarem, ajuda-as a não agirem pelos impulsos do id. O superego é a parte controladora do pensamento, ou seja, representa a moral e os ideais que são funções do superego. O conteúdo do superego refere-se às exigências sociais e culturais.
O superego é constituído pelos julgamentos que estão presentes na mentalidade dos indivíduos e são formados por meio de valores morais e sociais transmitidos pela cultura.
Freud considera que o homem possui dois instintos básicos que representam forças opostas. De um lado, está o instinto sexual e, de outro, o da agressividade, o instinto destrutivo. Considera que os instintos são os canais por meio dos quais a energia pode  fluir, ele afirma que a energia sexual, a libido, é a grande promotora das ações dos indivíduos.
Freud procurou desenvolver sua teoria fundamentada nas considerações sobre o papel e a influência da sexualidade nas condutas humanas. Nesse processo, ele percebeu que o desenvolvimento da sexualidade ocorre através de diferentes fases, que se iniciam desde o nascimento do bebê.
FASE ORAL nesta fase a criança tudo aprende pela boca, desde o nascimento até o desmame o chupar é uma necessidade fisiológica e, também um prazer que independe das necessidades alimentares. Posteriormente aparece a dentição e este sofrimento é aliviado pela mordida em tudo que lhe vem à boca.
Quando essa fase é bem vivida a criança cresce de forma mais saudável, caso contrário Freud explica que as conseqüências podem ser indivíduos que fumam, roem unhas, tem obsessão por comer. A BOCA É UM VEÍCULO QUE ALIVIA ANSIEDADES E TENSÕES.
Na FASE ANAL a criança descobre que além do prazer que pela zona erógena bucal, também, a zona anal lhe proporciona satisfação pela retenção das fezes e urina (forma de brincar), representando, assim, a descoberta pelo prazer autoerótico.
A mãe é responsável por estimular de forma agradável o uso do banheiro pela criança para os cuidados higiênicos, entretanto, se atuação materna for de forma extremamente rigorosa poderá causar seqüelas (preocupação excessiva por limpeza e ordem na vida adulta) pela frustração ocorrida na fase anal. 
FASE FÁLICA é o despertar da criança pelo pênis no menino e clitóris na menina. Muitos pais e professores não sabem como conduzir essas questões e pecam por ignorá-las ou repreendê-las, mas é muito saudável que o adulto saiba conduzir tais questões, uma vez que é deste período que nasce o chamado COMPLEXO DE ÉDIPO e COMPLEXO DE ELECTRA. 
COMPLEXO E CASTRAÇÃO DE ÉDIPO
De forma muito sabia FREUD explica sua teoria utilizando mitos gregos, baseando-se na tragédia de Sófocles para exemplificar o tabu do incesto.
Segundo a mitologia grega, LAIO ficou sabendo por meio de uma vidente que seu filho que acabara de nascer de seu relacionamento com Jocasta, iria matá-lo para casar-se com a própria mãe.
Desta forma, LAIO decidiu por abandonar o filho que foi criado por outra família em local distante.
Entretanto, Édipo, ainda jovem, ao consultar o oráculo, recebeu a mesma previsão e decidiu abandonar seu lar e ir embora para evitar uma tragédia.
Ocorre que em um dos locais por onde passou, encontrou LAIO e com ele manteve uma discussão (sem saber que este era seu pai biológico) e veio a matá-lo. Continuando sua caminhada, para adentrar em determinada cidade teve que decifrar um enigma, o que fez com grande êxito, conseguindo com isso casar-se com Jocasta por quem se apaixonou.
Após anos lhe foi revelado a verdadeira estória e Édipo, sentindo-se culpado, fura os olhos e torna-se andarilho e, Jocasta se enforca.
Por volta dos dois e cinco anos de idade é que a criança durante a formação de sua personalidade, descobre outras formas de desejo.
O menino descobre que a mãe é seu objeto de desejo, tornando-se o pai seu rival (chamado de complexo de Édipo).
A menina descobre que o pai é seu objeto de desejo, tornando-se a mãe sua rival (chamado de complexo de Electra).
Daí surgem competições para conseguir o amor do objeto de desejo, o ciúmes, a tentativa de se assemelhar ao outro para satisfazer seu objeto de desejo. Enfim, tais momentos são importantíssimos na vida das crianças, pois ao se identificarem com os pais adquiri-se padrões e valores por toda a vida, entretanto, devem ser bem compreendidos para não se misturar a figura dos pais com a figura daquele que irá se relacionar no futuro, pois, se assim não for, evidentemente que surgirão conflitos, à medida que cada pessoa é um ser único e insubstituível.
Fase de Latência
A fase da latência corresponde ao período de 7 a 12 anos de idade, a criança reprime seus impulsos  e volta mais para as questões  escolares e de socialização com seus amigos da escola. As sublimações nesta fase são muito grandes, porque o modo como a criança utiliza esse período faz com que ela fixe ou não, exagere ou elimine os componentes arcaicos e os componentes perversos da sexualidade.
Fase Genital
Nessa fase, dos 12 aos 16 anos de idade, os adolescentes começam a se conscientizar de suas identidades sexuais. Há um retorno à energia sexual e aos órgãos sexuais. Em todas as fases do desenvolvimento, desde a infância até a adolescência, está presente a descoberta do eu e dos traços da personalidade.
O estágio do espelho em Lacan
Lacan afirmava que o inconsciente se estrutura com a linguagem.  Dessa maneira ao contrário de Freud, ele preferia não intervir no discurso de seus pacientes a fim de que eles descobrissem as suas próprias questões e o seu “eu”.
O estágio do espelho foi um conceito desenvolvido por Lacan para apresentar o processo de formação do indivíduo através da sua identificação a uma imagem e perceber tanto o sentimento de presença, ausência e de organização corporal, já que segundo ele a criança ao olhar-se no espelho capta a imagem de si e também do mundo ao seu redor, assim ela constrói noção do seu eu, sua identidade e inicia o processo de diferenciação do outro.
Questão:
Conceitue as três instâncias descritas por Freud, que caracterizam a segunda teoria do aparelho psíquico.

AULA 15 - MECANISMO DE DEFESA


Os mecanismos de defesa são as técnicas de que o ego se serve como proteção contra as reivindicações dos impulsos, representações sensórias dolorosas e afetos insuportáveis.

As pessoas defendem-se inconscientemente da ansiedade que sentem numa situação  perturbadora.podem fazê-lo distorcendo a realidade e enganando a si mesmo e isto,para os psicanalistas são denominados de recalques.

Todos nós usamos desse mecanismo para proteger nossa auto-imagem positiva, o que é bastante comum em nossa vida diária. Temos necessidade de uma auto-estima positiva, de aprovar nosso comportamento e justificá-lo quando necessário. Quando os mecanismos de defesa são levados a extremos, assumindo um papel preponderante na vida das pessoas, a tendência dos psicólogos é considerar como anormalmente perturbados.

Os diferentes tipos de mecanismo de defesa:

-PROJEÇÃO: às vezes as pessoas se sentem mal por terem certos pensamentos ou impulsos. Podem atribuí-los então a alguém projetando nessa pessoa os seus próprios sentimentos. Os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de dentro dele para o meio externo. Ex. um gerente que sempre chega atrasado e reclama  ao superintendente geral que seu funcionário nunca chega pontualmente.

-ISOLAMENTO: consiste em isolarmos um pensamento, atitude ou comportamento dos contatos sociais.

-NEGAÇÃO: é o mecanismo de defesa mais simples e direto pois alguém simplesmente recusa a aceitar a existência de uma situação penosa demais para ser tolerada. Um bom exemplo de negação é um garoto que, ao ser acusado de roubo ( e realmente é culpado), diz: ‘’eu não tenho nada comigo! Eu achei no chão e o dono da loja me deu!.’’

-INTROJEÇÃO: é integrar as crenças e os valores de um outro indivíduo à estrutura do próprio ego.

-IDENTIFICAÇÃO: o indivíduo assimila um aspecto, uma característica de outro e se transforma total ou parcial, apresentando-se conforme o modelo desse outro. A maior parte das identificações ocorre no mundo da fantasia, temos como exemplo a criança que se identifica com seu herói favorito, a moça que se identifica com a mocinha da novela, etc.

-FORMAÇÃO REATIVA: quando as pessoas se sentem ameaçadas por um impulso opressor podem combatê-lo indo para o extremo oposto e denunciando-o em outras pessoas. Ex.: uma mãe que se preocupa exageradamente com o filho pode ser reflexo de uma verdadeira hostilidade a ele.

-DESLOCAMENTO: está relacionado à sublimação e consiste em desviar o impulso de sua expressão direta. Nesse caso, o impulso não muda de forma, mas é deslocado do seu alvo original para o outro. Ex.: receber uma bronca do chefe e, assim que chegar em casa, chutar o cachorro como se ele fosse o responsável pela frustração.

-RACIONALIZAÇÃO: quando as pessoas fazem coisas que não deviam, é comum sentirem culpa, e ao invés de admitirem a razão real de seu comportamento, preferem com freqüência racionalizar inventando razões plausíveis para o seu ato. Ex.: um funcionário tira dinheiro do caixa e é pego, fala que estava precisando muito e que no próximo mês devolveria todo o valor, outro exemplo seria um aluno que, não conseguindo responder a uma questão, diz ‘’isso não é interessante de saber mesmo’’, não respondi porque não tive tempo de estudar, pois lá em casa fazem muito barulho.

-SUBLIMAÇÃO: é o mecanismo de defesa mais aprovado pela sociedade. Quando temos um impulso que não podemos expressar diretamente, reprimimos a sua forma original e o deixamos emergir a outrem ou a nós próprios. Ex.: um indivíduo com alta agressidade pode se tornar cirurgião, para o que necessita cortar tecidos sem hesitação; é uma forma de socializar a agressidade.

-ANULAÇÃO: desfazem um dano que o indivíduo imagina que pode ser causado por seus desejos. Ex.: faz sinal da cruz para afastar um pensamento pecaminoso.

- CONVERSÃO: consiste em uma transposição de um conflito psíquico e uma tentativa de resolução desse conflito por meio de expressões somáticas como dores de cabeça. Passa-se o problema da mente para o corpo.

-REGRESSÃO: é o retorno do indivíduo a níveis anteriores do desenvolvimento sempre que depara com uma frustração. É uma sucessão genética e designa o retorno do sujeito a etapas ultrapassadas do seu desenvolvimento. Por exemplo, o choro das pessoas em certas situações pode ser uma regressão à infância, que pode ter tido uma situação em que o choro resolveu o problema.



O PROFESSOR E A TEORIA FREUDIANA DA APRENDIZAGEM



Freud estudava comportamentos mentais de diferentes pacientes que sofriam de transtornos decorrentes de conflitos mentais por causa do processo de castração ou pulsão da libido. Ficou evidente pra ele que, estas frustrações estavam relacionadas aos valores gerados por uma educação conservadora e moralizante.

Ele acreditava que os conceitos psicanalíticos podiam diminuir estes rigores sociais e morais, pois a psicanálise trabalha e estuda os aspectos e o processo da sexualidade humana.

Assim sendo, a educação deveria ser fonte de prazer e não de castração, poderia exercitar esse conflito, deveria estimular e mediar as relações entre o prazer e o recalcamento desse prazer pela moral.

A criança nasce com pulsões de natureza biológica como a curiosidade sexual, a manipulação genital, os prazeres da sucção, etc e Freud denomina cada um desses aspectos de pulsão parcial, pois representam um ato livre sem nenhum interesse pela idéia de relação.

Estas pulsões podem ser direcionadas para um objeto de desejo vinculado a questões de utilidade social e não apenas sexual. Esse processo é chamado de sublimação, pois direciona a pulsão para outros focos.

O indivíduo da educação tem suas pulsões libidinais desde o nascimento e essas pulsões podem ser canalizadas pelo ato educativo para focos distinto da libido sexual.

Freud, acreditando nesse processo da sublimação na educação, enfatizou que o professor assumiria o papel de questionar cada aluno sobre suas atitudes negativas ou perversas.

Os educadores devem refletir sobre o ato educativo repressor, pensar numa educação desafiadora e prazerosa, direcionando as pulsões parciais dos sujeitos de aprendizagem para valores socialmente superiores e culturais.

Através dos escritos de Freud, percebia-se que a educação produtora de pessoas neuróticas, representava o poder político dos governantes sobre a população.

Para Freud, o educador deveria buscar para seu educando o equilíbrio entre o prazer individual e as necessidades sociais, direcionar as pulsões parciais para objetos culturais.

Na relação entre ensino e aprendizagem, o professor pode ser a figura na qual o aluno transfere seus interesses ou pulsões parciais. Quando esta transferência acontece, fica estabelecido uma relação de troca de significados e como o professor tem o papel de direcionar as pulsões sexuais parciais do aluno, este sublima para as suas necessidades e assume uma relação de poder sobre o aluno.

Enfim, a psicanálise traz à reflexão a questão do que é ensinar e o que é aprender e analisa a relação entre professor e aluno, uma relação transferencial que estaria no ceme do que proporciona o aprendizado.



Questão: Qual o principal foco pedagógico na visão de Freud sobre educação e sublimação?

AULA 16 - ERIK ERIKSON :  O DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL
O tema central do desenvolvimento da personalidade é a busca de uma identidade do ego.Erikson dividiu a duração da vida em oito estágios psicossociais de  desenvolvimento , cada um dos quais envolve um conflito ou crise que tem de ser resolvido.Esses conflitos surgem em cada estágio desenvolvimental a medida que o o ambiente faz novas exigências. A pessoa se vê diante de uma escolha entre dois modos de lidar com a crise, um modo adaptativo e um modo inadaptativo.Somente quando a crise de cada estágio é resolvida, tendo a persolidade portanto, se modificado, a pessoa tem força suficiente para enfrentar o próximo estágio do desenvolvimento. Os primeiros estágios propostos por Erikson se assemelham aos estágios oral, anal,e fálico e ao período de latência de Freud, embora Erickon enfatize os fatores socias do que os biológicos e sexuais. Os quatro últimos estágios do desenvolvimento são bastante ignorado por Frued, cada um desses estágios de crescimento , embora carregado de tensão o bastante para ser considerado uma crise, pode ter um  desfecho positivo se resolvido de maneira adaptativa.
Erikson acreditava que podemos influenciar e dirigir conscientemente nosso desenvolvimento em cada estágio.Isso contrasta com a concepção freudiana de que somos produto das experiências infantis e incapazes de mudar mais tarde.Embora reconhecesse que as influências infantis são importantes e podem ser até truamáticas, Erikson afirmava que os eventos de estágios ulteriores podem se contrapor às experiências infantis negativas e superá-las, contribuindo para a nossa meta última: o estabelecimento de uma identidade de ego positiva.
EGO - centro da estruturação da personalidade , construído através das interações.
AGENTES SOCIALIZADORES FUNDAMENTAIS : família, escola , amigos...
CRISE PSICOSSOCIAL : conflito / ajustamento pessoal
 BIPOLARIDADE : atitudes básicas alternativas

DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO
ESTÁGIOS PSICOSSOCIAIS
MODALIDADE                                                                    CRISE PSICOSSOCIAL
FASE-ORAL                                                                  confiançaxdesconfiança    
                                                                                                       no outro e em si                                                                                                                                                                                                                                                                   
 LOCOMOTORA-GENITAL                        autonomia X vergonha e dúvida 
                                                                                          retenção ou eliminação
LOCOMOTORA- GENITAL                                                    iniciativa x culpa
                                                                                          competição e iniciativa
LATÊNCIA                                                                    domínio x inferioridade
ADOLESCÊNCIA                                          identidade x confusão de papéis
                                                   querem ser adultos e cças ao mesmo tempo 
IDADE ADULTA JOVEM                                           intimidade x isolamento
                                                                                               formação da familia
IDADE ADULTA JOVEM                                   generatividade x estagnação
                                                                                         útil p/ a sociedade
MATURIDADE                                         integridade do ego x desesperança              
                                                                              temem a morte e o abandono       
Para Erikson, a identidade depende de uma constante reorganização durante o processo de desenvolvimento. A formação da identidade está associada a identificações passadas que são selecionadas, sintetizadas e integradas pelo ego, resultando em uma posição psicossocial diferenciada. Para ser coerente no seu funcionamento e ter um sentido de unidade , a personalidade precisa descartar as identificações inconsistentes com o padrão de idendtidade.
A conquista da identidade depende também do reconhecimento pelos outros , o que ajuda a encontrar um lugar seguro na sociedade . Ela é a capacidade do indivíduo de colocar-se em oposição e conseguir o reconhecimnto dessa oposição pelos outros. A integração da personalidade permite fazer valer sua identidade na participação efetiva na vida comunitária.      
PERGUNTA.
Erikson começa a construir sua teoria psicossocial do desenvolvimento , sempre considerando o ser humano como um ser social, antes de tudo, um ser que vive em grupo e sofre a pressão e a influência deste.Como o professor auxilia seus alunos diante das crises enfrentadas por eles?

17 - PSICOLOGIA COGNITIVA: O PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO

A Psicologia Cognitiva surgiu como um reconhecimento de que o estudo científico é bem mais complexo que o proposto e que a abordagem da mente humana requer um estudo muito mais complexo do que o então realizado.
Mas, o que é cognição? É a capacidade do ser humano de adquirir conhecimento; ato ou processo de conhecer que envolve atenção, percepção, memória, raciocínio, juízo, imaginação, pensamento, reprodução de conhecimento, criatividade, linguagem e resolução de problemas. Assim, a Psicologia Cognitiva estuda a cognição, os processos mentais que estão por detrás do comportamento.
A Psicologia na vertente behaviorista não discutia o papel da consciência na mente humana. Preocupava-se apenas com o estudo do comportamento. Hoje, os estudos da Psicologia preocupam-se com o comportamento e com os processos mentais que envolvem a consciência.

A evolução das ciências cognitivas do século XX e XXI

As preocupações com o comportamento humano do século XX se diferenciam do século XXI em razão dos avanços tecnológicos. A tecnologia auxilia na compreensão e investigação de como se processam as informações no cérebro humano e o impacto da tecnologia no modo de agir das pessoas. A tecnologia tem levado o homem a mudar seu comportamento em função das transformações sociais e tecnológicas. Assim, a Psicologia Cognitiva procura entender como o comportamento humano se modificou a partir do momento em que o homem passa a conviver com a tecnologia.

Características básicas da Psicologia Cognitiva:
*      As pessoas são consideradas seres autônomos e intencionais que interagem com o mundo externo;
*      A mente é um sistema de processamento de símbolos que tem relação com o mundo externo;
*      A meta da pesquisa psicológica é a de especificar os processos simbólicos e as representações subjacentes ao desempenho de todas as tarefas cognitivas;
*      Os processos cognitivos levam tempo e, sendo assim, as suposições sobre os tempos das reações podem ser feitas ao se presumir que certos processos ocorrem em seqüência e possuem alguma complexidade identificável;
*      A mente é um processador de capacidade limitada, tanto estrutural quanto de recursos;
*      O sistema simbólico depende de um substrato neurológico, mas não está inteiramente limitado a ele.
A Psicologia Cognitiva explica que o sujeito possui uma faculdade mental independente e possui uma intencionalidade que é o que marca autonomia de cada um e assim procura analisar cada processo informacional presente nas tarefas que realizamos de modo autônomo.
Na educação: os professores tanto podem ajudar os alunos na realização de tarefas em sala de aula como também devem fazer os alunos refletirem no processo ensino-aprendizagem. É necessário também o uso de estratégias para que os alunos aprendam. E é aí que entra a Psicologia Cognitiva: ela tenta identificar essas estratégias, tanto espontâneas quanto elaboradas antecipadamente; estuda a cognição dos alunos bem-sucedidos e os fatores que impedem os alunos de desenvolver ou usar essas estratégias. Ela tenta mostrar aos alunos como eles podem pensar em estruturar seu pensamento: precisam conhecer e observar como pensam, planejam, monitoram os seus processos de aprendizagem e elaboram estratégias para aprender. Esse processo é chamado de metacognição.

As áreas de desenvolvimento da pesquisa cognitiva

Existem 3 grandes áreas:
  Psicólogos cognitivos experimentais: investigam os processos mediante observação e controle.
  Cientistas cognitivos: fazem uma relação entre os processos cognitivos e o processamento da informação computacional. Os modelos mentais são colocados em computadores que simulam os processos cognitivos
  Neuropsicólogos cognitivos: utilizam a teoria do processamento da informação computacional.
O estudo das funções mentais segue algumas suposições:
1) Os sujeitos estudados são classificados a partir de síndromes.
2) O sistema cognitivo apresenta processadores que tem certa independência, pois mantêm uma atividade própria.
3) Inter-relação entre o cérebro e a mente (isomorfismo)
Considera-se também a plasticidade ou modularidade do cérebro, que é a capacidade que este tem de se adaptar para compensar estruturas que foram perdidas em acidentes ou lesões.

Contribuições para os dias de hoje

A Psicologia cognitiva possibilita o entendimento de como a criança aprende, sendo possível assim melhorar a didática do professor. Ressalta também a importância de se desafiar o cérebro de crianças com dificuldades, pois este é capaz de formar novas ligações, estimulando suas capacidades de aprendizagem. Os principais pesquisadores estudados no Brasil são Howard Gardner e Robert Sternberg.

TEXTO COMPLEMENTAR: Ciência da informação e cognição humana: uma abordagem do processamento da informação

As pesquisas desenvolvidas sobre a cognição humana estão voltadas para 4 teorias principais:
o   a de Piaget: o conhecimento é construído aos poucos de acordo com o desenvolvimento cognitivo que se organiza de acordo com os estágios de desenvolvimento;
o   a neopiagetiana: ênfase às habilidades cognitivas que estabelecem subobjetivos para atingir um objetivo (coordenação de informações)
o   a de Vygotsky: o conhecimento é construído pela interação do homem com o homem, ou seja, entre o indivíduo e a sociedade.
o   a teoria do processamento da informação: investigam os processos cognitivos envolvidos na resolução de problemas. Pesquisa a compreensão textual, pois envolve percepção, memória, dedução e a conexão indireta entre os assuntos (inferência). A capacidade de compreensão textual está ligada à capacidade de o leitor criar modelos mentais, a saber:
  os esquemas: conhecimentos armazenados sobre as características de objetos ou seres; ex.: procedimento para fazer um aparelho funcionar;
  os planos: conhecimentos que usamos para atingir determinado objetivo; ex.: estratégias usadas para vencer um jogo;
  os roteiros ou scripts: ações predeterminadas que aplicamos a determinadas situações; ex.: o roteiro que seguimos quando vamos a algum lugar.
  as superestruturas ou esquemas textuais: conhecimento adquirido a partir da leitura de alguns textos e da relação que fazemos entre eles.


Relacione a Psicologia Cognitiva à educação, destacando os avanços possibilitados por esse ramo da Psicologia.
                        Capitulo: 18 

                        Resumo: Psicologia do Desenvolvimento            
            
                       As inteligências múltiplas de Howard Gardner

     Os estudos da relação entre cérebro e mente, vem causando impacto nas formas de conceber a inteligência humana.
     Howard Gardner surge como um expoente ao considerar a inteligência múltipla.
     A teoria da inteligência múltipla foi desenvolvida como uma explicação, o fato que carda das formas de inteligência pode ser canalizada para outros fins. Denotando as características de independência e interdependência.
     Howard Gardner é influenciado por Jean Piaget, por considerar a inteligência uma construção da criança, mas discorda quando Piaget afirma que a inteligência é única.
Gardner construiu suas idéias sobre multiplicidade da inteligência humana.

                               O que são múltiplas inteligências?

     Gardner busca propor que a mente humana não é local de uma inteligência, mas sim múltiplas. Não se trata de capacidades múltiplas que constituem a inteligência, o fato de cada inteligência ser um sistema distinto e independente umas as outras.

                 Critérios e características para a existência da inteligência.

     Gardner chama a atenção e aponta a existência de pelo menos oito características.

·                       Primeira – O isolamento de determinada capacidade por dano cerebral, perda de determinada habilidade ou capacidade.
·                        
·                       Segunda – Pessoas que entre tantas demonstram um talento especial na execução de tarefas cognitivas, uma inteligência especifica.
·                        
·                       Terceira – Pessoa que apresenta uma atividade operacional, pessoas que detectam relações de cores e tonalidades em quadros de pintores.
·                        
·                       Quarta – Torna a pessoa um expert. Algo como perceber uma aprendizagem de um determinado conhecimento, levando o aprendiz a um nível de compreensão avançado.
·                        
·                       Quinta -- Os acréscimos da inteligência estão associados ao processo de adaptação do sujeito ao ambiente, apresenta uma interação fácil e rápida.
·                        
·                       Sexta -- O desempenho em atividades experimentais de pesquisa . Revela dificuldades em realizar tarefas linguísticas e facilidades em tarefas visoespaciais, demonstra uma desenvoltura mais especificas.
·                        
·                       Sétima – Muitas vezes, essa inteligência se manifesta em provas de psicometria, testes de capacidades para cada inteligência.
·                        
·                       Oitava – È suscetível ao sistema simbólico, como línguas ou matemática. Manifestam-se no palco, arena, salas de cirurgia em que o profissional pode demonstrar sua inteligência ao manejar um instrumento para o bem da vida.

                                        Tipos de inteligência: 

·                       Lingüística – Inteligência em que há sensibilidade especial para a linguagem, pessoas com facilidades em se expressar, escrever e compreender as palavras.
·                        
·                       Musical – Inteligência que há sensibilidade para a musica em geral, variações de ritmos, melodias, instrumentos, canto... Etc. Todo relacionamento com a musica.
·                        
·                       Especialidade - Facilidade para recriar imagens visuais na memória. Ex: Leitura de mapas e decoradores mentalmente. Redefinem algo sem modificá-lo.
·                        
·                       Corporal – cinestésica – Facilidade para movimentos corporais. Ex: Esportes coletivos, dança... Etc.
·                        
·                       Sinal ou Interpessoal – Inteligência social, facilidade de entender sentimentos e comportamento dos outros. Busca entender sentimentos de pessoas a sua volta.
·                        
·                       Intrapessoal ou pessoal – Aquele que entende ele mesmo, entender nossas emoções, sentimentos, fazer analise  existencial ,ter capacidade de se entender e se preciso mudar sua conduta.
·                        
·                       Lógico matemático – Facilidade para símbolos em geral, resolver problemas matemáticos, lógicos e raciocínio.

                                            Segundo Gardner.

 Acredita que há necessidades de uma transformação, a educação deve ser clara quanto suas metas, entender quais as habilidades de cada aluno e avaliar cada um. Para Gardner o professor deve buscar meios de desenvolver as varias inteligências do aluno, incentivar o talento de cada um, ajudando a desenvolver as outras inteligências. Analisar o universo cultural e trabalhar as diversidades (diferenças).

                                           Questão:

-- Analisando a teoria de Howard Gardner sobre inteligências múltiplas, relacione a escola atualmente. 

AULA 19 -
A INTELIGÊNCIA TRIÁRQUICA de ROBERT STERNBERG

      Robert Sternberg, destaca-se como um psicológo e cognitivista preocupado em como analisar as pessoas,como elas constroem conhecimentos,linguagem, criatividade, resolvem problemas e tomam suas próprias decisões. Ele ainda define que a inteligência é individual para cada ser humano, que trata com as mudanças no meio ao longo de sua vida e busca conhecer o homem por meio das suas caracteristicas biológicas e sociais.

TEORIA TRIÁRQUICA da INTELIGÊNCIA e PROCESSSO de RESOLUÇÃO de PROBLEMAS

       A teoria de Sternberg propõe três tipos de inteligência: analítica, criativa e prática.
*analitica- permite separar problemas e ver solução não evidentes. Esta forma  de capacidade é o tipo que mais com frequência se avalia.
*criativo- é capaz de criar, inventar, imaginar e superar problemas
*práticas- executam habilidades buscando resolver os problemas do dia a dia.
        Sternberg relaciona aspectos de inteligência com diferenças do mundo interno de cada pessoa, com as experiências que ela tem  e com o mundo externo que interage.
        Aguilar diz que Sternberg criou mais tres componentes importantes na teoria da inteligência: processo cognitivos, rapidez da aprendizagem e capacidade de adaptação.


AS RELAÇÕES DA INTELIGÊNCIA COM O SUJEITO E COM O MUNDO


A inteligência e a experiência


     Define -se que a " inteligência" é uma "qualidade ou capacidade de compreender e adaptar-se facilmente; maneira de entender ou interpretar". Afirma-se ainda que inteligência é " o conjunto de funções psíquicas e psicofisiológicas que contribuem para o conhecimento, para compreensão da natureza das coisas e de siguinificado dos fatos.
           Concluimos que ao realizarmos uma experiência temos a possibilidade de êxito ou fracasso  onde a nossa inteligência é desafiada em diferentes sentidos no mundo interno e externo.
 

AULA 20 --
Capitulo 20

Teorias Psicológicas do Desenvolvimento

As teorias psicológicas a respeito do desenvolvimento infantil foram elaboradas em diferentes momentos históricos e com concepções diversas a respeito da criança e suas possibilidades. Os pesquisadores buscaram compreender a criança como um ser em processo.
Uma corrente psicológica que exerce muita influência nas escolas é a concepção ambientalista que atribui um forte poder ao ambiente no desenvolvimento das pessoas.
Assim a busca de fatores de interação do meio com o sujeito é necessária para podermos entender que é a criança com qual trabalhamos. Compreender as bases de seu desenvolvimento biológico, cognitivo e social é necessário para podermos atuar de modo certo e eficaz no processo educativo.
No sóciointeracionismo Vygotskyano, é fundamental o papel da interação social, em que os instrumentos sociais e culturais (como a linguagem) produzem formas de pensar típicas dos seres humanos, visto que as condições de vida social se tornam cada vez mais complexa, logo ensinar, requer um conhecimento sobre cada criança, como ela se constitui e como ela aprende.
Conhecer as formas de desenvolvimento infantil e crer que essa forma de desenvolvimento constitui o sujeito que queremos implica acreditar que ao passar pela escola esse sujeito terá a sua autonomia e sua intimidade construída de forma a se tornar sujeito e cidadão.
Dessa forma, é preciso lembrar que a psicologia e a educação são ciências relacionadas com outras áreas do conhecimento, como a filosofia, a história, a biologia, a neurologia e a antropologia, entre outras.
É preciso reconhecer também que atualmente, desde bebês, as crianças já estão sendo ensinadas pelos professores que são mediadores culturais expressivos.

Pergunta

A relação do ensino-aprendizagem permeia a escola na sua essência. No contexto da psicologia atual, tem-se discutido muito. Qual o papel da escola?


SOMENTE AS PERGUNTAS

1- Qual a contribuição da teoria das inteligências múltiplas para o trabalho do professor em sala de aula?

2- Qual o conceito de inteligência para Gardner e qual impacto deste conceito para educação?

3- Qual é a função da emoção na teoria de Wallon? Como desenvolver a afetividade a partir dos trabalhos com emoções

4- Escreva o conceito de inteligência proposta por Gardner e defina as diferentes inteligências proposta pelo autor.


INTRODUÇÃO

O desenvolvimento humano é um campo da Psicologia que é muito importante na área da Educação, pois o desenvolvimento é uma preocupação que requer qualificação das pessoas no ambiente de trabalho.

Em sua origem o desenvolvimento das pessoas em quatro aspectos: físico-motor (maturação neurofisiológica), intelectual (capacidade de pensamento), afetivo-emocional (é o modo particular do individuo com suas experiências) e social (é a maneira como o individuo reage diante das situações que envolvem  outras pessoas).

Entre as teorias destacam-se de Piaget chamada de epistemologia genética que o conhecimento resulta das interações que se produzem entre sujeito e objeto. Piaget afirma que as pessoas passam por diferentes estágios desde o momento em que nascem ate a idade adulta considerando as estruturas cognitivas de cada pessoa e também a variedade de estímulos.


DESENVOLVIMENTO

A teoria de Vygotsky destaca dois níveis de desenvolvimento: o real e o potencial.

Real: aquela aprendizagem que já se tornou conhecimento, aquilo que a pessoa já sabe.

Zona de Desenvolvimento Potencial: a criança não consegue fazer sozinha, precisa de um auxilio de outra pessoa.

O que destaca na teoria do autor é a zona de desenvolvimento proximal ZDP é um processo intermediário do nível do desenvolvimento real com o potencial.

Vygotsky afirma que (1988, p.15) “aquilo que é zona de desenvolvimento proximal hoje será o nível de desenvolvimento real amanhã”.

O educador pode orientar o aprendizado no sentido de adiantar o desenvolvimento potencial de uma criança, tornando-o real.

O pensamento de Vygotsky para a escola tem que trabalhar três vertentes: interação, linguagem e ZDP.

Já na teoria de Piaget afirma que as pessoas passam por diferentes estágios desde o momento em que nascem até a idade adulta. Os estágios são:

1° estágio: sensório-motor recém-nascido de 0 a 2 anos ( a criança conquista seu mundo através da percepção e dos movimentos.

2° estágio: Pré-operatório a primeira infância dos 2 a 7 anos ( o mais importante é o aparecimento da linguagem, que irá acarretar as modificações nos aspectos intelectual, afetivo-social da criança (interação social).

3° estágio: Período das operações concretas dos 7 aos 11 ou 12 anos ( a criança apresenta a capacidade de reflexão, que é exercida a partir de situações concretas no seu desenvolvimento mental.

4° estágio: período das operações formais, adolescência – dos 12 em diante ( passagem do pensamento concreto para o pensamento formal, abstrato.

A teoria de Piaget apresenta alguns conceitos:

A adaptação como o próprio desenvolvimento da inteligência, ocorre através da assimilação e acomodação.

Assimilação: é o processo cognitivo pelo qual uma pessoa integra um novo dado perceptual, motor ou conceitual as estruturas cognitivas prévias. Por exemplo: a criança chama-se Karol e a professora mandou a criança escrever casa, a criança escreveu kasa, pois sendo que a Ca tem o mesmo som que a letra do seu nome, ou seja, ela usou as referencias que já tinha a letra de seu nome.

Quando a comparação da sua escrita ao visualizar que casa começa com a letra c e não com k cria-se um conflito externo ou desequilíbrio.

O som de Ca é escrito de um modo diferente como Karol pensava, este processo é chamado de acomodação (processo de modificação do sujeito). Ao compreender que a silaba Ca se escreve com as letras c-a-s-a, Karol realiza o processo mental de acomodação.

É importante salientar que o desequilíbrio é fundamental para o crescimento da criança.

Equilibração (processo de auto regulação interna do organismo, que se constitui na busca sucessiva de reequilíbrio após cada desequilíbrio sofrido.

Já para Vygotsky a linguagem é social e não se torna social, ou seja, a linguagem esta em construção antes mesmo da criança a aprender a falar, por exemplo, por gestos, olhares.


Psicologia do Desenvolvimento
Esta área de conhecimento da psicologia estuda o desenvolvimento do ser humano em todos os seus aspectos: físico-motor, intelectual, afetivo-emocional e social – desde o nascimento até a idade adulta.

O desenvolvimento humano

O desenvolvimento humano refere-se ao desenvolvimento mental e ao crescimento orgânico. O desenvolvimento mental é uma construção contínua. Estas são as formas de organização da atividade mental que vão-se aperfeiçoando e se solidificando até o momento em que todas elas. Algumas dessas estruturas mentais permanecem ao longo de toda a vida.

A importância do estudo do desenvolvimento humano

Esse estudo é compreender a importância do estudo do desenvolvimento humano. Estudar o desenvolvimento humano significa conhecer as características comuns de uma faixa etária. Planejar o que e como ensinar implica saber quem é o educando. Existem formas de perceber, compreender e se comportar diante do mundo, próprias de cada faixa etária.

Fatores que influenciam o desenvolvimento humano

Hereditariedade – a carga genética estabelece o potencial do indivíduo, que pode ou não desenvolver-se. A inteligência pode desenvolver-se de acordo com as condições do meio em que se encontra.
Crescimento orgânico – refere-se ao aspecto físico.
Maturação neurofisiológica – é o que torna possível determinado padrão de comportamento.
Meio – o conjunto de influências e estimulações ambientais altera os padrões de comportamento do indivíduo.

Aspectos do desenvolvimento humano

Aspecto físico-motor - refere-se ao crescimento orgânico, à maturação neurofisiológica. Ex.: A criança que leva a chupeta à boca.
Aspecto intelectual – é a capacidade de pensamento, raciocínio. Ex.: A criança de 2 anos que usa um cabo de vassoura para puxar um brinquedo que está em baixo de um móvel.
Aspecto afetivo-emocional – é o modo particular de o indivíduo integrar as suas experiências. A sexualidade faz parte desse aspecto. Ex.: A vergonha que sentimos em algumas situações.
Aspecto social – é a maneira como o indivíduo reage diante das situações que envolvem outras pessoas. Ex.: Quando em um grupo há uma criança que permanece sozinha.
Não é possível encontrar um exemplo “puro”, porque todos estes aspectos relacionam-se permanentemente.

A teoria do desenvolvimento humano de jean piaget

Este autor divide os períodos do desenvolvimento de acordo com o aparecimento de novas qualidades do pensamento.
Neste período, o que de mais importante acontece é o aparecimento da linguagem. Como decorrência do aparecimento da linguagem, o desenvolvimento do pensamento se acelera. A interação e a comunicação entre os indivíduos são as conseqüências mais evidentes da linguagem. Um dos mais relevantes é o respeito que a criança nutre pelos indivíduos que julga superiores a ela. Neste período, a maturação neurofisiológica completa-se, permitindo o desenvolvimento de novas habilidades, como a coordenação motora fina – pegar pequenos objetos com as pontas dos dedos, segurar o lápis corretamente e conseguir fazer os delicados movimentos exigidos pela escrita.

Período das operações concretas
(a infância propriamente dita – 7 a 11 ou 12 anos)
Nessa idade a criança está pronta para iniciar um processo de aprendizagem sistemática. A criança adquire uma autonomia crescente em relação ao adulto, passando a organizar seus próprios valores morais. A grupalização com o sexo oposto diminui. A criança, que no início do período ainda considerava bastante as opiniões e idéias dos adultos, no final passa a enfrentá-los.

Período das operações formais
(a adolescência – 11 ou 12 anos em diante)
É capaz de lidar com conceitos como liberdade, justiça, etc. É capaz de tirar conclusões de puras hipóteses. O alvo de sua reflexão é a sociedade, sempre analisada como possível de ser reformada e transformada. No aspecto afetivo, o adolescente vive conflitos.

Juventude: projeto de vida
A personalidade começa a se formar no final da infância, entre 8 a 12 anos. Na idade adulta não surge nenhuma nova estrutura mental, e o indivíduo caminha então para um aumento gradual do desenvolvimento cognitivo.

O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA TEORIA DE PIAGET
A visão interacionista de Piaget: a relação de interdependência entre o homem e o objeto do conhecimento
Introduzindo uma terceira visão teórica representada pela linha interacionista, as idéias de Piaget contrapõem-se, conforme mencionamos mais acima, às visões de duas  correntes antagônicas e inconciliáveis que permeiam a Psicologia em geral: o objetivismo e o subjetivismo. Ambas as correntes são derivadas de duas grandes vertentes da Filosofia (o idealismo e o materialismo mecanicista) que, por sua vez, são herdadas do dualismo radical de Descartes que propôs a separação estanque entre corpo e alma, id est, entre físico e psíquico. Assim sendo, a Psicologia objetivista, privilegia o dado externo, afirmando que todo conhecimento provém da experiência; e a Psicologia subjetivista, em contraste, calcada no substrato psíquico, entende que todo conhecimento é anterior à experiência, reconhecendo, portanto, a primazia do sujeito sobre o objeto (Freitas, 2000:63).
Considerando insuficientes essas duas posições para explicar o processo evolutivo da filogenia humana, Piaget formula o conceito de epigênese, argumentando que "o conhecimento não procede nem da experiência única dos objetos nem de uma programação inata pré-formada no sujeito, mas de construções sucessivas com elaborações constantes de estruturas novas" (Piaget, 1976 apud Freitas 2000:64). Quer dizer, o processo evolutivo da filogenia humana tem uma origem biológica que é ativada pela ação e interação do organismo com o meio ambiente - físico e social - que o rodeia (Coll, 1992; La Taille, 1992, 2003; Freitas,  2000; etc.), significando entender com isso que as formas primitivas da mente, biologicamente constituídas, são reorganizadas pela psique socializada, ou seja, existe uma relação de interdependência entre o sujeito conhecedor e o objeto a conhecer.
 Esse processo, por sua vez, se efetua através de um mecanismo auto-regulatório que consiste no processo de equilíbração progressiva do organismo com o meio em que o indivíduo está inserido, como procuraremos expor em seguida.
 
2)       O processo de equilibração: a marcha do organismo em busca do pensamento lógico
Pode-se dizer que o "sujeito epistêmico" protagoniza o papel central do modelo piagetiano, pois a grande preocupação da teoria é desvendar os mecanismos processuais do pensamento do homem, desde o início da sua vida até a idade adulta. Nesse sentido,  a compreensão dos mecanismos de constituição do conhecimento, na concepção de Piaget, equivale à compreensão dos mecanismos envolvidos na formação do pensamento lógico, matemático. Como lembra La Taille (1992:17), "(...) a lógica representa para Piaget a forma final do equilíbrio das ações. Ela é 'um sistema de operações, isto é, de ações que se tornaram reversíveis e passíveis de serem compostas entre si'".
 Precipuamente, portanto, no método psicogenético, o 'status' da lógica matemática perfaz o enigma básico a ser desvendado. O maior problema, nesse sentido, concentra-se na busca de respostas pertinentes para uma questão fulcral: "Como os homens constróem o conhecimento?" (La Taille: vídeo). Imbricam-se nessa questão, naturalmente, outras indagações afins, quer sejam: como é que a lógica passa do nível elementar para o nível superior? Como se dá o processo de elaboração das idéias? Como a elaboração do conhecimento influencia a adaptação à realidade? Etc.
Procurando soluções para esse problema central, Piaget sustenta que a gênese do conhecimento está no próprio sujeito, ou seja, o pensamento lógico não é inato ou tampouco externo ao organismo mas é fundamentalmente construído na interação homem-objeto. Quer dizer, o desenvolvimento da filogenia humana se dá através de um mecanismo auto-regulatório que tem como base um 'kit' de condições biológicas (inatas portanto), que é ativado pela ação e interação do organismo  com o meio ambiente - físico e social (Rappaport, op.cit.). Id est, tanto a experiência sensorial quanto o raciocínio são fundantes do processo de constituição da inteligência, ou do pensamento lógico do homem.
Está implícito nessa ótica de Piaget  que o homem é possuidor de uma estrutura biológica que o possibilita desenvolver o mental, no entanto,  esse fato per se não assegura o desencadeamento de fatores que propiciarão o seu desenvolvimento, haja vista que este só acontecerá a partir da interação do sujeito com o objeto a conhecer. Por sua vez, a relação com o objeto, embora essencial, da mesma forma também não é uma condição suficiente ao desenvolvimento cognitivo humano, uma vez que para tanto é preciso, ainda, o exercício do raciocínio. Por assim dizer, a elaboração do pensamento lógico demanda um processo interno de reflexão. Tais aspectos deixam à mostra que, ao tentar descrever a origem da constituição do pensamento lógico, Piaget focaliza o processo interno dessa construção.
Simplificando ao máximo, o desenvolvimento humano, no modelo piagetiano, é explicado segundo o pressuposto de que existe uma conjuntura de relações interdependentes entre o sujeito conhecedor e o objeto a conhecer. Esses fatores que são complementares envolvem mecanismos bastante complexos e intrincados que englobam o entrelaçamento de fatores que são complementares, tais como: o processo de maturação do organismo, a experiência com objetos, a vivência social e, sobretudo, a equilibração do organismo ao meio.

O conceito de equilibração torna-se especialmente marcante na teoria de Piaget pois ele representa o fundamento que explica todo o processo do desenvolvimento humano. Trata-se de um fenômeno que tem, em sua essência, um caráter universal, já que é de igual ocorrência para todos os indivíduos da espécie humana mas que pode sofrer variações em função de conteúdos culturais do meio em que o indivíduo está inserido. Nessa linha de raciocínio, o trabalho de Piaget leva em conta a atuação de  2 elementos básicos ao desenvolvimento humano: os fatores invariantes e os fatores variantes.

(a) Os fatores invariantes:  Piaget postula que, ao nascer, o indivíduo recebe como herança uma série de estruturas biológicas - sensoriais e neurológicas - que permanecem constantes ao longo da sua vida. São essas estruturas biológicas que irão predispor o surgimento de certas estruturas mentais. Em vista disso, na linha piagetiana, considera-se que o indivíduo carrega consigo duas marcas inatas que são a tendência natural à organização e à adaptação, significando entender, portanto, que, em última instância,  o 'motor' do comportamento do homem é inerente ao ser.

(b) Os fatores variantes: são representados pelo conceito de esquema que constitui a unidade básica de pensamento e ação estrutural do modelo piagetiano, sendo um elemento que se tranforma no processo de interação com o meio, visando à adaptação do indivíduo ao real que o circunda. Com isso, a teoria psicogenética deixa à mostra que a inteligência não é herdada, mas sim que ela é construída no processo interativo entre o homem e o meio ambiente (físico e social) em que ele estiver inserido.
Em síntese, pode-se dizer que, para Piaget, o equilíbrio é o norte que o organismo almeja mas que paradoxalmente nunca alcança (La Taille, op.cit.), haja vista que no processo de interação podem ocorrer desajustes do meio ambiente que rompem com o estado de equilíbrio do organismo, eliciando esforços para que a adaptação se restabeleça. Essa busca do organismo por novas formas de adaptação envolvem dois mecanismos que apesar de distintos são indissociáveis e que se complementam: a assimilação e a acomodação.

(a) A assimilação consiste na tentativa do indivíduo em solucionar uma determinada situação a partir da estrutura cognitiva que ele possui naquele momento específico da sua existência. Representa um processo contínuo na medida em que o indivíduo está em constante atividade de interpretação da realidade que o rodeia e, consequentemente, tendo que se adaptar a ela. Como o processo de assimilação representa sempre uma tentativa de integração de aspectos experienciais aos esquemas previamente estruturados, ao entrar em contato com o objeto do conhecimento o indivíduo busca retirar dele as informações que lhe interessam deixando outras que não lhe são tão importantes (La Taille, vídeo), visando sempre a restabelecer a equilibração do organismo.

(b) A acomodação, por sua vez,  consiste na capacidade de modificação da estrutura mental antiga para dar conta de dominar um novo objeto do conhecimento. Quer dizer, a acomodação representa "o momento da ação do objeto sobre o sujeito" (Freitas, op.cit.:65) emergindo, portanto, como o elemento complementar das interações sujeito-objeto.  Em síntese, toda experiência é assimilada a uma estrutura de idéias já existentes (esquemas) podendo provocar uma transformação nesses esquemas, ou seja, gerando um processo de acomodação. Como observa Rappaport (1981:56),

os processos de assimilação e acomodação são complementares e acham-se presentes durante toda a vida do indivíduo e permitem um estado de adaptação intelectual (...) É muito difícil, se não impossível, imaginar uma situação em que possa ocorrer assimilação sem acomodação, pois dificilmente um objeto é igual a outro já conhecido, ou uma situação é exatamente igual a outra.
Vê-se nessa idéia de "equilibração" de Piaget a marca da sua formação como Biólogo que o levou a traçar um paralelo entre a evolução biológica da espécie e as construções cognitivas. Tal processo pode ser representado pelo seguinte quadro:
  ambiente      |       | desequilíbrio            |       | adaptação    |       | equilibração majorante      |
            |          |          |          |                         |          |          |
            |          |          | assimilação  |          | acomodação |          |
            |

            Dessa perspectiva, o processo de equilibração pode ser definido como um mecanismo de organização de estruturas cognitivas em um sistema coerente que visa a levar o indivíduo a construção de uma forma de adaptação à realidade. Haja vista que o "objeto nunca se deixa compreender totalmente" (La Taille, op.cit.), o conceito de equilibração sugere algo móvel e dinâmico, na medida em que a constituição do conhecimento coloca o indivíduo frente a conflitos cognitivos constantes que movimentam o organismo no sentido de resolvê-los. Em última instância, a concepção do desenvolvimento humano, na linha piagetiana, deixa ver que é no contato com o mundo que a matéria bruta do conhecimento é 'arrecadada', pois que é no processo de construções sucessivas resultantes da relação sujeito-objeto que o indivíduo vai formar o pensamento lógico.

É bom considerar, ainda, que, na medida em que toda experiência leva em graus diferentes a um processo de assimilação e acomodação, trata-se de entender que o mundo das idéias, da cognição, é um mundo inferencial. Para avançar no desenvolvimento é preciso que o ambiente promova condições para transformações cognitivas, id est,  é necessário que se estabeleça um conflito cognitivo que demande um esforço do indivíduo para superá-lo a fim de que o equilíbrio do organismo seja restabelecido, e assim sucessivamente.
 No entanto, esse processo de transformação vai depender sempre de como o indivíduo vai elaborar e assimilar as suas interações com o meio, isso porque a visada conquista da equilibração do organismo reflete as elaborações possibilitadas pelos níveis de desenvolvimento cognitivo que o organismo detém nos diversos estágios da sua vida. A esse respeito, para Piaget, os modos de relacionamento com a realidade são divididos em 4 períodos, como destacaremos na próxima seção deste trabalho.
 
Behaviorismo  – do termo inglês behaviour ou do americano behavior, significando conduta, comportamento – é um conceito generalizado que engloba as mais paradoxais teorias sobre o comportamento, dentro da Psicologia. Estas linhas de pensamento só têm em comum o interesse por este tema e a certeza de que é possível criar uma ciência que o estude, pois suas concepções são as mais divergentes, inclusive no que diz respeito ao significado da palavra ‘comportamento’. Os ramos principais desta teoria são o Behaviorismo Metodológico e o Behaviorismo Radical.
Desenvolvimento Humano.Influência do meio e da hereditariedade. Teorias explicativas do desenvolvimento humano.(resumo)

a)- Qualquer indivíduo, ao longo da sua vida, sofre mudanças físicas, mentais e comportamentais. Essas mudanças ou desenvolvimentos, são feitos em estádios de diferenciação (estruturas com características próprias, ordenadas mais não estanques e adaptáveis a cada indivíduo). Existem várias teorias sobre o Desenvolvimento Humano e em todas se utilizam, o conceito de estádios (embora com outros nomes)

É a Psicologia do Desenvolvimento que mais estuda o Desenvolvimento Humano. Estuda todos os ciclos de vida no que diz respeito às evoluções psicológicas e biológicas e às relações entre indivíduo e meio A questão primordial do Desenvolvimento humano, é determinar, quais os factores (meio ambiente ou hereditariedade) que mais influenciam no desenvolvimento. Numa primeira abordagem (Arnold Gesell, abordagem Maturacionista, Nature), as características do Ser Humano, apenas dependem do seu código genético (inato, herança). Posteriormente (John Locke), determinou-se que seriam os factores do meio e a aprendizagem (Nurture, adquiridos), responsáveis pelo desenvolvimento.

Actualmente defende-se, que o indivíduo é uma unidade biopsicosocial, e que a sua evolução é influenciada por factores quer inatos (genética) quer adquiridos (cultura, maturacionais, ambientais e aprendizagem) que interagem entre si para estruturarem o ser humano.

As Teorias explicativas do desenvolvimento humano são:-Psicanalistas: Segundo, Sigmund Freud, o desenvolvimento humano, é devido ao desenvolvimento da sexualidade através de 5 estádios (desde o nascimento até à puberdade, nos quais a zona erógena assume um papel principal). Em cada estádio, existem pulsões sexuais, que induzem determinados comportamentos e afectos. O desenvolvimento teria pois uma natureza Libidinal. Segundo Erickson, existem 8 estádios de desenvolvimento (nascimento até á morte, e ordenados por idades), influenciados por factores biológicos, individuais e sociais. Cada idade corresponde uma crise, onde o sujeito escolhe o caminho a tomar (de uma forma equilibrada), utilizando a experiência em crises anteriores. -Behaviorismo: tem a ver com o comportamento observável: clássico( Ivan Pavlov) quando o comportamento (ou aprendizagem) perante o mesmo estímulo, é semelhante pois foi aprendido em situações anteriores; ou operante(Frederic Skinner) quando a resposta ao estímulo depender das consequências que se obtiveram anteriormente. John Locke, defendia que os seres humanos nasciam como “tábua rasas”, vazios, e que depois o meio ambiente lhes fornecia pensamentos, sentimentos e comportamento -Cognitivismo: Segundo Piaget, é o próprio indivíduo, com a sua carga genética, interage com o meio construindo o seu próprio conhecimento e realidade (construtivismo) É a estrutura da evolução do conhecimento (assimilação, acomodação, adaptação e a equilibração) que traça o esquema mental que processa a informação e que evolui a medida que o sujeito se desenvolve. Segundo Vigotsky , o desenvolvimento ocorre em 2 planos, primeiro no plano social(entre sujeitos) e depois no plano psicológico (inerente ao indivíduo). Surge o conceito de Zona de proximidade- Humanismo: Defende que as pessoas tomam decisões autónomas, pois são autónomas e espontâneas. Acreditam no potencial Humano e na necessidade inata de auto-actualização.
Quais são as concepções de desenvolvimento?
Concepção inatista – É inspirada nas teorias de Darwin e explica o desenvolvimento humano como resultado único de informações biológicas. A aprendizagem não influencia o desenvolvimento.
Concepção ambientalista - Fruto de uma ciência positivista, entende que o desenvolvimento acontece por causa do ambiente. O desenvolvimento seria fruto da aprendizagem e esta aconteceria por condicionamento, ou seja, por controle do ambiente.
Concepção interacionista - o desenvolvimento humano é resultado de uma interação de fatores biológicos e ambientais, entendendo por ambiente os espaços sociais, históricos e culturais. Somos sujeitos ativos, capazes de construir nossas próprias características, de acordo com as relações que estabelecemos com o meio físico, social e cultural.
Fonte: aula professora Andrea Studart, na EAPE
Nossos estudos se concentraram nos teóricos sociointeracionistas Piaget, Vygotsky e Wallon. Fiz um texto com parte das teorias de cada autor:
Behaviorismo (Behaviorism em inglês, de behaviour (RU) ou behavior (EUA): comportamento, conduta), ou Comportamentalismo, é o conjunto das teorias psicológicas que postulam o comportamento como único, ou ao menos mais desejável, objeto de estudo da Psicologia. Os behavioristas afirmam que os processos mentais internos não são mensuráveis ou analisáveis, sendo, portanto, de pouca utilidade para a Psicologia empírica.

ESCOLAS BEHAVIORISTAS
Adota-se como marco zero do Behaviorismo a publicação, em 1913, do artigo Psychology as the Behaviorist views it, the John B. Watson. Este artigo apresenta uma contraposição à tendência até então mentalista da Psicologia do início do século XX. Também é o primeiro artigo da vertente denominada Behaviorismo Clássico ou Metodológico.

BEHAVIORISMO CLÁSSICO
O Behaviorismo Clássico (também conhecido como Behaviorismo Metodológico, Behaviorismo Watsoriano e, menos comumente, Psicologia S-R e Psicologia da Contração Muscular) apresenta a Psicologia como um ramo puramente objetivo e experimental das ciências naturais. A finalidade da Psicologia seria, então, prever e controlar o comportamento de todo e qualquer indivíduo.

A proposta de Watson era abandonar, ao menos provisoriamente, o estudo dos processos mentais, como pensamento ou sentimentos, mudando o foco da Psicologia, até então mentalista, para o comportamento. Para Watson, a pesquisa dos processos mentais era pouco produtiva, de modo que seria conveniente concentrar-se no processo psicológico observável, o comportamento. No caso, comportamento seria qualquer mudança observada, em um organismo, que fossem conseqüência de algum estímulo ambiental anterior, especialmente alterações nos sistemas glandular e motor. Por esta ênfase no movimento muscular, alguns autores referem-se ao Behaviorismo Clássico como Psicologia da Contração Muscular.

O Behaviorismo Clássico partia do princípio de que o comportamento era modelado pelo paradigma pavloviano de estímulo e resposta conhecido como condicionamento clássico. Em outras palavras, para o Behaviorista Clássico, um comportamento é sempre uma resposta a um estímulo específico. Esta proposta viria a ser superada por comportamentalistas posteriores, porém. Ocorre de se referirem ao Comportamentalismo Clássico como Psicologia S-R (sendo S-R a sigla de Stimulus-Response, estímulo-resposta em inglês).

É importante notar, porém, que Watson em momento algum nega a existência de processos mentais. Para Watson, o problema no uso destes conceitos não é tanto o conceito em si, mas a inviabilidade de, à época, poder analisar os processos mentais de maneira objetiva. De fato, Watson não propôs que os processos mentais não existam (como faria Skinner, posteriormente), mas sim que seu estudo fosse abandonado, mesmo que provisoriamente, em favor do estudo do comportamento observável. Uma vez que, para Watson, os processos mentais devem ser ignorados por uma questão de método (e não porque não existissem), o Comportamentalismo Clássico também ficou conhecido pela alcunha de Behaviorismo Metodológico.

Watson era um defensor da importância do meio na construção e desenvolvimento do indivíduo. Ele acreditava que todo comportamento era conseqüência da influência do meio, a ponto de afirmar que, dado algumas crianças recém-nascidas arbitrárias e um ambiente totalmente controlado, seria possível determinar qual a profissão e o caráter de cada uma delas. Embora não tenha executado algum experimento do tipo, por razões óbvias, Watson executou o clássico e controvertido experimento do Pequeno Albert, demonstrando o condicionamento dos sentimentos humanos através do condicionamento responsivo.

BEHAVIORISMO RADICAL
O behaviorismo radical foi desenvolvido não como um campo de pesquisa experimental, mas sim uma proposta de filosofia sobre o comportamento humano que utiliza como referência outros filósofos da ciência do século XX, contextualizado por todas das crises de paradigmas vivenciadas pelo pensamento científico até hoje, seu principal autor foi o psicólogo americano Burruhs Skinner (1953), que além de ser o representante mais importante do behaviorismo radical, desenvolveu os princípios do condicionamento operante e a sistematização do modelo de seleção por consequências para explicar o comportamento. O condicionamento operante explica que quando após um comportamento ou atitude é seguida a apresentação de um reforço, aquela resposta (ação) tem maior probabilidade de se repetir com a mesma função.
Consiste na teoria explicativa do comportamento publicamente observável da Psicologia, a qual postula que esta deve ocupar-se do comportamento animal (humano e não humano) apenas quando for possível uma observação pública para obter uma mensuração, ao invés de ocupar-se dos estados mentais que possam gerar ou influenciar tais comportamentos. Assim o behaviorismo metodológico acredita na existência da mente, mas a ignora em suas explicações sobre o comportamento. Para o behaviorismo metodológico os estados mentais não se classificam como objetos de estudo empírico. Seus postulados foram formulados predominantemente pelo psicólogo americano John Watson.
Em oposição ao Behaviorismo metodológico foi proposto o Behaviorismo radical, desenvolvido por Burrhus F. Skinner

O Behaviorismo Radical consiste numa filosofia da Psicologia, a qual se propõe a explicar o comportamento animal (humano e não humano) com base no modelo de seleção por consequências e nos princípios do comportamento postulados pela Análise Experimental do Comportamento (AEC). O nome que mais fortemente está associado a esta linha do behaviorismo é o de Burrhus Frederic Skinner.

BEHAVIORISMO FILOSÓFICO
O behaviorismo filosófico consiste na teoria analítica que trata do sentido e da semântica das estruturas de pensamento e dos conceitos. Defende que a idéia de estado mental, ou disposição mental, é na verdade a idéia de disposição comportamental ou tendências comportamentais. Nesta concepção, são analisados os estados mentais intencionais e representativos. Esta linha de pensamento fundamenta-se basicamente nos postulados de Ryle e Wittgenstein.



ERIK ERIKSON :  O DESENVOLVIMENTO PSICOSSOCIAL
O tema central do desenvolvimento da personalidade é a busca de uma identidade do ego.Erikson dividiu a duração da vida em oito estágios psicossociais de  desenvolvimento , cada um dos quais envolve um conflito ou crise que tem de ser resolvido.Esses conflitos surgem em cada estágio desenvolvimental a medida que o o ambiente faz novas exigências. A pessoa se vê diante de uma escolha entre dois modos de lidar com a crise, um modo adaptativo e um modo inadaptativo.Somente quando a crise de cada estágio é resolvida, tendo a persolidade portanto, se modificado, a pessoa tem força suficiente para enfrentar o próximo estágio do desenvolvimento. Os primeiros estágios propostos por Erikson se assemelham aos estágios oral, anal,e fálico e ao período de latência de Freud, embora Erickon enfatize os fatores socias do que os biológicos e sexuais. Os quatro últimos estágios do desenvolvimento são bastante ignorado por Frued, cada um desses estágios de crescimento , embora carregado de tensão o bastante para ser considerado uma crise, pode ter um  desfecho positivo se resolvido de maneira adaptativa.
Erikson acreditava que podemos influenciar e dirigir conscientemente nosso desenvolvimento em cada estágio.Isso contrasta com a concepção freudiana de que somos produto das experiências infantis e incapazes de mudar mais tarde.Embora reconhecesse que as influências infantis são importantes e podem ser até truamáticas, Erikson afirmava que os eventos de estágios ulteriores podem se contrapor às experiências infantis negativas e superá-las, contribuindo para a nossa meta última: o estabelecimento de uma identidade de ego positiva.
EGO - centro da estruturação da personalidade , construído através das interações.
AGENTES SOCIALIZADORES FUNDAMENTAIS : família, escola , amigos...
CRISE PSICOSSOCIAL : conflito / ajustamento pessoal
 BIPOLARIDADE : atitudes básicas alternativas

DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO
ESTÁGIOS PSICOSSOCIAIS
MODALIDADE                                                                    CRISE PSICOSSOCIAL
FASE-ORAL                                                                  confiançaxdesconfiança    
                                                                                                                                              no outro e em  si                                                                                                                                                                                                                                                                   
 LOCOMOTORA-GENITAL                        autonomia X vergonha e dúvida 
                                                                                          retenção ou eliminação
LOCOMOTORA- GENITAL                                                    iniciativa x culpa
                                                                                          competição e iniciativa
LATÊNCIA                                                                    domínio x inferioridade
ADOLESCÊNCIA                                          identidade x confusão de papéis
                                                   querem ser adultos e cças ao mesmo tempo 
IDADE ADULTA JOVEM                                           intimidade x isolamento
                                                                                               formação da familia
IDADE ADULTA JOVEM                                   generatividade x estagnação
                                                                                         útil p/ a sociedade
MATURIDADE                                         integridade do ego x desesperança              
                                                                              temem a morte e o abandono       
Para Erikson, a identidade depende de uma constante reorganização durante o processo de desenvolvimento. A formação da identidade está associada a identificações passadas que são selecionadas, sintetizadas e integradas pelo ego, resultando em uma posição psicossocial diferenciada. Para ser coerente no seu funcionamento e ter um sentido de unidade , a personalidade precisa descartar as identificações inconsistentes com o padrão de idendtidade.
A conquista da identidade depende também do reconhecimento pelos outros , o que ajuda a encontrar um lugar seguro na sociedade . Ela é a capacidade do indivíduo de colocar-se em oposição e conseguir o reconhecimnto dessa oposição pelos outros. A integração da personalidade permite fazer valer sua identidade na participação efetiva na vida comunitária.      
PERGUNTA.
Erikson começa a construir sua teoria psicossocial do desenvolvimento , sempre considerando o ser humano como um ser social, antes de tudo, um ser que vive em grupo e sofre a pressão e a influência deste.Como o professor auxilia seus alunos diante das crises enfrentadas por eles?



                        Capitulo: 18 

                        Resumo: Psicologia do Desenvolvimento            
            
                       As inteligências múltiplas de Howard Gardner

     Os estudos da relação entre cérebro e mente, vem causando impacto nas formas de conceber a inteligência humana.
     Howard Gardner surge como um expoente ao considerar a inteligência múltipla.
     A teoria da inteligência múltipla foi desenvolvida como uma explicação, o fato que carda das formas de inteligência pode ser canalizada para outros fins. Denotando as características de independência e interdependência.
     Howard Gardner é influenciado por Jean Piaget, por considerar a inteligência uma construção da criança, mas discorda quando Piaget afirma que a inteligência é única.
Gardner construiu suas idéias sobre multiplicidade da inteligência humana.

                               O que são múltiplas inteligências?

     Gardner busca propor que a mente humana não é local de uma inteligência, mas sim múltiplas. Não se trata de capacidades múltiplas que constituem a inteligência, o fato de cada inteligência ser um sistema distinto e independente umas as outras.

                 Critérios e características para a existência da inteligência.

     Gardner chama a atenção e aponta a existência de pelo menos oito características.

Primeira – O isolamento de determinada capacidade por dano cerebral, perda de determinada habilidade ou capacidade.

Segunda – Pessoas que entre tantas demonstram um talento especial na execução de tarefas cognitivas, uma inteligência especifica.

Terceira – Pessoa que apresenta uma atividade operacional, pessoas que detectam relações de cores e tonalidades em quadros de pintores.

Quarta – Torna a pessoa um expert. Algo como perceber uma aprendizagem de um determinado conhecimento, levando o aprendiz a um nível de compreensão avançado.

Quinta -- Os acréscimos da inteligência estão associados ao processo de adaptação do sujeito ao ambiente, apresenta uma interação fácil e rápida.

Sexta -- O desempenho em atividades experimentais de pesquisa . Revela dificuldades em realizar tarefas linguísticas e facilidades em tarefas visoespaciais, demonstra uma desenvoltura mais especificas.

Sétima – Muitas vezes, essa inteligência se manifesta em provas de psicometria, testes de capacidades para cada inteligência.

Oitava – È suscetível ao sistema simbólico, como línguas ou matemática. Manifestam-se no palco, arena, salas de cirurgia em que o profissional pode demonstrar sua inteligência ao manejar um instrumento para o bem da vida.

                                        Tipos de inteligência: 

Lingüística – Inteligência em que há sensibilidade especial para a linguagem, pessoas com facilidades em se expressar, escrever e compreender as palavras.

Musical – Inteligência que há sensibilidade para a musica em geral, variações de ritmos, melodias, instrumentos, canto... Etc. Todo relacionamento com a musica.

Especialidade - Facilidade para recriar imagens visuais na memória. Ex: Leitura de mapas e decoradores mentalmente. Redefinem algo sem modificá-lo.

Corporal – cinestésica – Facilidade para movimentos corporais. Ex: Esportes coletivos, dança... Etc.

Sinal ou Interpessoal – Inteligência social, facilidade de entender sentimentos e comportamento dos outros. Busca entender sentimentos de pessoas a sua volta.

Intrapessoal ou pessoal – Aquele que entende ele mesmo, entender nossas emoções, sentimentos, fazer analise  existencial ,ter capacidade de se entender e se preciso mudar sua conduta.

Lógico matemático – Facilidade para símbolos em geral, resolver problemas matemáticos, lógicos e raciocínio.


                                            Gardner.
 Acredita que há necessidades de uma transformação, a educação deve ser clara quanto suas metas, entender quais as habilidades de cada aluno e avaliar cada um. Para Gardner o professor deve buscar meios de desenvolver as varias inteligências do aluno, incentivar o talento de cada um, ajudando a desenvolver as outras inteligências. Analisar o universo cultural e trabalhar as diversidades (diferenças).

                                           Questão:
Analisando a teoria de Howard Gardner sobre inteligências múltiplas, relacione a escola atualmente.



MECANISMO DE DEFESA
Os mecanismos de defesa são as técnicas de que o ego se serve como proteção contra as reivindicações dos impulsos, representações sensórias dolorosas e afetos insuportáveis.
As pessoas defendem-se inconscientemente da ansiedade que sentem numa situação  perturbadora.podem fazê-lo distorcendo a realidade e enganando a si mesmo e isto,para os psicanalistas são denominados de recalques.

Todos nós usamos desse mecanismo para proteger nossa auto-imagem positiva, o que é bastante comum em nossa vida diária. Temos necessidade de uma auto-estima positiva, de aprovar nosso comportamento e justificá-lo quando necessário. Quando os mecanismos de defesa são levados a extremos, assumindo um papel preponderante na vida das pessoas, a tendência dos psicólogos é considerar como anormalmente perturbados.

Os diferentes tipos de mecanismo de defesa:
- PROJEÇÃO: às vezes as pessoas se sentem mal por terem certos pensamentos ou impulsos. Podem atribuí-los então a alguém projetando nessa pessoa os seus próprios sentimentos. Os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de dentro dele para o meio externo. Ex. um gerente que sempre chega atrasado e reclama  ao superintendente geral que seu funcionário nunca chega pontualmente.
- ISOLAMENTO: consiste em isolarmos um pensamento, atitude ou comportamento dos contatos sociais.
- NEGAÇÃO: é o mecanismo de defesa mais simples e direto pois alguém simplesmente recusa a aceitar a existência de uma situação penosa demais para ser tolerada. Um bom exemplo de negação é um garoto que, ao ser acusado de roubo ( e realmente é culpado), diz: ‘’eu não tenho nada comigo! Eu achei no chão e o dono da loja me deu!.’’
- INTROJEÇÃO: é integrar as crenças e os valores de um outro indivíduo à estrutura do próprio ego.
- IDENTIFICAÇÃO: o indivíduo assimila um aspecto, uma característica de outro e se transforma total ou parcial, apresentando-se conforme o modelo desse outro. A maior parte das identificações ocorre no mundo da fantasia, temos como exemplo a criança que se identifica com seu herói favorito, a moça que se identifica com a mocinha da novela, etc.
- FORMAÇÃO REATIVA: quando as pessoas se sentem ameaçadas por um impulso opressor podem combatê-lo indo para o extremo oposto e denunciando-o em outras pessoas. Ex.: uma mãe que se preocupa exageradamente com o filho pode ser reflexo de uma verdadeira hostilidade a ele.
- DESLOCAMENTO: está relacionado à sublimação e consiste em desviar o impulso de sua expressão direta. Nesse caso, o impulso não muda de forma, mas é deslocado do seu alvo original para o outro. Ex.: receber uma bronca do chefe e, assim que chegar em casa, chutar o cachorro como se ele fosse o responsável pela frustração.
- RACIONALIZAÇÃO: quando as pessoas fazem coisas que não deviam, é comum sentirem culpa, e ao invés de admitirem a razão real de seu comportamento, preferem com freqüência racionalizar inventando razões plausíveis para o seu ato. Ex.: um funcionário tira dinheiro do caixa e é pego, fala que estava precisando muito e que no próximo mês devolveria todo o valor, outro exemplo seria um aluno que, não conseguindo responder a uma questão, diz ‘’isso não é interessante de saber mesmo’’, não respondi porque não tive tempo de estudar, pois lá em casa fazem muito barulho.
- SUBLIMAÇÃO: é o mecanismo de defesa mais aprovado pela sociedade. Quando temos um impulso que não podemos expressar diretamente, reprimimos a sua forma original e o deixamos emergir a outrem ou a nós próprios. Ex.: um indivíduo com alta agressidade pode se tornar cirurgião, para o que necessita cortar tecidos sem hesitação; é uma forma de socializar a agressidade.
- ANULAÇÃO: desfazem um dano que o indivíduo imagina que pode ser causado por seus desejos. Ex.: faz sinal da cruz para afastar um pensamento pecaminoso.
- CONVERSÃO: consiste em uma transposição de um conflito psíquico e uma tentativa de resolução desse conflito por meio de expressões somáticas como dores de cabeça. Passa-se o problema da mente para o corpo.
- REGRESSÃO: é o retorno do indivíduo a níveis anteriores do desenvolvimento sempre que depara com uma frustração. É uma sucessão genética e designa o retorno do sujeito a etapas ultrapassadas do seu desenvolvimento. Por exemplo, o choro das pessoas em certas situações pode ser uma regressão à infância, que pode ter tido uma situação em que o choro resolveu o problema.


O PROFESSOR E A TEORIA FREUDIANA DA APRENDIZAGEM
Freud estudava comportamentos mentais de diferentes pacientes que sofriam de transtornos decorrentes de conflitos mentais por causa do processo de castração ou pulsão da libido. Ficou evidente pra ele que, estas frustrações estavam relacionadas aos valores gerados por uma educação conservadora e moralizante.
Ele acreditava que os conceitos psicanalíticos podiam diminuir estes rigores sociais e morais, pois a psicanálise trabalha e estuda os aspectos e o processo da sexualidade humana.
Assim sendo, a educação deveria ser fonte de prazer e não de castração, poderia exercitar esse conflito, deveria estimular e mediar as relações entre o prazer e o recalcamento desse prazer pela moral.
A criança nasce com pulsões de natureza biológica como a curiosidade sexual, a manipulação genital, os prazeres da sucção, etc e Freud denomina cada um desses aspectos de pulsão parcial, pois representam um ato livre sem nenhum interesse pela idéia de relação.
Estas pulsões podem ser direcionadas para um objeto de desejo vinculado a questões de utilidade social e não apenas sexual. Esse processo é chamado de sublimação, pois direciona a pulsão para outros focos.
O indivíduo da educação tem suas pulsões libidinais desde o nascimento e essas pulsões podem ser canalizadas pelo ato educativo para focos distinto da libido sexual.
Freud, acreditando nesse processo da sublimação na educação, enfatizou que o professor assumiria o papel de questionar cada aluno sobre suas atitudes negativas ou perversas.
Os educadores devem refletir sobre o ato educativo repressor, pensar numa educação desafiadora e prazerosa, direcionando as pulsões parciais dos sujeitos de aprendizagem para valores socialmente superiores e culturais.
Através dos escritos de Freud, percebia-se que a educação produtora de pessoas neuróticas, representava o poder político dos governantes sobre a população.
Para Freud, o educador deveria buscar para seu educando o equilíbrio entre o prazer individual e as necessidades sociais, direcionar as pulsões parciais para objetos culturais.
Na relação entre ensino e aprendizagem, o professor pode ser a figura na qual o aluno transfere seus interesses ou pulsões parciais. Quando esta transferência acontece, fica estabelecido uma relação de troca de significados e como o professor tem o papel de direcionar as pulsões sexuais parciais do aluno, este sublima para as suas necessidades e assume uma relação de poder sobre o aluno.
Enfim, a psicanálise traz à reflexão a questão do que é ensinar e o que é aprender e analisa a relação entre professor e aluno, uma relação transferencial que estaria no ceme do que proporciona o aprendizado.

Questão: Qual o principal foco pedagógico na visão de Freud sobre educação e sublimação?



Aulas de 1 a 20 em Áudio MP3 

http://www.4shared.com/dir/IHbphtcX/sharing.html
Atividades de Psicologia do
                         Desenvolvimento

Aula 1- Aspectos históricos da Psicologia do Desenvolvimento
1.Qual a importância dos estudos do desenvolvimento infantil?
Os estudos  do  desenvolvimento  infantil  colaboram  significativamente para o entendimento  dos processos biológicos  e  culturais envolvidos na formação das pessoas como sujeitos sociais. Conhecer esses aspectos e a evolução humana permite que os professores possam entender  os alunos nas  suas características globais. Dessa maneira, o professor que compreende o modo de agir e pensar da criança, com suas especificidades, contribui para uma melhor qualidade de seu trabalho cotidiano.

2.Como a Psicologia soviética de Vygotsky define o processo de formação da consciência humana?
Vygotsky compreende que a formação da consciência  humana se desenvolve a partir do contexto  cultural e das  relações sociais. O conhecimento é construído de forma coletiva.


Aula 2-  Vygotsky: vida e obra
1.Quais motivos levaram Vygotsky a se interessar por Psicologia?
O interesse de Vygotsky por Psicologia originou-se do contato com crianças deficientes, com  problemas congênitos e neurológicos. A partir  dos  estudos  com essapopulação,  ele procurava auxiliar  no desenvolvimento dessas crianças.

2.Quais as características da Psicologia materialista defendida por Vygotsky?        
A  psicologia  materialista  de Vygotsky compreendia  o  homem  em uma relação dialética em que ele é, ao mesmo tempo, produto e produtor de sua história.O psiquismo humano é explicado a partir das interações dos aspectos biológicos e sociais no desenvolvimento.


Aula 3- Bases epistemológicas de Vygotsky
1-De acordo com a perspectiva sociointeracionista de Vygotsky, como ocorre a construção da inteligência?
A construção da inteligência ocorre através da complementaridade dos aspectos biológicos e sociais. Essa teoria considera que é por meio das suas interações com outros seres humanos que o homem se constrói.Em outras palavras, o homem não nasce homem e sim com possibilidades de humanizar-se nas interações queestabelece ao longo da vida.

2.Para Vygotsky, como a criança interioriza o mundo ao seu redor?
Para Vygotsky, a criança interioriza o mundo ao seu redor através da linguagem, do uso dos signos e da imitação.

3.Explique o que Vygotsky quer dizer com “formas típicas do comportamento humano”.
Vygotsky considerava que as formas típicas do comportamento humano não estão prontas ao nascimento e se desenvolvem no decorrer da vida. Como formas típicas de comportamento humano temos: a capacidade de solucionar problemas;o uso da memória; a formação de conceitos e o desenvolvimento da linguagem.


Aula 4- O processo de humanização
1.O que são comportamentos instintivos? Cite exemplos.
Comportamentos instintivos são comportamentos ativados em situações de ameaça, fome, sobrevivência, emoção e medo. Exemplos de Comportamentosinstintivos são:  reagir  a  um  assalto,  sentir  arrepio frente a  um vento frio e uma mãe que tenta proteger o filho de um afogamento.

2. Vygotsky considerava que os comportamentos humanos correspondentes à história da evolução das espécies são chamados de filogênese. Explique.
O fato de o homem se tornar bípede e usar as mãos são características que foram se impondo ao longo da história. Esse aspecto permitiu ao homem desenvolver acoordenação motora fina e o movimento de pinça, que possibilita  a  escrita.  Outra  característica  da  filogênese  humana  diz  respeito à flexibilidade do nossocérebro, que permite  que  ele se adapte às  mais variadas situações. O homem não possui um cérebro predeterminado geneticamente ao nascer. Ele se desenvolve partir da maturação biológica e da interação com o meio social.


Aula 5- A função do instrumento, do símbolo e da linguagem no desenvolvimento humano
1.Qual estágio representa um  momento  expressivo  no  desenvolvimento  do bebê?
No bebê, o controle da cabeça e do  tronco é  um momento significativo do  desenvolvimento  humano.  Quando  o  bebê  começa  a  se  arrastar e consegue ir ao encontro dos brinquedos que procura, aos poucos ele vai conseguindo conter seus reflexos involuntários e começa a desenvolver o sistemade preensão com as mãos. No momento em que ele consegue se sentar, novas Possibilidades interativas vão surgindo no ambiente.

2.O  brinquedo  foi  um  instrumento  elaborado  historicamente  para  criança brincar e também traz modas aparentes nas suas representações.
Descreva os significados simbólicos dos brinquedos:
a)  boneca Barbie;
b)  boneca Africana.
Como esses podem ser usados na educação?
A boneca Barbie representa simbolicamente a sociedade norte-americana e seus valores, assim como a boneca africana traz representações culturais de seu povo. Esses  brinquedos podem ser usados na educação  para  se discutir as características de cada sociedade e as implicações dos simbolismos expressos nessesbrinquedos.  

Aula 6- A formação de conceitos elementares
1.Por que os signos são considerados instrumentos psicológicos na teoria de Vygotsky?
Os signos são considerados instrumentos psicológicos na teoria de Vygotsky porque tornam presente o que está ausente e auxiliam na memória.

2.Qual o significado da zona de desenvolvimento proximal (ZDP)  na teoria de Vygotsky? Cite um exemplo.
A zona  de  desenvolvimento proximal é a forma compartilhada de construir conhecimentos e auxiliar as pessoas na resolução de seus problemas. Um exemplo é quando um amigo de sala de aula auxilia o outro na resolução de um problema matemático.


Aula 7- A formação de conceitos científicos
1.Qual o significado da escola para a sociedade?
 A escola é criação social e representa um espaço em que as apropriações comuns de uma sociedade podem ser ordenadas e classificadas de acordo com a utilidade e a significação dos conceitos sociais, desde que essas apropriações tenham relevância para o desenvolvimento da criança, sendo utilizadas como ferramenta da interação da criança com o grupo social. Assim, a escola representa os saberes necessários para a participação social, constituídos a partir da realidade conceitual  apropriada pelas crianças dessa comunidade e organizados de modo sistemático ou científico, o que é comprovado por meio de sua utilidade social para a participação do sujeito nos mais diferentes segmentos sociais.

2.  Qual era o pensamento de Vygotsky em a relação entre escola e educação?
Na escola as relações de conhecimento  são  intencionais  e planejadas. A criança sabe que vai para a escola para aprender. O professor, por sua vez, orienta  a criança,  apresenta  os  conhecimentos  de  forma  sistematizada, chama a atenção para a diversidade de aspectos que os conceitos apresentam, ensina  a  criança a  ler,  a  escrever, a  utilizar-se  dos  instrumentos e  materiais escolares  e  a  comportar-se nesse  novo  ambiente. Enquanto aluno, a criança também  procura incorporar  esses comportamentos  escolares. Ela vai interiorizando formas de agir, pensar e racionar de acordo com os moldes escolares.


Aula 8- O desenvolvimento  mental segundo Piaget
1.Resuma a vida de Piaget descrevendo quais foram os motivos que o levaram ao interesse pela Psicologia
Piaget nasceu na Suíça, em Neuchatel, no ano 1896. Faleceu em Genebra no ano 1980. Ele viveu um período de virada de século e de grandes transformações. Seus 84 anos de vida permitiram que deixasse para  a humanidade uma extensa obra científica. O seu comportamento investigativo desde a infância foi resultado de uma influência paterna e de conflitos que possuía com sua mãe, o que o fazia com que ele se afastasse das atividades da infância e se dedicasse aos estudos. Aos 11 anos realizou um trabalho científico sobre os moluscos. Na universidade ele cursou Biologia. Depois foi estudar Psicologia, pois, o seu interesse estava voltado para investigar como ocorre a construção do conhecimento.

2.No desenvolvimento infantil, busque exemplos de situações reais em que a criança tem uma compreensão do mundo diferente do adulto – por exemplo,
a criança que chora quando a mãe se esconde atrás do lençol, pensando que a mãe sumiu.
A criança não tem noção de parentesco: não sabe quem é o pai do pai e irmão do avô. A criança não sabe  porque  é  mais velha dos irmãos  e  faz aniversário em dezembro.


Aula 9- Estágios do desenvolvimento  da teoria piagetiana
1.Por que os  professores precisam estar atentos  aos  estágios do desenvolvimento de seus alunos?
Os  professores  precisam  estar  atentos  aos  estágios  do  desenvolvimento porque a compreensão desses  estágios  auxilia na construção de suas práticas  pedagógicas. No  cotidiano do seu  trabalho,  o professor precisa realizar planejamento de suas aulas levando em conta as adaptações dos conteúdos às necessidades referentes à faixa etária das crianças e as suas capacidades de raciocínio.

2.Para Piaget, de que forma o desenvolvimento das noções de moral e respeito começam a se manifestar no período operatório concreto?
Nesse  estágio, as crianças  começam a colaborar mais efetivamente com os colegas em trabalhos em grupo, exercitam mais a reflexão e possuem um sentimento maior de justiça, responsabilidade, respeito e fidelidade grupal.


Aula 10- O desenvolvimento da inteligência
1.Piaget considerava que a inteligência era herdada geneticamente? Justifique.
Piaget considerava que a hereditariedade influenciava no desenvolvimento, mas era insuficiente para explicá-lo. Ele considerava que nós herdamos geneticamente a inteligência. Nós possuímos um organismo que amadurece em contato com o ambiente.

2.Qual a definição de Piaget para as experiências físicas das crianças?
A experiência física é entendida como toda a experiência que resulta das ações materiais sobre os objetos. É quando o sujeito, ao agir sobre os objetos, abstrai, das suas ações, as propriedades físicas e as propriedades observáveis desses objetos.


Aula 11- Wallon e a Psicologia genética
1.Por que a teoria walloniana tem como características marcantes a discussão dos conflitos, das contradições e das turbulências no processo de desenvolvimento humano?
Wallon viveu em uma época de muita turbulência política, o que marcou profundamente suas obras. As duas guerras mundiais (1914-1918 e 1939-1945)  e o  avanço do fascismo  fizeram com que ele refletisse sobre a influência do meio no  comportamento  das  pessoas,  sobre  a  questão dos conflitos, do movimento, das contradições e a formação das emoções.

2.Como Wallon considera a emoção?
Wallon  a  considera  possuidora  de  um  papel  expressivo  no  desenvolvimento humano.  Ele  observa  as  características  visíveis  da  emoção e afirma  que, independentemente  de  cultura,  a  emoção é  acompanhada de reações orgânicas, batimentos cardíacos e uma série de outras manifestações. Entretanto, ela é contagiosa, representa as manifestações culturais e expressivas de cada povo. Assim, considera as emoções como processos coletivos. Para ele, as pessoas choram ou sorriem em relação a alguém ou alguma coisa.

Aula 12- Wallon e o desenvolvimento da consciência
1.Releia as leis reguladoras e exemplifique de que forma elas se dão na relação entre mãe e filho nos primeiros seis meses de vida.
Para Wallon, as leis reguladoras do desenvolvimento como a alternância de movimentos (ora para si e ora para o outro), bem como a predominância de ações (afetivas e cognitivas) faz com que os indivíduos se tornem biologicamente sociais. Ex.: quando uma criança é bem pequena – bebê de dois meses, ela ainda está ligada afetivamente com a mãe e não se reconhece como diferente – está voltada para si. Aos seis meses, ela começa a reconhecer o outro, voltando-se para o mundo externo e começando a apresentar condutas mais cognitivas sobre o mundo.


Aula 13- A teoria psicanalítica de Sigmund Freud
1.Quais os motivos da teoria de Sigmund Freud ser polêmicas desde a sua época até os tempos atuais?
A obra  de  Freud  é  discutível até a atualidade por  ter trabalhado  com  a noção  de  inconsciente  e  rompido  com  os  moldes  e  interpretações  do comportamento humano propostos pela Psicologia empirista, que defendia que as reações humanas precisavam ser medidas e quantificadas. Os aspectos ocultos e inconscientes das ações  humanas eram desprezados pelos empiristas.

2.Quais as primeiras descobertas de Freud em relação às doenças mentais?
Os cientistas da época de Freud acreditavam que a histeria ocorresse somente com as mulheres. Mas Freud descobriu que também era uma patologia masculina e essa doença podia ser causada e anulada e dissociada das pessoas com o auxílio da hipnose.


Aula 14- A construção do aparelho  psíquico e o estágio do espelho
1.Freud considerava que a noção de instinto para os homens era diferente da noção de instinto nos animais. Explique essa afirmativa.
Freud considera que  o  homem possui dois instintos básicos  que  representam  forças opostas.  De um  lado, está o  instinto sexual e, de outro,  o da agressividade, o instinto destrutivo. De certa forma, para sobreviver, o homem precisa da união desses dois pólos. Ou seja, o homem precisa ser regido pelo princípio da vida, do prazer, mas também precisa se direcionar pelo princípio da realidade, pois não é possível se orientar somente pelo princípio  do  prazer,  nem tampouco apenas  pelo princípio  da  realidade. Na vida, são necessários momentos de fantasia, mas também de enfrentamento dos problemas e situações.

2.Quais foram as modificações realizadas por Freud da primeira teoria do aparelho psíquico para a segunda teoria?
Nas suas primeiras obras, ele considerava que o aparelho psíquico é constituído  do  consciente,  inconsciente  e  pré-consciente.  Anos  mais  tarde, acrescentou os conceitos de id, ego e superego.


Aula 15- Mecanismo de defesa ............. (veja no final mais sobre mecanismo de defesa)
1.O que são mecanismos de defesa na teoria freudiana?
Para  evitar a angústia  provocada  pelas  situações  de perigo e ameaça  à sua constância, o ego lança mão dos mecanismos de defesa. Portanto, as defesas nada  mais  são  do que  operações  efetuadas pelo  ego visando  a reduzir ou  suprimir os estímulos  externos ou  internos que o  invadem e lhe causam  desprazer.  Portanto,  as  estruturas defensivas não são  exclusivas  da patologia:  elas  fazem  parte,  normalmente,  do  ajustamento, da adaptação e do equilíbrio  da  personalidade, enquanto  a  patologia  está na quantidade de defesa utilizada, na sua rigidez etc. Cada estrutura terá tipos  específicos de defesa e os mecanismos  de defesa são mobilizados pela parte inconsciente do ego.

2.O que significa projeção na teoria freudiana?
É o mecanismo de defesa por meio do qual os aspectos da personalidade de um indivíduo são deslocados de dentro dele para o meio externo.

3.Analise a frase “Para Freud, a educação deveria ser fonte de prazer, de satisfação, e não de castração ou recalque”. Como seria possível fazer isso nos dias de hoje e como a Psicanálise pode contribuir?
Freud considerava que a educação era transmissora de moral e de valores muito rígidos.  Dessa  maneira, através de ações  da  repressão  e  de  recalques, ela  incutia nos alunos a noção  de pecado e  vergonha  que  se confrontava com o princípio do prazer. A Psicanálise pode auxiliar a educação fornecendo meios para que osprofessores e alunos encontrem situações prazerosas no ensino e na relação de aprendizagem
Aula16-  Erik Erikson: o desenvolvimento psicossocial
1.Qual a formação universitária de Erik Erickson e quais os motivos que o levaram a estudar a questão da identidade?
Erickson fez seus estudos na Sociedade Psicanalítica de Viena, na Áustria. Estudou principalmente Antropologia, atuou junto a tribos indígenas e se tornou um notável  professor  de  Desenvolvimento  Humano na  Universidade de Harvard. De acordo com Schultz e Schultz (1992), os conceitos de crise de identidade defendidos por Erickson foram provenientes do desconhecimento do seu pai biológico e dos preconceitos que sofreu na vida pelo fato de ser judeu.


2.Quais os  dois conceitos mais importantes da teoria de Erikson que facilitaram a compreensão da psique humana?
O conceito do ciclo da vida e a crise da identidade.


Aula 17- Psicologia cognitiva:  o processamento da informação
1.Qual a diferença entre o behaviorismo e a Psicologia cognitiva?
O behaviorismo se preocupava com o estudo do comportamento humano e a Psicologia cognitiva se preocupa com o estudo do comportamento, assim como dos processos mentais  que formam a consciência.

2.Quais as analogias que são realizadas na Psicologia cognitiva entre o modo de operacionalização do computador e da mente humana?
São analisados alguns elementos comuns no que diz respeito aos modos de operacionalização do computador e da inteligência humana: a capacidade de armazenamento de memória, a quantidade, o processamento e a manipulação de informações, a estruturação de linguagens e símbolos.

3.Quais  as  características  gerais do  cérebro  humano e as  principais  funções por ele executadas?
O cérebro humano é dividido em dois hemisférios: o hemisfério esquerdo e o hemisfério direito. O hemisfério dominante dos humanos é o hemisfério esquerdo, responsável  pelo pensamento lógico e competência comunicativa.  Enquanto o  hemisfério  direito  é  responsável  pelo  pensamento simbólico e criatividade. O cérebro também é formado por córtex, responsável pela motricidade, o corpo caloso e a área de broca, responsável pela linguagem. Qualquer acidente em uma dessas áreas pode comprometer a cognição e a motricidade de uma pessoa.


Aula 18- As inteligências múltiplas  de Howard Gardner
1.De que forma a teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner concebe a cognição humana?
A teoria das inteligências múltiplas de Howard Gardner concebe que a inteligência humana  é plural, diversificada  e que se compõe de diferentes facetas interdependentes.

2.Quais são os tipos de inteligência descritas por Howard Gardner?
 linguística;  musical;  espacialidade;  corporal-cinestésica; 
 social ou interpessoal;  intrapessoal ou pessoal; 
 lógico-matemática.
Contudo,  alguns  estudiosos  consideram  que  Gardner  propôs  recentemente duas novas dimensões de inteligência: a inteligência naturalista e a inteligência existencialista.


Aula 19- A inteligência triárquica  de Robert Sternberg
1.A teoria triárquica de Sternberg exalta o fato de a inteligência ser governada por três princípios. Quais? Explique cada um deles.
Os princípios prático, criativo e analítico. No princípio criativo manifestam-se as capacidades para criar, inventar,  descobrir,  imaginar  e supor.  Aqui tentamos  resolver novos tipos  de  problemas, que nos exigem ponderar sobre o problema e seus elementos de uma nova maneira. Nas habilidades práticas, as habilidades conquistadas são executadas. Aqui buscamos resolver  os  problemas  que aplicam o que  sabemos  aos contextos  cotidianos. No princípio analítico estão funcionais as habilidades de analisar, comparar, julgar e contrastar. Aqui tentamos resolver problemas conhecidos usando estratégias que manipulam os elementos de um problema ou a relação entre eles.

2.Quais as considerações da teoria de Sternberg para a Educação?
Na educação, é muito importante que os professores se conscientizem de que  o ato de educar  não envolve somente transmissão de conhecimentos, mas também está voltado para a promoção do desenvolvimento dos processos psicológicos que envolvem os  conhecimentos. Por isso,  faz-se necessário que os professores conheçam a forma como se constitui a inteligência  dos  seus  alunos  e  desenvolvam estratégias  de  aprendizagem eficazes para o aprimoramento do ensino.


Aula 20- Teorias psicológicas do desenvolvimento humano
1.Quais as características da teoria piagetiana nos estudos sobre desenvolvimento infantil?
Os estudos piagetianos estão voltados para o desenvolvimento biopsicológico, o qual organiza a atividade infantil e o pensamento do sujeito sobre o mundo físico. Eles analisam como as ações são construídas, assimiladas e acomodadas nas estruturas mentais. Ficam claras as construções dos estágios do pensamento infantil enquanto a criança cresce e compreende sua forma de se relacionar com o mundo físico e lógico.

2.Crie  uma  lista de  sugestões  que podem  ser relevantes para  a melhoria  do processo  educativo, levando  em consideração a Psicologia  do Desenvolvimento.
Algumas sugestões são:

conhecer como a criança se constitui;

compreender as diferentes etapas do desenvolvimento;

 analisar as formas de raciocínio utilizadas na resolução de problemas;

entender as diferentes inteligências envolvidas no processo de ensino/ aprendizagem;

analisar as formas de processamento da informação;

investigar o papel dos aspectos motores e afetivos no desenvolvimento;

analisar o papel das interações sociais na construção do conhecimento


MECANISMOS DE DEFESA
Os mecanismos de defesa do Ego são processos subconscientes desenvolvidos pela personalidade, os quais possibilitam a mente desenvolver uma solução para conflitos, ansiedades, hostilidades, impulsos agressivos, ressentimentos e frustrações não solucionados ao nível da consciência. 

Principais Mecanismos de Defesa 


Repressão:  é um dos mais comuns mecanismos de defesa do ego, consiste em afastar uma determinada coisa do consciente, mantendo-a à distância (no inconsciente). manipular o conflito, impulsos em competição, tendências a atos que constitui uma ameaça à imagem que fazemos de nós mesmos afastar ou recalcar da consciência um afeto, uma idéia ou apelo do instinto. Ex: um acontecimento que por algum motivo envergonha uma pessoa pode ser completamente esquecido e se tornar não evocável

RepressãoO                                                                                                                                                                                          fato de um indivíduo possuir grande dificuldade em reconhecer seus impulsos que produzem angústia ou lembrar-se de acontecimentos passados traumáticos é o que chamamos de repressão, que também é chamada de “esquecimento motivado”.

A omissão forçada e deliberada de recordações ou sentimentos é repressão. Em casos extremos (um acontecimento extremamente doloroso), a repressão pode apagar não só a lembrança do acontecimento, mas também tudo que diz respeito ao mesmo, inclusive seu próprio nome e sua identidade, criando uma profunda amnésia.
                                
retirada de idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, pressionando-os para o inconsciente 

INTROJEÇÃO-
Intimamente relacionada com a identificação, visa resolver alguma dificuldade emocional do indivíduo, ao tomar para a própria personalidade certas características de outras pessoas.Ex: a criança desenvolve boas e más auto-representações baseado em como seus pais percebem e respondem a elas. 

Introjeção: mecanismo de defesa quase que oposto à projeção. Trata-se de aceitar os conteúdos projetados como se fossem verdades do ego. Tudo que agrada é introjetado. Percebendo esse fato, o ego aprende a usar a introjeção para fins hostis como executora de impulsos destrutivos e também como modelo de um mecanismo definido de defesa. Na depressão, pode-se notar o quanto a pessoa faz e fez uso da introjeção.

Formação reativa: (SUPERCOMPENSAÇÃO)
-Traço de caráter que representa o exato oposto do que seria naturalmente esperado pela expressão de tendências libertadas, um traço desenvolvido para manter a repressão destes impulsos e para negar e mascara tendências da personalidade que existiram de uma forma oculta. Ex:Traço de caráter perfeccionista e descompromissados constituem frequentemente formações reativas contra tendências, desejos e impulsos proibidos. 
       
Fixação de uma idéia, afeto ou desejo na consciência , opostos ao impulso inconsciente temido.                                                                                                                                              
Trata-se de uma inversão clara e, em geral, inconsciente do verdadeiro desejo.

Projeção:  
é uma forma de deslocamento que dirige-se para fora, e atribui a outras pessoas seus traços de caráter, atitudes, motivos e desejos contra os quais existem objeções e que se quer negar.Ex: A, incapaz de tolerar a angústia despertada pelo seu ódio de B, inconscientemente muda a sua atitude “eu odeio B” para “B me odeia  

Projeção é o processo mental pelo qual as características que estão ligadas aoeu são gradativamente afastadas deste em direção a outros objetos e pessoas. Essas projeções tendem a deslocar-se em direção a objetos e pessoas cujas qualidades e características são mais adequadas para encaixar o material deslocado.
                                                                                                                                                           
Atribuir sentimentos ou impulsos inaceitáveis para si mesmo a outra pessoa

Regressão: 
é o retorno a atitudes passadas que provaram ser seguras e gratificantes, e às quais a pessoa busca voltar para fugir de um presente angustiante. Devaneios e memórias que se tornam recorrentes, repetitivas. Ex:Uma abordagem infantil e imatura do mundo que pode ter permanecido latente por muitos anos, pode ser despertada por uma experiência ou situação frustrante numa fase posterior da vida.                   
                                                                                                                                     
retorno a formas de gratificação de fases anteriores, devido aos conflitos que surgem em estágios posteriores do desenvolvimento .

 Racionalização: 
 Um dos mais comuns mecanismos planejados para manter o respeito próprio e evitar o sentimento de culpa. Constitui um mecanismo que visa a um propósito útil até o ponto que conduz à auto proteção e ao conforto psíquico. Ex: Quando preferimos acreditar que nosso comportamento é o resultado de deliberação raciocinada, julgamento desprovido de prevenções; consciência de todos os motivos que o determinam.                                                           
                                                                                        
o processo de achar motivos lógicos e racionais aceitáveis para pensamentos e ações inaceitáveis; arrumar desculpas que justifiquem o comportamento 
Negação 
Provavelmente é o mecanismo de defesa mais simples e direto, pois alguém simplesmente recusa a aceitar a existência de uma situação penosa demais para ser tolerada. Ex: Um gerente é rebaixado de cargo e se vê obrigado a prestar os mesmos serviços que exercia outrora.

Negação -  A negação talvez possa ser considerada o mecanismo de defesa mais ineficaz, pois se baseia em simplesmente negar os fatos acontecidos à base de mentiras que acabam se confundido e na maioria das vezes contrariando uma à outra. Um bom exemplo de negação é um garoto que, ao ser acusado de roubo (e realmente é culpado), diz: "Eu não tenho nada comigo! Eu achei no chão e o dono da loja me deu!".
Recusar-se a
reconhecer                                                                                                                                        
 a existência de uma situação real ou os sentimentos associados a ela

Deslocamento                                                                                                                                                               
A transferência de sentimentos de um alvo para outro, que é considerado menos ameaçador ou é neutro, Redirecionamento de um impulso para um alvo substituto 

Isolamento                                                                                                                                         É o mecanismo de defesa que envolve uma “separação de sistemas” para que os sentimentos perturbadores possam ser isolados, de tal forma que a pessoa se torna completamente insensível em relação ao acontecimento sublimado e comente-o como se tivesse acontecido com terceiros. Nosso pensamento parece capaz, em certas circunstâncias, de manter, lado a lado, dois conceitos logicamente incompatíveis, sem tomarmos consciência de suas gritantes divergências, o que também chamamos de “comportamentos lógicos de estanques”.

Identificação:                                                                                                                                                             
Processo psíquico por meio do qual um indivíduo assimila um aspecto, um característica de outro, e se transforma, total ou parcialmente, apresentando-se conforme o modelo desse outro.                                              
A personalidade constitui-se e diferencia-se por uma série de identificações . 

FIXAÇÃO- Detenção de um forma incompleta na evolução da personalidade pela persistência resultante de certos elementos incompletamente amadurecido. Assim a personalidade apresenta uma carência de integração harmoniosa. Sua organização emocional encontra-se em permanente estágio imaturo e há um intervalo entre o estado biológico e a independência emocional.Cessação do processo de desenvolvimento da personalidade em um estágio anterior à completa e uniforme independência amadurecida. Ex: A criança pode continuar a falar como um bebê e a conservar sua dependência com a mãe do período em que estas características deveriam ter sido superadas. 

COMPENSAÇÃO- A personalidade em suas inadequações e imperfeições apresenta um mecanismos de compensações a fim de tentar assegurar o reconhecimento de que necessita. Ex:Em pessoas cujas reações em relação a realidade em geral e aos estímulos sociais em particular são bem integradas, a existência de uma inferioridade física pode provocar atividades construtivas que resultam emqualidades de notável utilidade social.

SUBLIMAÇÃO-                                                                                       
 É o mecanismo pelo qual a energia inerente a impulsos primitivos ou inaceitáveis, é transformada e dirigida a objetivos socialmente úteis.




(ID, EGO, SUPEREGO - Freud) - Vygotsky x Piaget

O aparelho psíquico, ou somente psique, é o nome dado ao método estrutural proposto por Freud. Primeiramente foi dividido em inconsciente, pré-consciente e consciente, o que posteriormente foi modificado e dividido em três elementos que unidos trabalham nas ações e reações, o Id, Ego e Superego. 

O Id, instinto primitivo, bastante destacado em crianças é a forma irracional da mente que faz as pessoas agirem de forma impulsiva e irracional, ou seja, é a forma de ação e reação onde a pessoa se expressa sem ao menos pensar. Como dito anteriormente, o Id é bastante visto em crianças porque essas agem irracionalmente, por exemplo, quando uma criança deseja um brinquedo não pensa duas vezes antes de cair no chão e espernear até que o responsável faça sua vontade. É a manifestação do Id. 

O Ego, denominado equilibrador das forças irracionais e racionais, age sempre pressionado pelo Id e pelo Superego cabendo a ele a dosagem entre as vontades liberadas pelo Id e entre as limitações liberadas pelo Superego. É a parte consciente do aparelho psíquico que faz com que um indivíduo consiga regular suas ações e reações. 

O Superego, denominado repressor do Id, atua influenciado por regras, crenças, leis morais, ética e outros métodos que nos são ensinadas no decorrer da vida e limitam as ações e reações, fazendo com que pensemos nas conseqüências. A partir de suas influências, busca através do Ego reprimir o Id para que nenhuma ação e reação sejam realizadas irracionalmente. 

Tal divisão acima citada foi uma remodelação feita entre 1920 e 1923 para distinguir o inconsciente do consciente


Vygotsky x Piaget

A discussão do pensamento de Vygotsky na área educacional e psicológica nos remete a uma reflexão sobre as relações entre ele e Piaget. Esse confronto se dá uma vez que os autores possuem vários pontos divergentes que separam os seus pensamentos em abordagens ou pontos de vista diferentes.

Ambos autores fazem parte das correntes interacionista (através de dialética externas de adaptação entre o organismo psicológico do indivíduo e seu mundo circundante ou contexto) e construtivista (dialéticas internas de organização entre as partes do organismo psicológico, como explicação da mudança adaptativa).

O termo socioconstrutivismo (ou, como preferem alguns especialistas, sociointeracionismo) é usado para fazer distinção entre a corrente teórica de Vygotsky e o construtivismo Jean Piaget. Ambos são construtivistas em suas concepções do desenvolvimento intelectual. Ou seja, sustentam que a inteligência é construída a partir das relações recíprocas do homem com o meio. Para Piaget, as crianças individuais constróem conhecimento através de suas próprias ações: entender é inventar. Para Vigotsky é a compreensão através do contraste social e origem.

Os dois se opõem tanto à teoria empirista (para a qual a evolução da inteligência é produto apenas da ação do meio sobre o indivíduo) quanto à concepção racionalista (que parte do princípio de que já nascemos com a inteligência pré-formada). Para o ser humano, segundo Vygotsky, o meio é sempre revestido de significados culturais. Por exemplo, o objeto armário (meio) não tem sentido em si. Só tem o sentido cultural que lhe damos, como ser útil ou inútil, valioso ou não, rústico ou sofisticado e assim por diante. E os significados culturais só são aprendidos com a participação dos mediadores. O fator cultural, básico para Vygotsky, e pouco enfatizado por Piaget, é a diferença central entre os dois teóricos construtivistas.

Ambos divergem também quanto à seqüência dos processos de APRENDIZAGEM e de DESENVOLVIMENTO MENTAL. Para Vygotsky, é o primeiro que gera o segundo. Em suas palavras, "o aprendizado adequadamente organizado resulta em desenvolvimento mental e põe em movimento vários processos de desenvolvimento que, de outra forma, seriam impossíveis". Piaget, ao contrário, defende que é o desenvolvimento progressivo das estruturas intelectuais que nos torna capazes de aprender (fases pré-operatóra ou lógico-formal).