Páginas

Minha foto
são paulo, zona leste, Brazil

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Dimensões da Não-Aprendizagem - Provas N1

Prova 1
1. De acordo com a literatura estudada quais os entraves que as instituições educacionais podem causar à aprendizagem dos alunos? (P.7)
Como entraves podemos citar a rigidez e o despreparo de algumas escolas para lidar com a diversidade cultural de seus alunos, evidenciada por atitudes pessimistas ou negativas de educadores , por problemas  de organização curriculares etc. (Nil)

2. A aprendizagem pode ser abordada de diferentes pontos de vista. Descreva quais são eles. (P.7)
Do ponto de vista biológico, psicológico, cognitivo e sociocultural. (Nil) 

3. Quais os comentários mais comuns que costuma-se ouvir referente às dificuldades de aprendizagem das crianças? (P.16)
É esforçado mas não consegue aprender; é muito distraído, perde objetos com frequência e parece desorientado; não consegue expressar com clareza; é atrapalhado, tropeça e cai com frequência; realiza e compreende bem as tarefas, mas não consegue aprendê-las. (Nil) 

4. As relações familiares e as condições socioculturais contribuem para a estruturação da personalidade do individuo. Descreva as características da personalidade do individuo que foi influenciado negativamente por esse meio. (P.9)
Esses indivíduos apresentam características de fragilidade, agressividade, é altruísta, inseguro e proativo, dependendo de suas relações com os pais e a sociedade. (Nil)

Prova 2
Quais aspectos a serem considerados pelo professor para identificar se uma criança apresenta um distúrbio de comportamento ou se, simplesmente, requer uma atenção especial em seu desenvolvimento? P.78
- É necessário conhecer o desenvolvimento normal da criança, suas características peculiares e cada etapa do seu desenvolvimento, alem da inter-relação de fatores como idade, sexo, fatores genéticos, familiares, sociais e condições educacionais.
- É necessário reconhecer que alguns problemas de comportamento não caracterizam uma patologia da personalidade, mas pode ser de caráter transitório.
- É preciso saber avaliar a interferência da alteração de condutas e desajustes à situação escolar e se elas dificultam a aprendizagem e a relação da criança com amigos, professores e familiares. (Nil)

O que são esquemas, segundo Piaget? P.12
Para Piaget, os esquemas correspondem a estruturas mentais ou cognitivas pelas quais os indivíduos se adaptam às experiências proporcionadas pelo meio. Ou seja, é como se fosse fichas (esquemas) de um arquivo (estrutura mental), que correspondem aos conhecimentos e registros da memória, permitindo-nos reconhecer e interpretar os estímulos do ambiente. Os esquemas são construídos sobre as experiências repetidas e refletem o nível atual da criança, de compreensão e conhecimento do mundo. (Nil)

As causas do fracasso escolar durante muito tempo foram buscadas na famílias e no aluno. Quais influências e fatores determinam esse tipo de pensamento? P.23
Esses fatores foram influenciadas por concepções médica e psicológicas, em decorrência de fatores genéticos e dificuldades orgânicas e psicológicas, fatores esses que acabaram sendo validados para explicar o fracasso escolar. (Nil)

O que devemos considerar para compreender o processo de aprendizagem? P.8
É necessário considerarmos que todos os indivíduos, independente do contexto sociocultural a que pertence, são dotados de características de compreensão de mundo diferente e singular. No entanto, é necessário considerar as especificidades individuais como um processo natural do ser humano, pois todos somos diferentes e essa diferença existe em todas as sociedades. (Nil)

Para compreendermos o processo de aprendizagem é preciso considerar que ele resulta da relação entre as condições externas ao indivíduo – seu contexto familiar, social, cultural e educativo – e de suas condições internas – suas características individuais, orgânicas e psicológicas. (Nil) 

Prova 3
1. Quais as condições necessárias para a aprendizagem? P.8 e 9
Essas condições passam pelas dimensões biológica, sociocultural e emocional:
- A dimensão biológica corresponde aos fatores neurofisiológicos do indivíduo, relacionado ao desenvolvimento do sistema nervoso central. Os problemas relacionados a essas funções interferem na aprendizagem, pois estão relacionadas à percepção, a atenção, a memória e a concentração.
- A dimensão sociocultural diz respeito às circunstâncias sociais, econômicas e culturais a que o indivíduo está submetido e que pode reduzir seu potencial de aprendizagem.
- A dimensão emocional (psico-afetiva) refere-se à maneira de encarar os desafios do meio e à disponibilidade afetiva para aprender.(Nil)

Outra resposta
Vejamos agora, rapidamente, as condições necessárias à aprendizagem, a partir de três dimensões: biológica, sociocultural e emocional.
A dimensão biológica corresponde aos fatores neurofisiológicos do indivíduo. Pertence a essa dimensão o ciclo de desenvolvimento do sistema nervoso central, conhecido por maturação, problemas relacionados à dinâmica das funções cerebrais, seja por lesões mínimas no cérebro ou por outros fatores que possam interferir nas funções elementares da aprendizagem, tais como percepção, atenção, memória e concentração, entre outras.
A dimensão sociocultural da aprendizagem corresponde às circunstâncias sociais, econômicas e culturais as quais o indivíduo está submetido e que podem limitar ou reduzir seu potencial de aprendizagem.
A dimensão psicoativa corresponde aos fatores psicológicos sobre os quais não é possível falar sem levar em consideração as disposições biológicas e socioculturais do indivíduo. Essa dimensão refere-se à maneira de encarar os desafios do meio e à disponibilidade afetiva para aprender (resp do grupo)

2. Na escola tradicional tendem a valorizar dois tipos de inteligência. Quais são e de que forma isso pode prejudicar o aluno? P.15 e 16
As escolas, normalmente valorizam mais as inteligência Linguística e a lógico-matemática e isso é prejudicial porque alunos que têm bom desempenho em outras habilidades menos valorizadas pela escola podem ser vistos como menos inteligentes e isso pode levá-los ao fracasso escolar e na frustração dos objetivos da escola e do aluno. Quanto mais possibilidades os alunos tiverem para manifestar suas habilidades diferenciadas, maior a possibilidade de aprendizagem. Por isso, a escola deve considerar igualmente todas as inteligências ao elaborar seu projeto pedagógico.(Nil)

Outra resposta
Tradicionalmente, as escolas tendem a valorizar dois tipos de inteligência: a linguística e a lógico-matemática.
Na tradicional configuração de escola, o aluno que aprende melhor utilizando outras habilidades que não aquelas valorizadas pelo ambiente escolar acabam prejudicado; fato que, na maioria das vezes, incorre em fracasso escolar e na frustração dos objetivos da escola e do próprio aluno. No entanto, a compreensão da variedade de influências internas e externas exercidas sobre essa relação é de fundamental importância para não incorrermos em dois equívocos: a) o primeiro refere-se à perigosa associação que se faz entre o nível de inteligência do aluno com os resultados de sua aprendizagem na escola.
Muitas vezes, esse tipo de avaliação dá margem para que ocorram equívocos, pois o aluno pode, por exemplo, ter um ótimo aproveitamento na realização de uma prova, mas obter esse resultado simplesmente porque memorizou os conteúdos, sem tê-lo aprendido;
 b) o segundo equívoco é o de impor ao educando a categoria de “pouco inteligente” apenas devido ao seu baixo desempenho escolar. Isso seria, no mínimo, injusto se considerarmos o fato de que a escola não tem demonstrado, de modo geral, considerar todas as formas de habilidades e inteligências expressas pelos alunos em suas avaliações.(resp do grupo)

3. Cite uma crítica que as perspectivas atuais relacionadas a inteligência fizeram a visão psicométrica. P.11
Tais críticas foram no sentido de a visão psicométrica ignorar as habilidades específicas potenciais e as diferenças individuais;
A inteligência como fator inato ao indivíduo gerar obstáculos ao desenvolvimento, pois influencia a conduta do educador a não investir em todas as potencialidades do aluno;
A inteligência, não sendo definida a priori, não pode ser mensurada, mas potencializada por meio da educação.(Nil)

Outra resposta
Nas últimas décadas, novos estudos sobre a inteligência teceram algumas críticas à visão psicométrica, fato que os tornou gradativamente bastante influentes. Dentre tais críticas podemos destacar:
A inteligência vista como capacidade geral, tal como na visão psicométrica, ignora as habilidades específicas potenciais e as diferenças individuais;
A inteligência vista como fator inato ou intrínseco ao indivíduo gera obstáculos ao desenvolvimento, uma vez que influencia a conduta do educador que acaba por não investir em todas as potencialidades do aluno;
A inteligência, quando verificada, testada por instrumentos padronizados ignora o papel do contexto sociocultural e as diferenças subjacentes a eles;
A inteligência não é definida a priori, portanto não pode ser mensurada, mas potencializada por meio da educação. (resp do grupo)

4. A teoria da carência cultural ampliou a visão do fracasso escolar na década de 70. Explique-a. P.24
Na década de 1970 o fracasso escolar passou a ser concebido por perspectivas mais amplas, graças a teoria da carência cultural, que contribuiu ao afirmar que o êxito na escola estaria diretamente relacionado ao sistema socioeconômico e cultural do educando. Essa teoria teve grande influência na educação brasileira, estimulando a criação de programas que pudesse recuperar o atraso e diminuindo a carência dos alunos. Com isso foram definidas formas de garantir a igualdade de condições de aprendizagem aos alunos carentes culturalmente.(Nil)

Outra resposta 
Somente na década de 1970, o fracasso escolar passou a ser concebido a partir de perspectivas mais amplas. A teoria da carência cultural foi uma das contribuições para aquele momento histórico, ao afirmar que o êxito na escola estaria diretamente relacionado ao sistema socioeconômico e cultural em que se insere o educando. Essa teoria influenciou profundamente a educação brasileira, instigando a criação de programas compensatórios no sentido de recuperar o atraso e diminuir o estado de carência dos alunos. Essas ações foram defendidas como formas de garantir a igualdade de condições de aprendizagem aos alunos “carentes culturalmente”, ou seja, àqueles que, devido à sua condição socioeconômica desfavorecida, não possuíam os subsídios considerados necessários a uma educação integral.
A teoria da carência cultural logo sofreu críticas acirradas por influenciar a concepção acerca do fenômeno do fracasso a partir de uma abordagem preconceituosa. Segundo os críticos, essa abordagem favorecia a desigualdade social e o assistencialismo, já que consideravam que as classes menos favorecidas, devido a sua condição socioeconômica, eram inferiores culturalmente.
A teoria da carência cultural contribuiu para certo imobilismo nos meios educacionais que, de maneira fatalista, não se viam em condições de resolver o problema do fracasso escolar de maneira efetiva. (resp do grupo)

Prova 4
1. Quais áreas do conhecimento Gardner baseou-se para identificar a existência de múltiplas inteligências? P.14
Na Psicologia, na Neuropsicologia, na Antropologia, na Biologia e na Estatística (prova)

2. Quais são as características da dimensão biológica da aprendizagem? P.8
A dimensão biológica corresponde aos fatores neurofisiológicas do indivíduo. Pertence a essa dimensão o ciclo de desenvolvimento do sistema nervoso central, conhecido por maturação, problemas relacionados à dinâmica das funções cerebrais, seja por lesões mínimas no cérebro ou por outros fatores que possam interferir nas funções elementares da aprendizagem, tais como percepção, memória e concentração, entre outras. (prova)

3. O que significa inteligência para Piaget? P.12
Para Piaget, a inteligência é um recurso mental organizado que está a serviço adaptação do indivíduo no mundo em que vive. É a própria engrenagem e funcionamento das estruturas mentais. Essa organização mental da experiência ocorre a partir da interação de quatro componentes que são, de acordo com ele, os esquemas, a assimilação, a acomodação e a equilibração. (prova)

4. O que significa distúrbios de aprendizagem, segundo Collares? P.17
É um termo genérico que se refere a um grupo heterogêneo de alterações manifestas por dificuldades significativas na aquisição e uso da audição, fala, leitura, escrita, raciocínio ou habilidades matemáticas. Essas alterações são intrínsecas ao indivíduo, devido à disfunção do sistema nervoso central. Os distúrbios de aprendizagem não está diretamente ligados a essas alterações ou influências e sim, por outras condições desfavoráveis como  alteração sensorial, retardo mental, distúrbios social ou emocional, ou influências hambientais como diferenças culturais, instrução deficiente e fatores psicogênicos. (prova)

Prova 5
1. Quais são os problemas perceptivos mais comuns em crianças com dificuldades de aprendizagem?
Os problemas perceptivos que mais se destacam na criança com dificuldade de aprendizagem são os de discriminação visual e os de discriminação auditiva.A criança com deficiência perceptiva tem dificuldade para distinguir, diferenciar, analisar estímulos sutilmente semelhantes, mas com significados muito diferentes, comprometendo a sua compreensão de muitos dos materiais de aprendizagem. Como exemplo, podemos citar o caso de crianças que apresentam problemas em identificar as diferenças entre sons e letras, confundindo-as.(grupo)

2. Quais são os fatores relacionados à dimensão sociocultural que dificultam a aprendizagem?
A dimensão sociocultural da aprendizagem corresponde às circunstâncias sociais, econômicas e culturais as quais o indivíduo está submetido e que podem limitar ou reduzir seu potencial de aprendizagem. Entre esses fatores, encontram-se incluídos a desnutrição, pobreza e desorganização familiar, fraca interação entre adultos e crianças, quer no plano lúdico, quer no plano linguístico.(grupo)

3. Cite as queixas mais comuns de pais que tem filhos com problemas emocionais?
Os problemas emocionais quase sempre acompanham as dificuldades de aprendizagem. Às vezes correspondem à origem da dificuldade, outras vezes, são consequência.
É comum ouvirmos pais e educadores queixarem-se de que seus filhos e alunos, cujo histórico já apresenta dificuldades de aprendizagem, são “nervosos”, “desorganizados”, “tímidos”, “instáveis”, “dependentes”, “agressivos”, entre outras adjetivações.(grupo)

4. 
De acordo com Piaget como se pode afirmar que a criança tem dificuldade de aprendizagem?


Prova N3
1. Os testes de inteligência foram criados por Alfred Binet e  Theodore Simon. Descreva qual o objetivo desses testes.
O objetivo desse teste era avaliar  as mais variadas funções  como julgamento, compreensão e raciocínio, para detectar o nível de inteligência  ou retardo mental nas escolas de Paris em crianças e adultos. (grupo)

2. Se o governo investisse mais em recursos educacionais acabaria com o problema da educação no Brasil?
Creio que acabar não seria a palavra correta, pois investir apenas em recursos  não seria o ideal, a educação brasileira sofre com diversos problemas, falta de escola, equipamentos, estruturas das mais diversas, capacitação e reciclagem de profissionais entre outras. Além da necessidade de reformular  efetivamente o sistema educacional de nosso país. (grupo)

3. Quais circunstâncias estão relacionadas à dimensão  sociocultural da aprendizagem?
A dimensão sociocultural da aprendizagem corresponde  as circunstâncias sociais, econômicas e culturais as quais o individuo está submetido e que podem limitar  ou reduzir sua capacidade de  aprender, como por exemplo: desnutrição, pobreza, desorganização familiar. (grupo)

4. O que significa inteligência para Howard Gardner?
Para Gardner, a inteligência é a integração articulada de vários fatores ou habilidades  que formam a base de diferenças individuais. Gardner  defende a teoria das múltiplas inteligências, para ele a inteligência é a habilidade  de resolver  problemas  ou criar  dentro de ambientes culturais. (grupo)