Páginas

Minha foto
são paulo, zona leste, Brazil

sábado, 27 de abril de 2013

Literatura Infantil - Questionário


Cursos online na área de pedagogia
http://www.cursos24horas.com.br/cursos/pedagogia/


Defina a lenda dos outros 2 gêneros (fábulas e mitos)
As lendas trabalham especificamente com os relatos do povo, que em geral queria explicar através de fatos sobrenaturais o que havia vivido ou experimentado.
As lendas apresentam personagens fixos que, ao deparar-se com um destino "inexorável", vão deixar mensagens de reflexão de boas condutas no mundo real
O folclore apresentou gêneros diferentes de narrativas, entre elas, as fábulas, os mitos e as lendas.

Característica do mito
Explicação fantástica para fenômenos naturais, narrativas ligadas à criação do homem e do mundo, diretamente ligada ao espiritual, narrativa de origem atemporal.

Sobre mitos
Surgiram com o próprio homem, apresentam uma explicação por fenômenos naturais, sem fundo moral e personagens protagonistas submetidos ao sobrenatural. Algumas personagens são divinas, com atitudes e decisões que escapam ao arbítrio humano.

Pesquisas realizadas com os professores comprovam que o professor- leitor - critico é  raridade, isto é resultado de:  
Vários fatores, como salários sucateados, desinformação, lacuna na formação, mas, podemos afirmar que a falência do sistema de ensino no país passa por nenhuma familiaridade com o livro que não seja aquela  de ligação direta com a profissão, e, mesmo assim, de forma eventual.

QUAIS as características de uma biblioteca escolar atuante e moderna?
As bibliotecas existem desde que o homem transmite suas ideias para um objeto concreto, seja madeira, papiro, argila, pedra ou papel.
A biblioteca infantil, escolar ou não, deveria ser uma casa e não um depósito de livros; assim, passaria a fazer parte do dia a dia das crianças.
  
Faça uma reflexão sobre a importância de brincar para a criança. Pg 79
A brincadeira é importante para o desenvolvimento, principalmente nos primeiros anos de vida. Através das brincadeiras, experimentamos sensações sonoras e táteis, nos diferenciamos dos outros, nos comunicamos, exploramos nosso corpo, etc.

Afinal, a criança aprende brincando? Responda esta pergunta baseando se no pensamento de Brougere.  Pg 63
Para Brougère, o jogo contribui de forma na aprendizagem, os alunos aprendem melhor divertindo-se, devendo o educador aproveitar-se disso em doses limitadas para chegar ao aprendizado real.

Porque as crianças se interessam por livros, jogos e filmes de terror, de acordo com Silva? Pg. 88
O ser humano é composto de amor e ódio, raiva e indignação, sentimentos  importantes para nosso desenvolvimento e crescimento, e brincar de faz de conta envolvendo fantasias agressivas e violentas são fundamentais para o equilíbrio emocional da criança, o que faz com que elas aprendam a lidar a diversidade das emoções.

Avelar e Sorsy (2005 apud COSTA, 2009) afirmam que ler uma história e fazer a sua contação são processos bem diferentes. Disserte, com suas palavras, quais as características de uma narrativa oral e qual o papel do contador em relação ao seu público.
Sim, existe diferença entre contar e ler uma história, porque também existe uma diferença entre palavra oral e palavra escrita. Quando a comunicação se dá através da palavra oral, nosso centro de percepção é o auditivo. Uma característica da percepção auditiva é que ela nos proporciona a experiência da unidade.
O som nos invade por todos os lados e passa através de nós. Todo o nosso corpo é uma unidade auditiva, porque estamos no centro do campo sonoro.
As expressões do corpo, os gestos, o ritmo e a entonação de voz imprimem sentido às palavras e desvelam para o ouvinte as emoções por trás do texto.

Existem três diferentes grupos que teorizam sobre o ato de ler, cujas concepções foram sintetizadas por Cosson (2006). Para o primeiro grupo:
Ler é um processo de extração do sentido que está no texto. Essa extração passa necessariamente por dois níveis: o nível das letras e palavras, que estão na superfície do texto, e o nível do significado, que éo conteúdo do texto. Quando se consegue realizar essa extração, faz se a leitura. (...) é a leitura entendida como um processo de decodificação, por isso a ênfase está centrada sobre o código expresso no texto. (COSSON,2006, p.39).
Entende-se aqui que a leitura deve ser efetuada concentrando-se exclusivamente no texto escrito e nas mensagens por ele transmitidas, e que os obstáculos à leitura residem apenas na inabilidade do leitor em dominar o código lingüístico.O segundo grupo compreende a leitura como o resultado daquilo que o leitor pretende ou consegue encontrar em um texto, definindo-a, basicamente, como:
O ato de atribuir sentido ao texto, ou seja, partem do leitor para o texto.Desse modo, ler depende mais do leitor do que do texto. É o leitor que elabora e testa hipóteses sobre o que está no texto. É ele que cria estratégias para dizer o texto com base naquilo que já sabe sobre o texto e o mundo. Por isso, a leitura depende mais daquilo que o leitor está interessado em buscar no texto do que das palavras que estão ali (...) Ao privilegiar o leitor no processo de leitura, essas teorias terminam por ignorar que o sentido atribuído ao texto não é um gesto arbitrário, mas sim uma construção social. (COSSON, 2006, p.39).
Essa abordagem corre o risco de considerar aquilo que o leitor pretende buscar, localizar ou inferir de certo texto, como sendo a verdade absoluta sobredeterminado tema. Dessa forma, desconsidera a atividade do leitor de construção e reconstrução dos sentidos que podem advir de um texto, diante de sua leitura de mundo e experiências vividas.O terceiro grupo é denominado conciliatório, pois aponta que o autor, juntamente com seu contexto, o leitor e o texto possuem o mesmo nível de importância e a leitura é a mediação entre eles.
Trata-se, pois, de um diálogo entre autor e leitor mediado pelo texto, que é construído pelo processo de mediação. O ato de ler mesmo realizado individualmente, torna-se uma atividade social. O significado deixa de ser uma questão que diz respeito apenas ao leitor e ao texto para ser controlado pela sociedade. A leitura é o resultado de uma série de convenções que uma comunidade estabelece para a comunicação entre seus membros e fora dela. Aprender a ler é mais do que adquirir uma habilidade, e ser leitor vai além de possuir um hábito ou atividade regular. Aprender a ler e ser leitor são práticas sociais que medeiam e transformam as relações humanas. (COSSON, 2006, p.40).

Explique com suas palavras essas três etapas. Pg. 27
R. Antecipação: refere-se as varias operações que ocorrem antes de o leitor iniciar a leitura, como ex. o objetivo que o leva a escolher este ou aquele texto e que determina a forma como ele será lido: Decifração, isto é o processo de decodificação das letras e palavras, que as vezes nem é percebida pelo leitor que possui desenvolvimento na leitura: Interpretação é aqui entendida como as operações mentais, as relações de sentidos efetuadas pelo leitor durante o processo de decodificação do conteúdo do texto, é o resultado do dialogo entre autor e leitor.