Páginas

Minha foto
são paulo, zona leste, Brazil

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Avaliação da Aprendizagem - Provas OnLine (N2)

Minha N2 - Resultado final : 2
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Na elaboração de questões de múltipla escolha é um cuidado necessário:


·                                  Os itens devem ser escritos em linguagem clara e simples, utilizando um vocabulário tão fácil quanto possível.
·                                  Cada item deverá ter mais de uma resposta correta.
·                                  O problema central de um item deve ficar bastante obscuro no corpo da questão.
·                                  Utilizar afirmações negativas.

2. Leia abaixo:



·                                 Para Hadji, a avaliação formativa é uma utopia que deve ser perseguida por todos os educadores que se comprometem com a aprendizagem de seus alunos - sua formação plena. Ela deve fazer parte do cotidiano de nossas ações, porque a todo instante está se fazendo, ou por se fazer.

Ele chama a atenção para três pontos, decorrentes da proposição de que a avaliação não é medida.

·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; ela é um processo externo à instituição e ao objeto avaliado; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; é uma operação de confronto, de correlação entre expectativas e uma realidade; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; a conciliação com princípios ideológicos; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; é uma operação de adequação ao currículo oficial; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.

3. Uma questão importante no processo de construção dos testes de aproveitamento escolar é a própria conceituação de aproveitamento escolar.



·                                 Numa perspectiva construtivista, podemos afirmar que o aproveitamento escolar

I. refere-se a construções de conhecimentos, ou seja, à elaboração de formas de pensar, relacionar determinados conteúdos que foram objetos de ensino.
II. implica, também, a presença de um certo progresso entre as construções já elaboradas pelos alunos e aquelas que foram alcançadas através da ação da escola.
III. relaciona-se apenas às notas dos alunos nos testes e em outros procedimentos de mensuração, possibilitando a avaliação dos erros e dos acertos cometidos nas questões.
IV. relaciona-se às notas nos testes e em outros procedimentos de mensuração, possibilitando dar um destaque maior para os alunos que obtiveram um melhor resultado.

Das afirmativas acima estão corretas

·                                  somente II e III.
·                                  somente I e III.
·                                  I, II, III e IV.
·                                  somente I e II.

4. Leia abaixo:



·                                 A ênfase na prova, como o principal e/ou único instrumento de avaliação (abordagem quantitativista da avaliação), faz parte de uma lógica seletiva e classificatória predominante nas pedagogias tradicionais e tecnicistas, úteis aos interesses da burguesia e da globalização de mercado. Precisamos sim problematizar a pedagogia dos exames, como denomina Carlos Cipriano Luckesi, para construir novos modos de conceber e praticar a avaliação na escola, que possam contribuir de fato com a democratização da escola e da educação brasileira.

Essa afirmação está

·                                  totalmente correta.
·                                  baseada em uma premissa equivocada.
·                                  parcialmente correta.
·                                  totalmente incorreta.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Ao organizar desafios, problematizações, orientar os alunos para que eles se percebam como construtores sociais do conhecimento, o professor estimula


·                                  a libido dos seus alunos.
·                                  a curiosidade epistemológica dos seus alunos.
·                                  a generatividade dos seus alunos.
·                                  as operações formais dos seus alunos.

2. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  por objetivos.
·                                  emancipadora.
·                                  diagnóstica.
·                                  somativa.

3. Leia abaixo:



·                                 Para Hadji, a avaliação formativa é uma utopia que deve ser perseguida por todos os educadores que se comprometem com a aprendizagem de seus alunos - sua formação plena. Ela deve fazer parte do cotidiano de nossas ações, porque a todo instante está se fazendo, ou por se fazer.

Ele chama a atenção para três pontos, decorrentes da proposição de que a avaliação não é medida.

·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; é uma operação de adequação ao currículo oficial; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; ela é um processo externo à instituição e ao objeto avaliado; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; é uma operação de confronto, de correlação entre expectativas e uma realidade; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.
·                                  A avaliação inscreve-se em um processo de comunicação e negociação; a conciliação com princípios ideológicos; o julgamento de valor destina-se a atores sociais.

4. São fundamentais para a construção de uma prática avaliativa formativa e emancipadora na escola:



·                                 I. a construção coletiva da proposta pedagógica da escola, a partir de uma ampla discussão sobre um novo projeto de sociedade e dos princípios educacionais que devem nortear todas as práticas escolares.
II. o trabalho coletivo de planejamento, desenvolvimento e avaliação de programas de aprendizagem e de projetos educativos/sociais dentro da escola, em articulação com a comunidade local.
III. o acompanhamento ocasional da aprendizagem do aluno, sem preocupação com a rigorosidade metódica.
IV. a participação organizada de educadores e educandos, objetivando criar estratégias para a concretização da proposta educacional.

Estão corretas as afirmativas

·                                  I, III e IV.
·                                  I, II e III.
·                                  II, III e IV.
·                                  I, II e IV.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  somativa.
·                                  por objetivos.
·                                  diagnóstica.
·                                  emancipadora.

2. Ao observarmos os paradigmas emancipatório e formativo da avaliação verificamos que uma não pode ser construída sem a outra.



·                                 A avaliação que defendemos e queremos construir é uma prática avaliativa

I. que parta da proposta pedagógica construída com a participação dos alunos em sala de aula, diretamente articulada ao projeto da escola.
II. que colabore com a autonomia e emancipação dos educandos.
III. interativa, qualitativa, compartilhada e dialógica.
IV. ético-crítica que articule as diferentes dimensões e áreas do currículo, do projeto da escola, das práticas pedagógicas de sala de aula.

Dessas opções estão corretas apenas

·                                  III e IV.
·                                  I e IV.
·                                  II, III e IV.
·                                  I, II e III.

3. Estas são etapas do processo que leva à avaliação formativa e emancipadora da aprendizagem.



·                                 ( ) Proposta pedagógica da escola, da área/núcleo de estudos.
( ) Interpretação, análise crítica e ressignificação das informações.
( ) Elaboração compartilhada de telas críticas/mapas de referência/levantamento de observáveis, aprendizagem prática e compartilhada da observação.
( ) Construção coletiva das decisões e reorientação do processo de ensino e aprendizagem.

Numerando essas etapas em ordem cronológica, temos:

·                                  1, 3, 2, 4.
·                                  1, 2, 3, 4.
·                                  3, 2, 1, 4.
·                                  4, 3, 2, 1.

4. Leia abaixo:



·                                 Não se imputando culpas, ou transferindo responsabilidades de alguma dificuldade do aluno à sua própria pessoa, à sua família etc., mas analisando criticamente as condições de aprendizagem, desenvolvendo-se uma cultura que permita a coexistência e a cooperação de alunos desiguais, com respeito mútuo e considerando os erros e os obstáculos como ocasiões de aprendizagem, estaremos trabalhando com

·                                  avaliação inclusiva.
·                                  currículo democrático.
·                                  avaliação somativa.
·                                  avaliação formativa.
Resultado final : 2
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
1. Uma questão importante no processo de construção dos testes de aproveitamento escolar é a própria conceituação de aproveitamento escolar.

·  Numa perspectiva construtivista, podemos afirmar que o aproveitamento escolar

I. refere-se a construções de conhecimentos, ou seja, à elaboração de formas de pensar, relacionar determinados conteúdos que foram objetos de ensino.
II. implica, também, a presença de um certo progresso entre as construções já elaboradas pelos alunos e aquelas que foram alcançadas através da ação da escola.
III. relaciona-se apenas às notas dos alunos nos testes e em outros procedimentos de mensuração, possibilitando a avaliação dos erros e dos acertos cometidos nas questões.
IV. relaciona-se às notas nos testes e em outros procedimentos de mensuração, possibilitando dar um destaque maior para os alunos que obtiveram um melhor resultado.

Das afirmativas acima estão corretas

·   somente II e III.
·   I, II, III e IV.
·   somente I e III.
·   somente I e II. 

2. Como construir um mapa de leitura, uma tela crítica, um quadro de referência para a avaliação?

·   Utilizando a avaliação de forma centralizada pelo professor para indicar os "observáveis".
·   Utilizando criteriosamente a prática da observação para indicar os "observáveis".
·   Utilizando apenas metodologias objetivas de avaliação para indicar os "observáveis".
·   Utilizando sempre os mesmos instrumentos de avaliação para indicar os "observáveis".

3. De acordo com Saul os objetivos da avaliação emancipatória são alcançar o caminho da transformação e torná-la autodeterminada.
·  É correto dizer que o primeiro objetivo indica
·   que esse processo pode permitir que o homem imprima uma direção às suas ações, de acordo com valores que elege e com os quais se compromete no decurso de sua historicidade.
·   a relevância do diálogo no desenvolvimento de uma avaliação na perspectiva emancipadora.
·   o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar.
·   a utilização da pesquisa participante, com os seus princípios de autenticidade e compromisso, antidogmatismo, restituição sistemática, feedback aos intelectuais orgânicos, ritmo e equilíbrio de ação-reflexão, ciência modesta e técnicas dialogais.

4. O que significa "avaliar com os pés no chão da escola, da sala de aula"? 

·   Perguntar aos professores como eles gostariam que as estratégias de avaliação da aprendizagem fossem desenvolvidas.

·   Conhecer o trabalho pedagógico, o cotidiano da sala de aula, e as práticas avaliativas que se concretizam nos diferentes tempos e espaços da escola.
·   Chegar mais perto dos alunos, tornar-se amigo deles, conhecê-los profundamente.
·   Manter as práticas avaliativas existentes, mudando apenas aquelas que não dão certo.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Observe abaixo:



·                                 Os alunos precisam ter vez e voz na proposta de avaliação da escola, participando ativamente dos processos decisórios em prol da melhoria da qualidade da escola. Uma ação que pode ser construída nesse sentido é

·                                  estimular os educandos a avaliarem com rigor seus professores, indicando seus pontos positivos e negativos.
·                                  incentivar a participação dos alunos nas reuniões pedagógicas, para que eles possam indicar os conteúdos que deverão ser ensinados.
·                                  organizar conselhos de representação estudantil, para que os educandos possam aprender a avaliar criticamente e construir decisões coletivas.
·                                  planejar atividades recreativas, envolvendo professores, gestores e funcionários em geral, para se criar na escola um clima de amizade e confiança.

2. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  diagnóstica.
·                                  por objetivos.
·                                  emancipadora.
·                                  somativa.

3. Observe abaixo:



·                                 Quando afirmamos que "cada manifestação do aluno precisa ser observada e analisada, tendo-se como referência os focos da avaliação - os observáveis - diretamente relacionados à proposta pedagógica da disciplina/da escola", estamos nos referindo à

·                                  avaliação compartilhada.
·                                  avaliação somativa.
·                                  variabilidade didática.
·                                  prova objetiva.

4. Como construir um mapa de leitura, uma tela crítica, um quadro de referência para a avaliação?


·                                  Utilizando criteriosamente a prática da observação para indicar os "observáveis".
·                                  Utilizando apenas metodologias objetivas de avaliação para indicar os "observáveis".
·                                  Utilizando sempre os mesmos instrumentos de avaliação para indicar os "observáveis".
·                                  Utilizando a avaliação de forma centralizada pelo professor para indicar os "observáveis".

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Para Hadji os trabalhos dos alunos serão os "desencadeadores" dos comportamentos que serão objeto de observação e interpretação.




·                                 Ele propõe que sejam construídas(os) _____________________ para que se possa observar e analisar o processo de aprendizagem e seus respectivos produtos.

·                                  listas de respostas.
·                                  grades de leitura.
·                                  bancos de questões.
·                                  gabaritos objetivos.

2. O que significa "avaliar com os pés no chão da escola, da sala de aula"?


·                                  Perguntar aos professores como eles gostariam que as estratégias de avaliação da aprendizagem fossem desenvolvidas.
·                                  Manter as práticas avaliativas existentes, mudando apenas aquelas que não dão certo.
·                                  Conhecer o trabalho pedagógico, o cotidiano da sala de aula, e as práticas avaliativas que se concretizam nos diferentes tempos e espaços da escola.
·                                  Chegar mais perto dos alunos, tornar-se amigo deles, conhecê-los profundamente.

3. Na década de 1970 predominou em nosso país a abordagem tecnicista da educação e da avaliação da aprendizagem.


·                                 Os autores já insistiam no fato de que as medidas se apoiavam em dados observáveis e tinham ênfase quantitativa, enquanto a avaliação era mais ampla do que a medida, pois incluía juízo de valor. Falavam nas seguintes modalidades de avaliação:

·                                  bancária, libertadora e dialética.
·                                  diagnóstica, formativa e somativa.
·                                  quantitativa e qualitativa.
·                                  positivista, amorosa e emancipadora.

4. Observe abaixo:


·                                 Quando afirmamos que "cada manifestação do aluno precisa ser observada e analisada, tendo-se como referência os focos da avaliação - os observáveis - diretamente relacionados à proposta pedagógica da disciplina/da escola", estamos nos referindo à

·                                  avaliação somativa.
·                                  prova objetiva.
·                                  avaliação compartilhada.
·                                  variabilidade didática.

Resultado final : 1

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

1. Considerando a trajetória da avaliação da aprendizagem no Brasil, podemos afirmar que


·                                  está em construção uma abordagem de avaliação como ação sociopolítica emancipadora, abrindo um novo caminho para a superação da abordagem tecnicista de avaliação.
·                                  a avaliação da aprendizagem foi determinada pela herança inglesa, com ênfase nas medidas educacionais, permanecendo inalteradas até os dias de hoje.
·                                  a avaliação da aprendizagem superou o tecnicismo e reafirmou-se como práxis emancipadora a partir dos anos 1980.
·                                  sua história foi marcada pelo caráter participativo emancipador das gestões educacionais.

2. Abaixo, estão relacionadas algumas ações praticadas por professores em salas de aula do Ensino Fundamental.


·                                Quais dessas ações se referem a uma proposta de avaliação formativa?

I. Colocam a avaliação a serviço da aprendizagem dos alunos, construindo o diálogo e a cooperação.
II. Consideram os erros e os obstáculos como ocasiões de aprendizagem.
III. Congregam os pais como parceiros do processo avaliativo, procurando não lhes impor um dado padrão preestabelecido sem a participação destes.

Das sentenças acima

·                                  II e III estão corretas.
·                                  I, II e III estão corretas.
·                                  I e III estão corretas.
·                                  I e II estão corretas.

3. Podemos afirmar, numa perspectiva formativa e emancipadora, que a função principal do parecer descritivo/avaliativo é


·                                  desencadear e consolidar o diálogo entre professores, alunos e suas famílias, a partir de uma descrição compreensiva e crítica sobre o processo de aprendizagem dos alunos.
·                                  documentar a vida escolar de cada estudante, ressaltando as suas condutas positivas, seus êxitos nas disciplinas e corrigindo os pontos negativos.
·                                  registrar a informação sobre o rendimento dos alunos, para que os pais possam acompanhar a vida escolar de seus filhos, superando as suas dificuldades.
·                                  sistematizar informações sobre o processo de avaliação dos alunos para que os professores possam decidir sobre a aprovação ou reprovação dos alunos.

4. Leia abaixo:


·                                 Boaventura de Souza Santos fala sobre a importância de fazermos rupturas com os modos tradicionais de conhecer a realidade e construirmos o conhecimento-solidariedade, também denominado de conhecimento-emancipação. Esse conhecimento se fundamenta em três pilares. Quais são eles?

·                                  A solidariedade como dimensão política; a participação como dimensão estética; o prazer como dimensão ética.
·                                  O prazer como dimensão estética; a solidariedade como dimensão da participação; o coletivo como dimensão política.
·                                  A solidariedade como dimensão ética; a participação como dimensão política; o prazer como dimensão estética.
·                                  A coletividade como dimensão ética; o prazer como dimensão ética; a participação como dimensão política.

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Em resposta à pergunta

  • "Por que a avaliação não é mais que uma simples medida de desempenho dos alunos?", que ouvimos frequentemente, a resposta mais adequada é:
  •  Porque avaliar significa atribuir um número a um acontecimento ou a um objeto, de acordo com uma regra logicamente aceitável. A medida supõe um enquadramento numa escala numérica.
  •  Porque faz parte da natureza humana avaliar, e é medindo que os seres humanos podem construir uma sociedade melhor: digna, fraterna e justa.
  •  Porque avaliar a aprendizagem implica mais que a descrição objetiva da realidade, é multidimensional, precisa abranger um conhecimento longitudinal do crescimento do sujeito avaliado.
  •  Porque os instrumentos de avaliação da aprendizagem são passíveis de crítica e podem estar sujeitos a múltiplas interpretações, por isso devem ser abolidos.

2. É uma característica da avaliação formativa e emancipadora

  •  problematizar constantemente o uso da nota e os instrumentos de avaliação utilizados.
  •  a concepção de que a aprendizagem pode ser medida.
  •  estar a serviço da aprendizagem dos alunos e de sua formação plena.
  •  colocar o professor como centro do processo de avaliação.

3. O paradigma da avaliação emancipatória, segundo Ana Maria Saul, apoia-se em três fontes, que são:

  •  a avaliação democrática, a crítica institucional e a criação coletiva, e a pesquisa participante.
  •  a criação coletiva, a pesquisa participante, e a avaliação dialógica e libertadora.
  •  a avaliação democrática, a avaliação objetiva, e a pesquisa participante.
  •  a avaliação somativa, a crítica institucional e a criação coletiva, e a pesquisa participante.

4. Na década de 1970 predominou em nosso país a abordagem tecnicista da educação e da avaliação da aprendizagem.

  • Os autores já insistiam no fato de que as medidas se apoiavam em dados observáveis e tinham ênfase quantitativa, enquanto a avaliação era mais ampla do que a medida, pois incluía juízo de valor. Falavam nas seguintes modalidades de avaliação:
  •  quantitativa e qualitativa.
  •  positivista, amorosa e emancipadora.
  •  bancária, libertadora e dialética.
  •  diagnóstica, formativa e somativa.

resultado final : 2
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Quando um professor utiliza questões dissertativas em sua avaliação deve


 utilizar poucas questões extensas, em vez de muitas questões breves.
  •  utilizar palavras novas para os alunos, cujo significado eles não conheçam.
  •  indicar, claramente, em cada questão, a extensão e a profundidade das respostas desejadas.
  •  manter os alunos no desconhecimento dos critérios para a avaliação da produção oral ou escrita.

2. Dizer que é necessário "mudar o foco da avaliação: de uma problemática da medida em prol da problemática do sentido" significa que


  •  é importante perguntar ao professor sobre o sentido do problema (uma compreensão do seu próprio processo de aprendizagem) e para o aluno, qual o sentido da avaliação.
  •  não precisamos questionar o sentido de um problema para o aluno e o sentido da avaliação para o professor.
  •  devemos valorizar mais a avaliação somativa ou classificatória, pois só esta realmente é fidedigna e confiável.
  •  o aluno precisa resolver mais problemas nas aulas de matemática, pois a repetição e o exercício são fundamentais para a fixação da aprendizagem.

3. Ao observarmos os paradigmas emancipatório e formativo da avaliação verificamos que uma não pode ser construída sem a outra. 

  • A avaliação que defendemos e queremos construir é uma prática avaliativa
I. que parta da proposta pedagógica construída com a participação dos alunos em sala de aula, diretamente articulada ao projeto da escola.
II. que colabore com a autonomia e emancipação dos educandos.
III. interativa, qualitativa, compartilhada e dialógica.
IV. ético-crítica que articule as diferentes dimensões e áreas do currículo, do projeto da escola, das práticas pedagógicas de sala de aula.

Dessas opções estão corretas apenas
  •  III e IV. I e IV.
  •  I, II e II.
  •  II, III e IV.

4. Relacione a segunda coluna com a primeira, de acordo com os passos para a construção da avaliação formativa-emancipadora. 

  • a) O professor precisa se perguntar sobre o seu domínio a respeito do objeto, dos conteúdos, da área do conhecimento que leciona.
    b) O professor precisa mostrar aos alunos que a avaliação não pode ser separada da proposta de ensino; precisa pesquisar sobre o que o aluno já sabe e o que ele precisa saber.
    c) O professor deve estabelecer com seus alunos o foco da avaliação - os referentes avaliativos.
    d) O professor precisa convencer os alunos de que eles podem errar, que seus erros não serão punidos, mas que são elementos pedagógicos valiosos.

    ( ) Escolha dos focos e eixos da avaliação e construção dos referentes avaliativos, dos elementos observáveis.
    ( ) Autoavaliação da formação de cada profissional nas diferentes áreas do conhecimento e para as funções que desempenha na escola, indo em busca do aperfeiçoamento, da qualificação, da formação plena.
    ( ) Diálogo crítico sobre o processo de construção do conhecimento/aprendizagem dos alunos.
    ( ) Análise do papel e função do erro na aprendizagem/avaliação, requerendo correção, mas não punição.

    A ordem correta da relação entre as colunas é:
  •  a, b, c, d.
  •  d, c, b, a.
  •  a, d, b, c.
  •  c, a, b, d. 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Uma escola que se proponha a construir uma avaliação numa perspectiva formativa e emancipadora deve, entre outras ações importantes,

  •  ser a expressão das Diretrizes Curriculares Nacionais e das orientações pedagógicas da direção e coordenações de área, objetivando a formação do cidadão pouco crítico.
  •  organizar regras que devem ser seguidas pelos educadores, de modo a garantir o desenvolvimento da proposta pedagógica dentro dos padrões estabelecidos pela equipe de gestores.
  •  garantir a vez e a voz dos seus educadores no cotidiano escolar, construindo um coletivo pedagógico forte e consolidando o diálogo crítico entre professores, alunos e famílias.
  •  estudar a avaliação da aprendizagem, numa abordagem tecnicista, procurando aproveitar as sugestões dos autores para desenvolver técnicas e instrumentos que melhorem a qualidade do ensino e da aprendizagem.

2. Dizer que é necessário "mudar o foco da avaliação: de uma problemática da medida em prol da problemática do sentido" significa que 

  •  é importante perguntar ao professor sobre o sentido do problema (uma compreensão do seu próprio processo de aprendizagem) e para o aluno, qual o sentido da avaliação.
  •  não precisamos questionar o sentido de um problema para o aluno e o sentido da avaliação para o professor.
  •  devemos valorizar mais a avaliação somativa ou classificatória, pois só esta realmente é fidedigna e confiável.
  •  o aluno precisa resolver mais problemas nas aulas de matemática, pois a repetição e o exercício são fundamentais para a fixação da aprendizagem.

3. São instrumentos de observação da aprendizagem:

  • I. anedotário.
    II. fichas - registro de observação.
    III. diário de campo.
    IV. sessões de dinâmica de grupo e grupo focal.

    São corretas as alternativas
  •  I, III e IV.
  •  I e IV.
  •  II, III e IV.
  •  I, II e III.

4. Observe abaixo:

  • Os alunos precisam ter vez e voz na proposta de avaliação da escola, participando ativamente dos processos decisórios em prol da melhoria da qualidade da escola. Uma ação que pode ser construída nesse sentido é
  •  planejar atividades recreativas, envolvendo professores, gestores e funcionários em geral, para se criar na escola um clima de amizade e confiança.
  •  incentivar a participação dos alunos nas reuniões pedagógicas, para que eles possam indicar os conteúdos que deverão ser ensinados.
  •  organizar conselhos de representação estudantil, para que os educandos possam aprender a avaliar criticamente e construir decisões coletivas.
  •  estimular os educandos a avaliarem com rigor seus professores, indicando seus pontos positivos e negativos.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Ao falar da avaliação formativa Philippe Perrenoud faz algumas ênfases. Apresentamos algumas a seguir. 

  • I. A utilização de procedimentos avaliativos como: identificação dos erros, sugestões e contrassugestões, explicações complementares, revisão das noções de base, trabalho sobre o sentido da tarefa ou a autoconfiança.
    II. A aproximação com os modelos tradicionais, quantitativistas.
    III. Uma avaliação formativa ajuda o aluno a aprender e o professor a ensinar.
    IV. O uso do contrato didático.

    Sobre essas ênfases podemos afirmar que estão corretas as afirmações
  •  I e II II, III e IV.
  •  I, III e IV.
  •  I, II e IV.

2. São instrumentos de observação da aprendizagem: 

  • I. anedotário.
    II. fichas - registro de observação.
    III. diário de campo.
    IV. sessões de dinâmica de grupo e grupo focal.

    São corretas as alternativas
  •  I, II e III.
  •  I, III e IV.
  •  I e IV.
  •  II, III e IV.

3. Relacione a segunda coluna com a primeira, de acordo com os passos para a construção da avaliação formativa-emancipadora. 

  • a) O professor precisa se perguntar sobre o seu domínio a respeito do objeto, dos conteúdos, da área do conhecimento que leciona.
    b) O professor precisa mostrar aos alunos que a avaliação não pode ser separada da proposta de ensino; precisa pesquisar sobre o que o aluno já sabe e o que ele precisa saber.
    c) O professor deve estabelecer com seus alunos o foco da avaliação - os referentes avaliativos.
    d) O professor precisa convencer os alunos de que eles podem errar, que seus erros não serão punidos, mas que são elementos pedagógicos valiosos.

    ( ) Escolha dos focos e eixos da avaliação e construção dos referentes avaliativos, dos elementos observáveis.
    ( ) Autoavaliação da formação de cada profissional nas diferentes áreas do conhecimento e para as funções que desempenha na escola, indo em busca do aperfeiçoamento, da qualificação, da formação plena.
    ( ) Diálogo crítico sobre o processo de construção do conhecimento/aprendizagem dos alunos.
    ( ) Análise do papel e função do erro na aprendizagem/avaliação, requerendo correção, mas não punição.

    A ordem correta da relação entre as colunas é:
     
  •  c, a, b, d.
  •  a, d, b, c.
  •  d, c, b, a.
  •  a, b, c, d.

4. Uma escola que se proponha a construir uma avaliação numa perspectiva formativa e emancipadora deve, entre outras ações importantes,


  •  estudar a avaliação da aprendizagem, numa abordagem tecnicista, procurando aproveitar as sugestões dos autores para desenvolver técnicas e instrumentos que melhorem a qualidade do ensino e da aprendizagem.
  •  ser a expressão das Diretrizes Curriculares Nacionais e das orientações pedagógicas da direção e coordenações de área, objetivando a formação do cidadão pouco crítico.
  •  organizar regras que devem ser seguidas pelos educadores, de modo a garantir o desenvolvimento da proposta pedagógica dentro dos padrões estabelecidos pela equipe de gestores.
  •  garantir a vez e a voz dos seus educadores no cotidiano escolar, construindo um coletivo pedagógico forte e consolidando o diálogo crítico entre professores, alunos e famílias.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  somativa.
·                                  por objetivos.
·                                  diagnóstica.
·                                  emancipadora.

2. Ao observarmos os paradigmas emancipatório e formativo da avaliação verificamos que uma não pode ser construída sem a outra.



·                                 A avaliação que defendemos e queremos construir é uma prática avaliativa

I. que parta da proposta pedagógica construída com a participação dos alunos em sala de aula, diretamente articulada ao projeto da escola.
II. que colabore com a autonomia e emancipação dos educandos.
III. interativa, qualitativa, compartilhada e dialógica.
IV. ético-crítica que articule as diferentes dimensões e áreas do currículo, do projeto da escola, das práticas pedagógicas de sala de aula.

Dessas opções estão corretas apenas

·                                  III e IV.
·                                  I e IV.
·                                  II, III e IV.
·                                  I, II e III.

3. Estas são etapas do processo que leva à avaliação formativa e emancipadora da aprendizagem.



·                                 ( ) Proposta pedagógica da escola, da área/núcleo de estudos.
( ) Interpretação, análise crítica e ressignificação das informações.
( ) Elaboração compartilhada de telas críticas/mapas de referência/levantamento de observáveis, aprendizagem prática e compartilhada da observação.
( ) Construção coletiva das decisões e reorientação do processo de ensino e aprendizagem.

Numerando essas etapas em ordem cronológica, temos:

·                                  1, 3, 2, 4.
·                                  1, 2, 3, 4.
·                                  3, 2, 1, 4.
·                                  4, 3, 2, 1.

4. Leia abaixo:



·                                 Não se imputando culpas, ou transferindo responsabilidades de alguma dificuldade do aluno à sua própria pessoa, à sua família etc., mas analisando criticamente as condições de aprendizagem, desenvolvendo-se uma cultura que permita a coexistência e a cooperação de alunos desiguais, com respeito mútuo e considerando os erros e os obstáculos como ocasiões de aprendizagem, estaremos trabalhando com

·                                  avaliação inclusiva.
·                                  currículo democrático.
·                                  avaliação somativa.
·                                  avaliação formativa.

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. É essencial no processo de observação aplicado à avaliação da aprendizagem


  • desenvolver competências observativas, aprender a observar criteriosa e cientificamente.
  • observar intuitivamente, sem preocupação com o registro.
  • utilizar instrumentos de observação já empregados, pois eles são definitivos.
  • observar sem que os alunos tenham participação no processo.

2. Uma escola que se proponha a construir uma avaliação numa perspectiva formativa e emancipadora deve, entre outras ações importantes,


  • garantir a vez e a voz dos seus educadores no cotidiano escolar, construindo um coletivo pedagógico forte e consolidando o diálogo crítico entre professores, alunos e famílias.
  • ser a expressão das Diretrizes Curriculares Nacionais e das orientações pedagógicas da direção e coordenações de área, objetivando a formação do cidadão pouco crítico.
  • organizar regras que devem ser seguidas pelos educadores, de modo a garantir o desenvolvimento da proposta pedagógica dentro dos padrões estabelecidos pela equipe de gestores.
  • estudar a avaliação da aprendizagem, numa abordagem tecnicista, procurando aproveitar as sugestões dos autores para desenvolver técnicas e instrumentos que melhorem a qualidade do ensino e da aprendizagem.

3. Marque a alternativa correta, em relação à elaboração de testes de aproveitamento escolar.


  • O plano de testagem e a organização do instrumento dispensam a expressão do seu grau de contribuição para a melhoria do processo de aprendizagem.
  • O teste deve ser uma provocação para o aluno, levando-o a responder os itens a qualquer preço.
  • O teste precisa ter uma coerência externa e interna, tomando-se como referência a proposta educacional da escola e da área específica do conhecimento.
  • O teste deve incluir itens cuja razão educativa seja aleatória.

4. O paradigma da avaliação emancipatória, segundo Ana Maria Saul, apoia-se em três fontes, que são:


  • a avaliação democrática, a crítica institucional e a criação coletiva, e a pesquisa participante.
  • a criação coletiva, a pesquisa participante, e a avaliação dialógica e libertadora.
  • a avaliação somativa, a crítica institucional e a criação coletiva, e a pesquisa participante.
  • a avaliação democrática, a avaliação objetiva, e a pesquisa participante.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  por objetivos.
·                                  somativa.
·                                  emancipadora.
·                                  diagnóstica.

2. São fundamentais para a construção de uma prática avaliativa formativa e emancipadora na escola:


·                                 I. a construção coletiva da proposta pedagógica da escola, a partir de uma ampla discussão sobre um novo projeto de sociedade e dos princípios educacionais que devem nortear todas as práticas escolares.
II. o trabalho coletivo de planejamento, desenvolvimento e avaliação de programas de aprendizagem e de projetos educativos/sociais dentro da escola, em articulação com a comunidade local.
III. o acompanhamento ocasional da aprendizagem do aluno, sem preocupação com a rigorosidade metódica.
IV. a participação organizada de educadores e educandos, objetivando criar estratégias para a concretização da proposta educacional.

Estão corretas as afirmativas

·                                  II, III e IV.
·                                  I, II e III.
·                                  I, II e IV.
·                                  I, III e IV.

3. Na elaboração de questões de múltipla escolha é um cuidado necessário:


·                                  Utilizar afirmações negativas.
·                                  Cada item deverá ter mais de uma resposta correta.
·                                  Os itens devem ser escritos em linguagem clara e simples, utilizando um vocabulário tão fácil quanto possível.
·                                  O problema central de um item deve ficar bastante obscuro no corpo da questão.

4. A avaliação é essencialmente um processo de comunicação, sendo diferente da simples medida de desempenho dos alunos.



·                                 Assim sendo, é correto afirmar que

·                                  os testes de aproveitamento escolar são instrumentos, apenas meios auxiliares que podem fornecer informações sobre a aprendizagem dos educandos.
·                                  é dispensável a problematização dos testes de aproveitamento escolar, pois eles são consagrados pela tradição e pelo uso.
·                                  os testes de aproveitamento escolar devem ser o único instrumento de avaliação suficientemente confiável para os professores.
·                                  os testes de aproveitamento escolar, as provas bimestrais, semestrais ou finais (de caráter somativo, globalizado) e os “exames” (incluindo os instrumentos padronizados de testagem e/ou bancas examinadoras externas) têm sido instrumentos suficientes para a avaliação da aprendizagem.

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Obsrve abaixo:


  •  a observação, com base no diálogo e na problematização, possibilita a interpretação do processo de aprendizagem, a construção da autonomia e do trabalho coletivo em sala de aula.
  •  a observação é uma condição indispensável à avaliação da escola, sendo uma atividade pedagógica exclusiva dos gestores e professores.
  •  a observação é um procedimento de mensuração do processo de aprendizagem, constituindo-se como uma das condições básicas para a concretização de uma proposta pedagógica.
  •  por meio da observação, o professor demonstra a sua competência e a autoridade em lidar com as informações que vai registrando no processo de ensino-aprendizagem.

2. Relacione a segunda coluna com a primeira, de acordo com os passos para a construção da avaliação formativa-emancipadora.

  
  • a) O professor precisa se perguntar sobre o seu domínio a respeito do objeto, dos conteúdos, da área do conhecimento que leciona.
    b) O professor precisa mostrar aos alunos que a avaliação não pode ser separada da proposta de ensino; precisa pesquisar sobre o que o aluno já sabe e o que ele precisa saber.
    c) O professor deve estabelecer com seus alunos o foco da avaliação - os referentes avaliativos.
    d) O professor precisa convencer os alunos de que eles podem errar, que seus erros não serão punidos, mas que são elementos pedagógicos valiosos.

    ( ) Escolha dos focos e eixos da avaliação e construção dos referentes avaliativos, dos elementos observáveis.
    ( ) Autoavaliação da formação de cada profissional nas diferentes áreas do conhecimento e para as funções que desempenha na escola, indo em busca do aperfeiçoamento, da qualificação, da formação plena.
    ( ) Diálogo crítico sobre o processo de construção do conhecimento/aprendizagem dos alunos.
    ( ) Análise do papel e função do erro na aprendizagem/avaliação, requerendo correção, mas não punição.

    A ordem correta da relação entre as colunas é:
  •  d, c, b, a.
  •  a, b, c, d.
  •  a, d, b, c.
  •  c, a, b, d.

3. Leia abaixo:

  
  • Não se imputando culpas, ou transferindo responsabilidades de alguma dificuldade do aluno à sua própria pessoa, à sua família etc., mas analisando criticamente as condições de aprendizagem, desenvolvendo-se uma cultura que permita a coexistência e a cooperação de alunos desiguais, com respeito mútuo e considerando os erros e os obstáculos como ocasiões de aprendizagem, estaremos trabalhando com 
  •  avaliação inclusiva.
  •  avaliação formativa.
  •  currículo democrático.
  •  avaliação somativa.

4. Observe abaixo:

  
  • Os alunos precisam ter vez e voz na proposta de avaliação da escola, participando ativamente dos processos decisórios em prol da melhoria da qualidade da escola. Uma ação que pode ser construída nesse sentido é 
  •  estimular os educandos a avaliarem com rigor seus professores, indicando seus pontos positivos e negativos.
  •  incentivar a participação dos alunos nas reuniões pedagógicas, para que eles possam indicar os conteúdos que deverão ser ensinados.
  •  planejar atividades recreativas, envolvendo professores, gestores e funcionários em geral, para se criar na escola um clima de amizade e confiança.
  •  organizar conselhos de representação estudantil, para que os educandos possam aprender a avaliar criticamente e construir decisões coletivas.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Observe abaixo:


·                                 Quando afirmamos que "cada manifestação do aluno precisa ser observada e analisada, tendo-se como referência os focos da avaliação - os observáveis - diretamente relacionados à proposta pedagógica da disciplina/da escola", estamos nos referindo à

·                                  prova objetiva.
·                                  avaliação compartilhada.
·                                  variabilidade didática.
·                                  avaliação somativa.

2. O princípio enunciado como o compromisso da avaliação com o futuro que se quer transformar é característico da avaliação


·                                  diagnóstica.
·                                  emancipadora.
·                                  somativa.
·                                  por objetivos.

3. Em resposta à pergunta 


·                                 "Por que a avaliação não é mais que uma simples medida de desempenho dos alunos?", que ouvimos frequentemente, a resposta mais adequada é:

·                                  Porque os instrumentos de avaliação da aprendizagem são passíveis de crítica e podem estar sujeitos a múltiplas interpretações, por isso devem ser abolidos.
·                                  Porque avaliar a aprendizagem implica mais que a descrição objetiva da realidade, é multidimensional, precisa abranger um conhecimento longitudinal do crescimento do sujeito avaliado.
·                                  Porque faz parte da natureza humana avaliar, e é medindo que os seres humanos podem construir uma sociedade melhor: digna, fraterna e justa.
·                                  Porque avaliar significa atribuir um número a um acontecimento ou a um objeto, de acordo com uma regra logicamente aceitável. A medida supõe um enquadramento numa escala numérica.

4. O que significa "avaliar com os pés no chão da escola, da sala de aula"?


·                                  Perguntar aos professores como eles gostariam que as estratégias de avaliação da aprendizagem fossem desenvolvidas.
·                                  Conhecer o trabalho pedagógico, o cotidiano da sala de aula, e as práticas avaliativas que se concretizam nos diferentes tempos e espaços da escola.
·                                  Chegar mais perto dos alunos, tornar-se amigo deles, conhecê-los profundamente.
·                                  Manter as práticas avaliativas existentes, mudando apenas aquelas que não dã

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Na década de 1970 predominou em nosso país a abordagem tecnicista da educação e da avaliação da aprendizagem.


·                                 Os autores já insistiam no fato de que as medidas se apoiavam em dados observáveis e tinham ênfase quantitativa, enquanto a avaliação era mais ampla do que a medida, pois incluía juízo de valor. Falavam nas seguintes modalidades de avaliação:

·                                  positivista, amorosa e emancipadora.
·                                  quantitativa e qualitativa.
·                                  bancária, libertadora e dialética.
·                                  diagnóstica, formativa e somativa.

2. Ao falar da avaliação formativa Philippe Perrenoud faz algumas ênfases. Apresentamos algumas a seguir.


·                                 I. A utilização de procedimentos avaliativos como: identificação dos erros, sugestões e contrassugestões, explicações complementares, revisão das noções de base, trabalho sobre o sentido da tarefa ou a autoconfiança.
II. A aproximação com os modelos tradicionais, quantitativistas.
III. Uma avaliação formativa ajuda o aluno a aprender e o professor a ensinar.
IV. O uso do contrato didático.

Sobre essas ênfases podemos afirmar que estão corretas as afirmações

·                                  II, III e IV.
·                                  I, III e IV.
·                                  I, II e IV.
·                                  I e II.

3. Leia abaixo:


·                                 A ênfase na prova, como o principal e/ou único instrumento de avaliação (abordagem quantitativista da avaliação), faz parte de uma lógica seletiva e classificatória predominante nas pedagogias tradicionais e tecnicistas, úteis aos interesses da burguesia e da globalização de mercado. Precisamos sim problematizar a pedagogia dos exames, como denomina Carlos Cipriano Luckesi, para construir novos modos de conceber e praticar a avaliação na escola, que possam contribuir de fato com a democratização da escola e da educação brasileira.

Essa afirmação está

·                                  totalmente incorreta.
·                                  baseada em uma premissa equivocada.
·                                  totalmente correta.
·                                  parcialmente correta.

4. Relacione a segunda coluna com a primeira, de acordo com os passos para a construção da avaliação formativa-emancipadora.


·                                 a) O professor precisa se perguntar sobre o seu domínio a respeito do objeto, dos conteúdos, da área do conhecimento que leciona.
b) O professor precisa mostrar aos alunos que a avaliação não pode ser separada da proposta de ensino; precisa pesquisar sobre o que o aluno já sabe e o que ele precisa saber.
c) O professor deve estabelecer com seus alunos o foco da avaliação - os referentes avaliativos.
d) O professor precisa convencer os alunos de que eles podem errar, que seus erros não serão punidos, mas que são elementos pedagógicos valiosos.

( ) Escolha dos focos e eixos da avaliação e construção dos referentes avaliativos, dos elementos observáveis.
( ) Autoavaliação da formação de cada profissional nas diferentes áreas do conhecimento e para as funções que desempenha na escola, indo em busca do aperfeiçoamento, da qualificação, da formação plena.
( ) Diálogo crítico sobre o processo de construção do conhecimento/aprendizagem dos alunos.
( ) Análise do papel e função do erro na aprendizagem/avaliação, requerendo correção, mas não punição.

A ordem correta da relação entre as colunas é:

·                                  a, d, b, c.
·                                  a, b, c, d.
·                                  d, c, b, a.
·                                  c, a, b, d.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Ela é uma conquista da luta intensa e contínua desenvolvida pela práxis humana, pelo homem como ser sempre incompleto.


·                                 Para Paulo Freire a libertação é a superação da contradição opressores-oprimidos. Segundo ele a meta fundamental da avaliação é a

·                                  emancipação do homem.
·                                  educação bancária.
·                                  pedagogia humanista.
·                                  opressão do opressor pelo oprimido.

 

2. O que significa "avaliar com os pés no chão da escola, da sala de aula"?


·                                  Perguntar aos professores como eles gostariam que as estratégias de avaliação da aprendizagem fossem desenvolvidas.
·                                  Manter as práticas avaliativas existentes, mudando apenas aquelas que não dão certo.
·                                  Conhecer o trabalho pedagógico, o cotidiano da sala de aula, e as práticas avaliativas que se concretizam nos diferentes tempos e espaços da escola.
·                                  Chegar mais perto dos alunos, tornar-se amigo deles, conhecê-los profundamente.

 

3. Obsrve abaixo:


·                                  a observação é um procedimento de mensuração do processo de aprendizagem, constituindo-se como uma das condições básicas para a concretização de uma proposta pedagógica.
·                                  a observação, com base no diálogo e na problematização, possibilita a interpretação do processo de aprendizagem, a construção da autonomia e do trabalho coletivo em sala de aula.
·                                  por meio da observação, o professor demonstra a sua competência e a autoridade em lidar com as informações que vai registrando no processo de ensino-aprendizagem.
·                                  a observação é uma condição indispensável à avaliação da escola, sendo uma atividade pedagógica exclusiva dos gestores e professores.

 

4. Ao observarmos os paradigmas emancipatório e formativo da avaliação verificamos que uma não pode ser construída sem a outra.



·                                 A avaliação que defendemos e queremos construir é uma prática avaliativa

I. que parta da proposta pedagógica construída com a participação dos alunos em sala de aula, diretamente articulada ao projeto da escola.
II. que colabore com a autonomia e emancipação dos educandos.
III. interativa, qualitativa, compartilhada e dialógica.
IV. ético-crítica que articule as diferentes dimensões e áreas do currículo, do projeto da escola, das práticas pedagógicas de sala de aula.

Dessas opções estão corretas apenas

·                                  III e IV.
·                                  I, II e III.
·                                  I e IV.
·                                  II, III e IV.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Na elaboração de questões de múltipla escolha é um cuidado necessário:


·                                  Utilizar afirmações negativas.
·                                  O problema central de um item deve ficar bastante obscuro no corpo da questão.
·                                  Cada item deverá ter mais de uma resposta correta.
·                                  Os itens devem ser escritos em linguagem clara e simples, utilizando um vocabulário tão fácil quanto possível.
·                                  

2. Ao observarmos os paradigmas emancipatório e formativo da avaliação verificamos que uma não pode ser construída sem a outra.



·                                 A avaliação que defendemos e queremos construir é uma prática avaliativa

I. que parta da proposta pedagógica construída com a participação dos alunos em sala de aula, diretamente articulada ao projeto da escola.
II. que colabore com a autonomia e emancipação dos educandos.
III. interativa, qualitativa, compartilhada e dialógica.
IV. ético-crítica que articule as diferentes dimensões e áreas do currículo, do projeto da escola, das práticas pedagógicas de sala de aula.

Dessas opções estão corretas apenas

·                                  III e IV.
·                                  I e IV.
·                                  I, II e III.
·                                  II, III e IV.
·                                  

3. Ela é uma conquista da luta intensa e contínua desenvolvida pela práxis humana, pelo homem como ser sempre incompleto.


·                                 Para Paulo Freire a libertação é a superação da contradição opressores-oprimidos. Segundo ele a meta fundamental da avaliação é a

·                                  pedagogia humanista.
·                                  educação bancária.
·                                  emancipação do homem.
·                                  opressão do opressor pelo oprimido.
·                                  

4. Para Fusari há alguns entraves que dificultam o trabalho coletivo na escola.


·                                 Coloque, ao lado de cada um deles, V para verdadeiro e F para falso.

( ) A sociedade valoriza e reforça o individualismo nas pessoas como elemento básico para a manutenção e expansão do sistema capitalista.
( ) O calendário escolar não prevê momentos para a articulação dos educadores.
( ) O excesso de propostas e iniciativas de trabalho coletivo nas escolas.
( ) A ausência de um trabalho pedagógico interdisciplinar nos próprios cursos de formação de professores.

A sequência correta das respostas é:

·                      F, F, V, V.
·                      F, V, F, V.
·                      V, V, V, F.
·                      V, V, F, V.

 

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Para Hadji os trabalhos dos alunos serão os "desencadeadores" dos comportamentos que serão objeto de observação e interpretação.

·  Ele propõe que sejam construídas(os) _____________________ para que se possa observar e analisar o processo de aprendizagem e seus respectivos produtos.
·   grades de leitura. (correta)
·   bancos de questões.
·   listas de respostas.
·   gabaritos objetivos.

2. Ao falar da avaliação formativa Philippe Perrenoud faz algumas ênfases. Apresentamos algumas a seguir.

·  I. A utilização de procedimentos avaliativos como: identificação dos erros, sugestões e contrassugestões, explicações complementares, revisão das noções de base, trabalho sobre o sentido da tarefa ou a autoconfiança.
II. A aproximação com os modelos tradicionais, quantitativistas.
III. Uma avaliação formativa ajuda o aluno a aprender e o professor a ensinar.
IV. O uso do contrato didático.

Sobre essas ênfases podemos afirmar que estão corretas as afirmações
·   II, III e IV.
·   I, II e IV.
·   I e II.
·   I, III e IV. (correta)

3. Quando um professor utiliza questões dissertativas em sua avaliação deve

·   utilizar poucas questões extensas, em vez de muitas questões breves.
·   manter os alunos no desconhecimento dos critérios para a avaliação da produção oral ou escrita.
·   utilizar palavras novas para os alunos, cujo significado eles não conheçam.
·   indicar, claramente, em cada questão, a extensão e a profundidade das respostas desejadas. (correta)

4. Marque a alternativa correta, em relação à elaboração de testes de aproveitamento escolar.

·   O teste precisa ter uma coerência externa e interna, tomando-se como referência a proposta educacional da escola e da área específica do conhecimento. (correta
·   O teste deve ser uma provocação para o aluno, levando-o a responder os itens a qualquer preço.
·   O plano de testagem e a organização do instrumento dispensam a expressão do seu grau de contribuição para a melhoria do processo de aprendizagem.
·   O teste deve incluir itens cuja razão educativa seja aleatória.

Resultado final : 2

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1. Para Hadji os trabalhos dos alunos serão os "desencadeadores" dos comportamentos que serão objeto de observação e interpretação.

·  Ele propõe que sejam construídas(os) _____________________ para que se possa observar e analisar o processo de aprendizagem e seus respectivos produtos.
·   grades de leitura. (correta)
·   bancos de questões.
·   listas de respostas.
·   gabaritos objetivos.

2. Ao falar da avaliação formativa Philippe Perrenoud faz algumas ênfases. Apresentamos algumas a seguir.

·  I. A utilização de procedimentos avaliativos como: identificação dos erros, sugestões e contrassugestões, explicações complementares, revisão das noções de base, trabalho sobre o sentido da tarefa ou a autoconfiança.
II. A aproximação com os modelos tradicionais, quantitativistas.
III. Uma avaliação formativa ajuda o aluno a aprender e o professor a ensinar.
IV. O uso do contrato didático.

Sobre essas ênfases podemos afirmar que estão corretas as afirmações
·   II, III e IV.
·   I, II e IV.
·   I e II.
·   I, III e IV. (correta)

3. Quando um professor utiliza questões dissertativas em sua avaliação deve

·   utilizar poucas questões extensas, em vez de muitas questões breves.
·   manter os alunos no desconhecimento dos critérios para a avaliação da produção oral ou escrita.
·   utilizar palavras novas para os alunos, cujo significado eles não conheçam.
·   indicar, claramente, em cada questão, a extensão e a profundidade das respostas desejadas. (correta)

4. Marque a alternativa correta, em relação à elaboração de testes de aproveitamento escolar.

·   O teste precisa ter uma coerência externa e interna, tomando-se como referência a proposta educacional da escola e da área específica do conhecimento. (correta
·   O teste deve ser uma provocação para o aluno, levando-o a responder os itens a qualquer preço.
·   O plano de testagem e a organização do instrumento dispensam a expressão do seu grau de contribuição para a melhoria do processo de aprendizagem.
·   O teste deve incluir itens cuja razão educativa seja aleatória.